Meio Ambiente: Década atual deve ser a mais quente já registrada, adverte agência de meteorologia da ONU - - PressFrom - Brasil

Meio Ambiente Década atual deve ser a mais quente já registrada, adverte agência de meteorologia da ONU

14:40  03 dezembro  2019
14:40  03 dezembro  2019 Fonte:   brasil.rfi.fr

Década de 2010 deve ser a mais quente já registrada, alerta ONU

  Década de 2010 deve ser a mais quente já registrada, alerta ONU Dados da Organização Meteorológica Mundial apontam ainda que ano de 2019 poderá terminar entre os três mais quentes da história. Em meio à COP25 em Madri, secretário-geral da entidade pede ações urgentes pelo clima. © picture-alliance/dpa/HMB Media/O. Mueller A temperatura média global registrada entre janeiro e outubro deste ano foi 1,1 °C acima dos níveis pré-industriais Ondas de calor, secas, incêndios florestais: esta década deverá ser a mais quente já registrada na história, segundo alertou nesta terça-feira (03/12) a Organização Meteorológica Mundial (OMM), uma agência das Nações Unidas.

Julho de 2019, quando várias ondas de calor afetaram a Europa, foi o mês mais quente da história. Mas há disparidades regionais: os polos esquentam Os cientistas afirmam que aumento do nível dos oceanos acelera e o ritmo subiu na última década a quatro milímetros por ano, em vez de três, em

Organização das Nações Unidas ( ONU ), ou simplesmente Nações Unidas, é uma organização intergovernamental criada para promover a cooperação internacional. Uma substituição à Liga das Nações, a organização foi estabelecida em 24 de outubro de 1945

  Década atual deve ser a mais quente já registrada, adverte agência de meteorologia da ONU © AFP

A atual década (2010-2019) está destinada a ser a mais quente já registrada na história, adverte a Organização Meteorológica Mundial (OMM) em um relatório anual publicado nesta terça-feira (3). O documento salienta a aceleração das consequências das mudanças climáticas.

No relatório apresentado no início da Conferência sobre o Clima da ONU (COP25), a OMM indicou que as temperaturas globais superaram nos primeiros 10 meses do ano em 1,1 ºC a média da era pré-industrial (1850-1900). A organização prevê ainda que 2019 será o "segundo ou terceiro ano mais quente" desde 1850, quando os registros sistemáticos começaram a ser feitos.

Concentração de gases do efeito estufa bate recorde em 2018

  Concentração de gases do efeito estufa bate recorde em 2018 Segundo OMM, nível de gases que causam o aquecimento global aumentou em 2018 num ritmo superior à média da última década. Tendência indica impactos de mudanças climáticas mais graves. © picture-alliance/dpa/P. Pleul Provided by Deutsche Welle A concentração na atmosfera de gases que provocam o efeito estufa e causam o aquecimento global bateu recorde em 2018, aumentando mais rápido do que a média registrada na última década, segundo um relatório divulgado nesta segunda-feira (25/11) pela Organização Meteorológica Mundial (OMM).

A Organização Meteorológica Mundial (OMM) advertiu nesta sexta-feira que 2016 está no caminho de se transformar no ano mais quente já registrado na história, com temperaturas extremamente altas. Saiba mais. Governo ratifica Acordo de Paris contra mudança climática.

A Organização das Nações Unidas fez um alerta referente ao aumento de temperatura em 2016. Desde o início do século, já foram registrados 16 recordes de

Cada uma das últimas quatro décadas foi mais quente que a anterior. Além disso, as emissões provocadas pelo homem devido, por exemplo, aos combustíveis fósseis, a construção de infraestruturas, o aumento dos cultivos e o transporte provavelmente contribuirão para um novo recorde de concentração de dióxido de carbono, o que aumentará o aquecimento, afirmou a OMM.

Os oceanos, que absorvem parte dos gases do efeito estufa, continuam registrando temperaturas recordes e uma acidificação maior, o que ameaça os ecossistemas marinhos dos quais bilhões de pessoas dependem para alimentação ou trabalho. Em outubro, o nível do mar também alcançou um recorde, alimentado sobretudo pelas 329 bilhões de toneladas de gelo derretido na Groenlândia em um ano.

Chuva e friozinho: previsão para o final de semana é de tempo nublado e chuvoso em todo o estado

  Chuva e friozinho: previsão para o final de semana é de tempo nublado e chuvoso em todo o estado Em BH, a Defesa Civil emitiu um alerta de pancadas de chuva e rajadas de vento valido até sábadoO dia na capital amanheceu nublado e sob forte neblina em alguns pontos. De acordo com o meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Claudemir Azevedo, o fenômeno foi causado pela alta umidade do ar, decorrente da chuva que ocorreu durante a noite. A temperatura mínima registrada na cidade foi de 18°C e ao longo do dia os termômetros podem alcançar os 27°C.

O nível do mar deve aumentar em até um metro nos próximos 80 anos, caso nada seja feito, alerta o IPCC. De acordo com esses especialistas, há uma tendência de elevação do nível do mar que não era observada em Últimos 5 anos são os mais quentes da história, diz agência da ONU para o clima.

da agência da ONU : as emissões de gases de efeito estufa podem dobrar nos próximos 50 anos, causando a elevação da temperatura das reunidas na conferência Rio+20 que a transição definitiva para uma economia verde, emitindo pouco de CO2 e utilizando com eficácia os recursos, deve ser

22 milhões de deslocados

Milhões de pessoas já sofrem as consequências da mudança climática, o que evidencia que esta não é apenas uma ameaça para as futuras gerações, mas também para as atuais.

No primeiro semestre de 2019 mais de 10 milhões de pessoas foram deslocadas dentro de seus países, segundo o Observatório de Situações de Deslocamento Interno. Deste total, sete milhões o fizeram por causas relacionadas com fenômenos meteorológicos extremos como tempestades, inundações e secas, um número que pode alcançar 22 milhões para o conjunto do ano.

Em 2019 foram registradas secas na América Central e Austrália, ondas de calor na Europa e Japão, assim como supertempestades no sudeste da África e incêndios devastadores no Brasil e na Califórnia (EUA).

"Mais uma vez, em 2019, os riscos ligados ao tempo e ao clima afetaram duramente", disse o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas. "As ondas de calor e as inundações que antes aconteciam uma vez por século estão se tornando eventos regulares", advertiu.

Concentração de gases do efeito estufa bate novo recorde, diz agência da ONU

  Concentração de gases do efeito estufa bate novo recorde, diz agência da ONU 147% mais CO2 que na era pré-indústria. Concentração de metano também sobeOs dados mostram que a concentração de CO2 (dióxido de carbono) na atmosfera passou de 405,5 ppm (partes por milhão) em 2017 para 407,8 em 2018. A concentração de metano (CH4) cresceu 10 ppb (partes por bilhão) e a do óxido nitroso (N2O), 1,2 ppb no mesmo período.

De acordo com os estudos, há cerca de 85% de chance de o ano terminar como o segundo mais quente , com possibilidades remotas de ser o terceiro. A única região de frio recorde no mês foi o oeste dos Estados Unidos, onde grande parte das Montanhas Rochosas registrou bastante frio no

“Institutos de meteorologia alertam para uma forte onda de calor em fevereiro..A defesa civil e os telejornais não divulgam para não assustarem a população, mas segundo Inmet( Instituto Nacional de Mas será que a informação é mesmo verdadeira e devemos ficar atentos à onda de calor?

Taalas destacou que a pluviometria mais irregular, somada ao crescimento demográfico, representará "desafios consideráveis em termos de segurança alimentar para os países mais vulneráveis". Em 2018, a tendência decrescente da fome no mundo foi revertida, com mais de 820 milhões de pessoas afetadas.

Até 5°C a mais no fim do século

Ao ritmo atual, a temperatura poderia aumentar até 4 ºC ou 5 ºC no fim do século. Mesmo se os países respeitarem seus compromissos atuais de redução das emissões, o aumento poderia superar 3 ºC, enquanto o Acordo de Paris prevê limitar o aquecimento a menos de 2 ºC e, de modo ideal, a 1,5 ºC.

A COP25, que começou na segunda-feira (2) em Madri, tem o objetivo de estimular a luta contra o aquecimento global. "Os Estados não têm desculpas para bloquear os avanços nem recuar quando a ciência mostra que é urgente atuar", reagiu Kat Kramer, da ONG Christian Aid.

(Com informações da AFP)

__________________

Tempestades deixam quatro mortos e um desaparecido no sul da França .
A famosa Côte d’Azur, no sul da França, estava em estado de alerta desde a última sexta-feira (22) devido a chuvas "de uma intensidade histórica". As tempestades, que provocaram inundações, deixaram ao menos quatro mortos e um desaparecido. Após horas de buscas, os serviços de segurança e resgate envolvidos nas buscas após as inundações na região encontraram neste domingo (24) os corpos de três pessoas que ficaram presas em seus carros submersos. A quarta vítima é um homem que fazia parte de um grupo de pessoas resgatado pelos bombeiros ontem à noite, mas a embarcação naufragou e ele morreu afogado. Um homem de 77 anos continua desaparecido.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 0
Isto é interessante!