Meio Ambiente Apenas 17% dos rios do mundo correm livremente e estão em áreas protegidas

11:51  14 maio  2021
11:51  14 maio  2021 Fonte:   istoedinheiro.com.br

Como está a flexibilização de medidas anticovid na Europa

  Como está a flexibilização de medidas anticovid na Europa Após meses de restrições devido ao coronavírus, agora já é possível visitar amigos, sair às compras e frequentar bares e restaurantes em vários países europeus – embora com regras. © David Gannon/AFP/Getty Images A partir de 15 de maio, Grécia pretende se abrir completamente aos turistas Enquanto na Alemanha o chamado "freio de emergência" contra o avanço da covid-19 ainda paralisa a vida social, o comércio e a gastronomia, a situação em outros países europeus é diferente.

Apenas 17% dos rios do mundo correm livres e estão integrados em áreas protegidas, identificou um estudo hoje nesta quinta-feira (13), que alertou para o elevado risco ambiental a que estes ecossistemas estão sujeitos.

Segundo o especialista em recursos hídricos da Northern Arizona University (NAU), nos Estados Unidos, Ian Harrison, “as populações de espécies de água doce já diminuíram 84% em média desde 1970, sendo a degradação dos rios a principal causa desse declínio”

+ Parte do lucro recorde da Caixa será investida no meio ambiente, diz Guimarães

Esta nova pesquisa, publicada na revista científica Sustainability, juntou diversos especialistas de universidades e de outras organizações como a WWF, a Conservation International e a The Nature Conservancy, que analisaram diversos estudos, com o objetivo de definir um roteiro para a proteção dos rios dirigido aos decisores das políticas ambientais.

A fotografia cartográfica de Caio Reisewitz

  A fotografia cartográfica de Caio Reisewitz Obra reunida na individual do artista na galeria Joan Prats, em Barcelona, informa sobre décadas de crise ambiental e florestalUm mapa de focos de incêndios compõe o repertório de referências da exposição Recado da Mata, na galeria Joan Prats, em Barcelona,. O Brasil teve, em 2020, o maior número de queimadas em uma década, subindo 15% em relação ao ano anterior. Implícito nesse mapa do fogo – e como pano de fundo da pesquisa que Reisewitz vem realizando há duas décadas sobre as relações entre as florestas e as cidades – há um mapa da devastação. Em 2020, o desmatamento da Amazônia brasileira atingiu sua maior marca em 12 anos, e mais de 95% dele é ilegal.

Segundo estes pesquisadores, não existe uma estrutura a nível global focada especificamente na proteção de rios e a proteção dos ecossistemas de água doce do planeta tem recebido menos atenção e financiamento do que esforços de preservação dos sistemas marinhos e terrestres.

“Os rios de fluxo livre e outros ecossistemas de água doce sustentam não só a biodiversidade, mas também a cadeia de abastecimento de alimentos, de água potável, as economias e as culturas para milhões de pessoas no mundo”, declarou Jonathan Higgins, consultor da organização The Nature Conservancy.

Os dados científicos comprovam a importância dos rios também na capacidade que apresentam de manter as populações de peixes migratórios, de conservar os deltas que congregam cerca de 500 milhões de pessoas e os terrenos agrícolas altamente produtivos, o que exige uma estratégia de conservação e gestão das bacias hidrográficas.

Reservatórios quase secos ameaçam laranjas e café do Brasil .
No Brasil, maior exportador mundial de café, açúcar e suco de laranja, a época de chuva terminou, mas parece que não caiu uma gota. Na região Centro-Sul, os solos estão ressecados e os níveis dos rios baixos. A estiagem é tão severa que agricultores temem ficar sem as reservas de água necessárias para irrigar as plantações durante a estação seca nos próximos meses. Mauricio Pinheiro, de 59 de anos, começou a irrigar os pés de café arábica em março, dois meses antes do normal, depois que sua plantação de 53 hectares recebeu menos da metade da chuva necessária.

usr: 1
Isto é interessante!