Meio Ambiente Cientistas alertam que sexta extinção em massa já começou na Terra

09:25  22 janeiro  2022
09:25  22 janeiro  2022 Fonte:   ecycle.com.br

2021 foi o 6º ano mais quente já registrado, afirmam agências dos EUA

  2021 foi o 6º ano mais quente já registrado, afirmam agências dos EUA SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ano de 2021 foi o sexto mais quente da história, segundo dados divulgados conjuntamente nesta quinta-feira (13) pela Nasa, a agência espacial americana, e pela Noaa, a agência de administração oceânica e atmosférica dos Estados Unidos. "[O ano de] 2021 contribui e é consistente com a tendência de aquecimento observada a longo prazo", afirma a Nasa, em nota. Já a medição publicada na última terça (11) pelo Copérnico, o serviço de mudança climática da União Europeia, apontou 2021 como o quinto ano mais quente desde o início dos registros. As agências usam diferentes modelos e linhas de base, o que resulta em números distintos.

Um artigo publicado na Biological Reviews alerta para a possibilidade de que a sexta extinção em massa já tenha começado. Analisando dados de crustáceos e outros invertebrados, cientistas afirmam que não é possível encarar a extinção em massa com ceticismo.

  Cientistas alertam que sexta extinção em massa já começou na Terra © Fornecido por eCycle

Os pesquisadores catalogaram a extinção de diversas espécies de moluscos, incluindo caracóis, lesmas e mexilhões. O foco nesses invertebrados entra em conflito com a informação recolhida pela lista vermelha de espécies ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN).

De acordo com os pesquisadores envolvidos na pesquisa, a UICN não tem dados da maioria dos invertebrados, que constituem cerca de 95% da biodiversidade terrestre.

Decreto de Bolsonaro libera destruir caverna para construir empreendimento

  Decreto de Bolsonaro libera destruir caverna para construir empreendimento O calor e a estiagem castigam as lavouras nas regiões sul e centro-oeste. As perdas nas produções de milho e soja são bilionárias

O estudo comprovou que, desde 1500, é estimado que 7,5% a 13% de vertebrados tenham sido extintos. Esse nível de extinção é considerado catastrófico, e é maior do que já foi visto no passado.

A mudança e ameaças à biodiversidade terrestre, de acordo com o artigo, foi impulsionada pela ação humana sob essas espécies.

Anteriormente, o planeta já passou por cinco extinções em massa. Porém, nenhuma tinha sido categorizada pelas mãos humanas. As extinções em massa são categorizadas como catástrofes naturais que têm a capacidade de eliminar cerca de 75% de espécies em pouco tempo. Agora, com os avanços da tecnologia que possibilitam a exploração do meio ambiente, os resultados são ainda mais catastróficos.

Embora os resultados da pesquisa indiquem que a extinção é pior em terra do que no mar, as espécies marinhas também estão sendo ameaçadas pela ação humana. É possível, também, que a extinção em ecossistemas de ilhas aconteça mais rapidamente.

O time de pesquisadores não vê os resultados como reversíveis, ou que a extinção em massa possa ser evitada. Ela já começou e não há muito o que fazer, porém agir despreocupadamente em frente ao colapso da biodiversidade ainda é errado.

Uma das soluções analisadas é a de reunir e preservar a maior quantidade possível de espécies em centros de reprodução, antes que elas sejam perdidas para sempre.

Terremoto: o que é e principais exemplos .
“Terremoto” é um termo utilizado para se referir à ocorrência de uma fratura a uma certa profundidade, que origina ondas elásticas que se propagam por toda a Terra, causando tremores. Dependendo da intensidade e da magnitude, ele provoca grandes desastres socioambientais e econômicos. Causas dos terremotos Os terremotos podem estar relacionados a fenômenos externos, conhecidos como atectônicos, e a processos internos, chamados de tectônicos. Os eventos atectônicos são mais raros e causam pequenos tremores com a queda de grandes blocos de rochas, o que provoca impacto sobre a superfície terrestre.

usr: 1
Isto é interessante!