Meio Ambiente: Cientistas tentam salvar rinoceronte-branco do norte da extinção - PressFrom - Brasil

Meio AmbienteCientistas tentam salvar rinoceronte-branco do norte da extinção

23:25  23 agosto  2019
23:25  23 agosto  2019 Fonte:   msn.com

Cites pede proteção de espécies ameaçadas após decisão polêmica de Trump

Cites pede proteção de espécies ameaçadas após decisão polêmica de Trump As nações deveriam reforçar as leis que protegem as espécies em perigo de extinção, em vez de enfraquecê-las, declararam nesta terça-feira (13) funcionários da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Flora e Fauna Selvagens Ameaçadas de Extinção (Cites, sigla em inglês), após Washington suavizar, na segunda, sua legislação sobre o tema. A Cites, também conhecida como Convenção de Washington, é um acordo internacional entre Estados que fornece proteção em diversos graus a mais de 35.000 espécies selvagens. Dispõe de um mecanismo que lhe permite impor sanções aos países que não respeitam as regras.

Cientistas mais perto de salvar o rinoceronte branco do norte da extinção . Um consórcio internacional de cientistas e conservadores da natureza anunciou esta quarta-feira que criou com sucesso dois embriões de rinoceronte - branco do norte , uma esperança para a preservação desta

As fêmeas de rinocerontes brancos do sul vão ser usadas como barrigas de aluguer dos embriões de rinocerontes brancos do norte . Neste momento, o desafio dos cientistas passa por desenvolver uma técnica para transferir os embriões para um rinoceronte substituto. A dúvida é se os embriões irão

Cientistas tentam salvar rinoceronte-branco do norte da extinção© TONY KARUMBA Najin e sua filha Fatu são as duas últimas fêmeas de rinoceronte-branco do norte do Quênia

Veterinários extraíram com sucesso os ovócitos das duas últimas fêmeas de rinoceronte-branco do norte, em uma ação desesperada para salvar esta espécie da extinção, anunciaram os cientistas responsáveis pelo projeto nesta sexta no Quênia.

A ciência representa a última esperança para o rinoceronte-branco do norte - umas das duas subespécies do rinoceronte-branco - após a morte, no ano passado, aos 45 anos, do último macho, chamado Sudan, na reserva queniana de Ol Pejeta (centro).

As duas fêmeas, Najin, de 30 anos, e sua filha Fatu, de 19, são os últimos indivíduos de sua espécie e vivem em Ol Pejeta, onde foram submetidas na quinta-feira à extração de ovócitos.

Cientistas flagram estranhas criaturas em expedição no Golfo do Alasca

Cientistas flagram estranhas criaturas em expedição no Golfo do Alasca Cientistas flagram estranhas criaturas em expedição no Golfo do Alasca

Um consórcio internacional de cientistas e conservadores da natureza anunciou hoje que criou com sucesso dois embriões de rinoceronte - branco do norte , uma esperança para a preservação desta subespécie africana quase em extinção .

Último rinoceronte - branco do norte macho do planeta, Sudan morreu aos 45 anos no Quênia em decorrência de uma infecção em sua pata direita traseira: por conta da idade avançada, a doença progrediu de maneira irreversível e os veterinários optaram pela eutanásia.

Nenhuma delas conseguiu concluir uma gestação com sucesso: Fatu sofre de lesões degenerativas no útero e Najin sofre de uma fragilidade nos membros posteriores, incompatível com uma gravidez.

Mas há anos um consórcio de cientistas e de especialistas para preservar a fauna se esforça para salvar o rinoceronte-branco do norte, utilizando técnicas inovadoras de procriação assistida.

"Conseguimos extrair um total de 10 ovócitos - 5 de Najin e 5 de Fatu - o que mostra que as duas fêmeas continuam produzindo ovócitos e podem nos ajudar a salvar estas magníficas criaturas", declarou nesta sexta-feira o professor Thomas Hildebrandt, do Instituto Leibniz de pesquisa zoológica e animal, em Berlim.

- Utensílio de dois metros -

Após crise no Inpe, governo já testa monitoramento privado de desmate

Após crise no Inpe, governo já testa monitoramento privado de desmate Após crise no Inpe, governo já testa monitoramento privado de desmate

Redação, 11 set 2019 (Lusa) - Um consórcio internacional de cientistas e conservadores da natureza anunciou hoje que criou com sucesso dois embriões de rinoceronte - branco do norte , uma esperança para a preservação desta subespécie africana quase em extinção .

Um consórcio internacional de cientistas e conservadores da natureza anunciou esta quarta-feira que criou com sucesso dois embriões de rinoceronte - branco do norte , uma esperança para a preservação desta subespécie africana quase em extinção . Os embriões foram criados 'in vitro' a

A equipe inventou e desenvolveu nos dois últimos anos um utensílio de dois metros de comprimento para extrair ovócitos dos rinocerontes-brancos, devido a sua anatomia particular.

Em 2018, esta mesma equipe conseguiu criar embriões híbridos, resultado da fecundação de ovócitos de fêmeas de rinocerontes-brancos do sul com espermatozoides de rinocerontes-brancos do norte. Estes embriões tinham sido congelados.

As extrações de ovócitos de quinta-feira permitem aos cientistas esperar que se criem a curto prazo embriões 100% rinocerontes-brancos do norte.

Os ovócitos extraídos, que não podem ser congelados, foram imediatamente enviados a um laboratório especializado na Itália para ser fecundados com espermatozoides retirados de quatro machos desta espécie, já mortos.

Os embriões serão depois implantados em mães portadoras pertencentes à subespécie de rinocerontes-brancos do sul.

Ministro diz que reavaliação sobre radares está ‘praticamente’ pronta

Ministro diz que reavaliação sobre radares está ‘praticamente’ pronta Ministro diz que reavaliação sobre radares está ‘praticamente’ pronta

Cientistas , em 2018, informaram que injetaram esperma preservado de um rinoceronte branco macho do norte em ovos de rinocerontes brancos do sul, uma subespécie intimamente relacionada. ↑ «Tecnologia é a esperança para salvar rinoceronte - branco - do - Norte da extinção ».

Sou o último rinoceronte branco macho no planeta Terra. Durante anos, a caça furtiva desses animais contribuiu para a sua iminente extinção , já que seus chifres alcançam uma cotação superior à do ouro nos mercados asiáticos, devido a supostas propriedades curativas e afrodisíacas.

Atualmente há cinco espécies de rinocerontes no planeta, entre elas os rinocerontes-negros e os rinocerontes-brancos, que se encontram na África. O rinoceronte-branco do norte é geralmente considerado uma subespécie do rinoceronte-branco, mas os cientistas emitiram a hipótese de que poderia se tratar de uma espécie única.

- Muita caça ilegal -

Em seu meio natural, os rinocerontes sofrem com poucos predadores, devido a seu tamanho e a sua pele espessa. Mas as supostas virtudes medicinais atribuídas na Ásia a seu chifre alimentaram nos anos 1970 e 80 uma implacável caça ilegal que dizimou o rinoceronte-branco do norte em Uganda, República Centro-Africana, Chade, República Democrática do Congo e no atual Sudão do Sul.

Em 2008, o rinoceronte-branco do norte já era considerado extinto em estado selvagem.

Os rinocerontes modernos percorrem os grandes espaços do nosso planeta há 26 milhões de anos. Na metade do século 19, sua população era estimada em mais de um milhão de indivíduos, somente no continente africano.

Pesquisadores chilenos conseguem, por pouco, salvar espécie de rã prestes a ser extinta.
As rãs do Loa só existem no rio Loa, no norte do Chile. Em risco de extinção, os últimos animais da espécie estavam desidratados devido à seca. Antes de que o pior ocorresse, pesquisadores do país transportaram 14 deles para o Zoológico de Santiago. Os animais encontram-se atualmente no Centro de Reprodução de Anfíbios do Zoológico, onde serão alimentados e, posteriormente, estimulados a se reproduzir para que sua população aumente. De acordo com o Good News Network, estes podem ser os últimos exemplares da espécie, o que faz dela o vertebrado com maior risco de extinção no país.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 0
Isto é interessante!