Meio Ambiente Perda de oxigênio dos oceanos ameaça vida marinha, alerta IUCN

17:53  07 dezembro  2019
17:53  07 dezembro  2019 Fonte:   dw.com

Baleia é encontrada morta com 100 kg de plástico no estômago

  Baleia é encontrada morta com 100 kg de plástico no estômago Uma terrível notícia para todos nós. Uma baleia cachalote foi encontrada na Escócia com mais de 100 quilos de plástico em seu estômago. Não está claro se existe uma correlação entre a morte do animal e a presença da poluição em seu organismo. A cachalote foi encontrada em uma praia ao norte da Escócia, chamada Seilebost. Quando os especialistas chegaram ao local, a baleia-macho, que estava em idade adulta e aparentemente saudável, já estava morta. Durante a autópsia, especialistas aharam mais de 100 quilos de plástico no aparelho digestivo do animal. Redes de pesca, copos plásticos, cordas e sacolas estavam dentro da cachalote.

Em sua tradicional mensagem de fim de ano o Comandante da Marinha , Almirante de Esquadra Ilques Barb Relatório revela que estoque mundial de oxigênio dos oceanos diminuiu 2% em 50 anos.

A temperatura média dos oceanos no ano passado ficou cerca de 0,075 grau Celsius acima da média verificada entre 1981 e 2010, de acordo com O aquecimento dos oceanos pode causar ondas de calor marinhas , o que, por sua vez, pode levar a grandes perda de vidas marinhas e à formação de

Relatório revela que estoque mundial de oxigênio dos oceanos diminuiu 2% em 50 anos. Impulsionado por mudanças climáticas, fenômeno enfraquece ecossistema marinho e pode prejudicar comunidades que dependem da pesca.

Excesso de algas polui praias do México antes azuis © Getty Images/J. Sullivan Excesso de algas polui praias do México antes azuis

Os oceanos estão sofrendo uma perda de oxigênio que ameaça a vida marinha, a pesca e comunidades costeiras, alertou a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) num relatório divulgado neste sábado (07/12) na Cúpula do Clima (COP25), em Madri. A desoxigenação oceânica é impulsionada pelas mudanças climáticas causadas pela ação humana.

Década atual deve ser a mais quente já registrada, adverte agência de meteorologia da ONU

  Década atual deve ser a mais quente já registrada, adverte agência de meteorologia da ONU Década atual deve ser a mais quente já registrada, adverte agência de meteorologia da ONUNo relatório apresentado no início da Conferência sobre o Clima da ONU (COP25), a OMM indicou que as temperaturas globais superaram nos primeiros 10 meses do ano em 1,1 ºC a média da era pré-industrial (1850-1900). A organização prevê ainda que 2019 será o "segundo ou terceiro ano mais quente" desde 1850, quando os registros sistemáticos começaram a ser feitos.

Além de os oceanos estarem mais quentes, a temperatura está se elevando a uma velocidade cada vez maior e, mesmo Redução do nível de oxigênio das águas, afetando a vida marinha e corais; 95% dos recifes de coral sofrerão Relatório do IPCC alerta para aumento do nível dos oceanos .

Em apenas 15 anos a vida marinha pode diminuir de forma brusca; veja mapa com regiões mais afetadas A mudança climática também mexe com o equilíbrio dos oceanos , e a humanidade deve sentir A redução na quantidade de oxigênio dissolvido nos mares já pode ser notada em algumas

"À medida que os oceanos perdem oxigênio devido ao aquecimento, o delicado equilíbrio da vida marinha se enfraquece", afirmou Grethel Aguilar, diretora-geral interina da IUCN. "Para diminuir a desoxigenação oceânica, os líderes mundiais devem se comprometer a reduzir imediatamente e de forma substancial as emissões."

A IUCN identificou 700 regiões marinhas com baixos níveis de oxigênio. Em 1960, eram apenas 45. Nesse mesmo período, o volume de águas completamente sem oxigênio quadruplicou. O relatório revela também que, entre 1960 e 2010, o estoque mundial do gás nos oceanos diminui 2%. Pesquisadores estimam que em 2100 essa perda possa chegar a 3% ou até 4%, se as emissões continuarem aumentando no atual ritmo.

"A exaustão do oxigênio nos oceanos está ameaçando os ecossistemas marinhos que já estão sob estresse devido ao aquecimento e acidificação oceânicos", advertiu um dos autores do estudo, Dan Laffoley, do programa de Ciência e Conservação Marítima da IUCN.

Aquecimento global ameaça realização de Jogos de Inverno

  Aquecimento global ameaça realização de Jogos de Inverno Das 21 cidades que sediaram ou sediarão as Olimpíadas de Inverno avaliadas, seis não poderiam abrigar o evento, entre elas Vancouver e SochiOs pesquisadores informaram que os cálculos foram baseados no cenário hipotético, que se passaria no final deste século, em que a temperatura média global sobe quatro graus centígrados acima do período pré-industrial.

Recebem o nome de zonas mortas determinadas áreas dos oceanos onde os níveis de oxigênio sofreram queda e são, por isso, incapazes de sustentar uma vida marinha regular. As causas e consequências desse problema são inúmeras. Essas regiões são, geralmente, sazonais e o processo

Na Série JR desta segunda (18), entenda como o plástico, que é o terceiro material mais utilizado o mundo, torna-se tão agressivo para a natureza, especialmente quando chega ao oceano .

Segundo o estudo, o mais abrangente já realizado sobre o tema, a perda de oxigênio oceânico está estreitamente relacionada ao aquecimento global e à acidificação dos oceanos. Esses fenômenos são causados pelo aumento do dióxido de carbono (CO2), por sua vez consequência das emissões de gases do efeito estufa e da chamada fertilização oceânica.

Tubarões estão entre as espécies mais ameaçadas pela desoxigenação oceânica © picture-alliance/Oceans Image/Photoshot Tubarões estão entre as espécies mais ameaçadas pela desoxigenação oceânica

A maior parte do excesso do calor retido pela Terra é absorvida pelos oceanos, o que inibe a difusão do oxigênio da superfície até a profundez. A fertilização oceânica ocorre devido ao aumento de nutrientes que chegam através dos rios, promovendo a proliferação das algas e a consequente maior demanda de oxigênio à medida que elas se decompõem.

Os oceanos absorvem também cerca de um quarto de todas as emissões geradas por combustíveis fósseis, mas com o aumento da demanda global por energia, teme-se que os mares cheguem a um ponto de saturação. De acordo com a Organização Mundial de Meteorologia, os oceanos estão 26% mais ácidos do que antes da Revolução Industrial.

Bolsonaro participa de formatura de oficiais da Marinha no Rio e reitera que 'país está mudando'

  Bolsonaro participa de formatura de oficiais da Marinha no Rio e reitera que 'país está mudando' Presidente participou de evento acompanhado do prefeito Marcelo Crivella"Todos hoje podem sentir que temos um governo que valoriza a família, respeita o povo e, agora, Deus. A mensagens aos irmãos militares é que nós brasileiros não descansaremos enquanto vocês não gozarem também de democracia e liberdade", afirmou.

Além da ameaça direta à vida de todo o ecossistema marinho , a falta de oxigênio nos oceanos também teria impacto na sociedade humana. Para tentar alertar o mundo e resolver o problema da desoxigenação dos oceanos , Oschlies ajudou a organizar uma conferência internacional sobre o

Toda a vida marinha será afetada por causa das emissões de gás carbônico, que vêm elevando a acidez dos oceanos no mundo, revela um novo estudo. A pesquisa, que durou oito anos, foi conduzida por mais de 250 cientistas. Os resultados apontam que criaturas marinhas em estágio inicial de

O relatório da IUCN indicou que a desoxigenação ocorre principalmente em profundidades médias, entre 300 e mil metros, as mais ricas em biodiversidade. O estudo ressalta que esse fenômeno está alterando o equilíbrio da vida marinha, favorecendo espécies como micróbios, águas-vivas e lulas, em detrimento dos peixes. Espécies como o atum, tubarões e marlim são as que mais sofrem, devido a seu tamanho e demandas de energia.

Ao afetar os ecossistemas marinhos, o declínio do oxigênio também terá impactos negativos para populações que dependem da pesca e comunidades costeiras. Até mesmo uma perda pequena no nível do oxigênio pode gerar impactos significativos, com implicações biológicas e biogeoquímicas complexas e de longo alcance. "Os impactos pode se espalhar e afetar milhões de seres humanos", alerta o relatório.

O relatório aponta ainda que o Mar Báltico e o Mar Negro são os maiores ecossistemas marinhos semifechados com os menores níveis de oxigênio. A desoxigenação também se expandiu drasticamente na maior parte do Atlântico no último século.

CN/efe/afp/dpa/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | App | Instagram | Newsletter

Empresa holandesa coleta plásticos dos rios para fabricar parques e produtos .
A poluição por plásticos é um problema mundial, que nos atinge de variadas maneiras. São toneladas de detritos que se formam ao longo da costa, provocando enchentes e destruindo a vida marinha. Fora as implicações em nossa própria saúde, já que a estimativa é de que, cada ser humano ingira até 120 mil microplásticos por ano. Por isto, empresas ambientalmente conscientes estão procurando maneiras de resolver esta questão, como a holandesa The Recycled Island Foundation (RIF), que está coletando plásticos dos rios para fabricar parques e diversos outros produtos.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 2
Isto é interessante!