Meio Ambiente Desmatamento na Amazônia aumenta 85,3% em 2019, aponta Inpe

01:30  15 janeiro  2020
01:30  15 janeiro  2020 Fonte:   msn.com

Amazônia, agora, é fonte de CO2

  Amazônia, agora, é fonte de CO2 Entre 2010 e 2017, a floresta tropical emitiu mais carbono do que absorveu Imagem: Greenpeace/Divulgação Amazônia está perdendo sua capacidade de retirar da atmosfera dióxido de carbono (CO2), principal gás responsável pelo aumento do efeito estufa, e de atuar como um freio ao processo de aquecimento global. Entre 2010 e 2017, a maior floresta tropical do planeta liberou anualmente, em média, algumas centenas de milhões de toneladas a mais de carbono do que retirou do ar e estocou em sua vegetação e solo.

A área com alertas de desmatamento na Amazônia Legal em 2019 aumentou 85 , 3 % em relação ao ano anterior, segundo dados do sistema Deter, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais ( Inpe ).

O desmatamento na Amazônia Legal brasileira atingiu 920,4 km² em junho, um aumento de 88% em comparação com o mesmo mês no ano passado. Os dados consolidados do mês foram inseridos nesta quarta-feira ( 3 ) no sistema Terra Brasilis, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais ( Inpe ).

(Arquivo) De acordo com o órgão público de referência para medir o desmatamento, entre janeiro e dezembro de 2019 a área com alertas de desmatamento foi de 9.166 km² © NELSON ALMEIDA (Arquivo) De acordo com o órgão público de referência para medir o desmatamento, entre janeiro e dezembro de 2019 a área com alertas de desmatamento foi de 9.166 km²

O desmatamento na Amazônia brasileira aumentou 85,3% em 2019 em relação ao ano anterior, segundo dados oficiais preliminares do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) sobre o primeiro ano de governo de Jair Bolsonaro.

De acordo com o órgão público de referência para medir o desmatamento, entre janeiro e dezembro de 2019 a área com alertas de desmatamento foi de 9.166 km².

Esta cifra é a maior desde 2015 e quase o dobro da registrada em 2018 (4.946 km²).

Focos de incêndio na Amazônia sobem 30% em 2019 na comparação com 2018, diz Inpe

  Focos de incêndio na Amazônia sobem 30% em 2019 na comparação com 2018, diz Inpe Focos de incêndio na Amazônia sobem 30% em 2019 na comparação com 2018, diz InpeNo ano passado, o aumento das queimadas na floresta amazônica gerou críticas internacionais à política ambiental do presidente Jair Bolsonaro, assim como atritos entre ele e o presidente da França, Emmanuel Macron, entre outras personalidades mundiais.

O mês de novembro de 2019 teve recorde no registro de áreas sob alertas de desmatamento na Os dados são do Instituto de Pesquisas Espaciais ( Inpe ), ligado ao Ministério da Ciência, e A taxa oficial de desmatamento é medida pelo Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia

Quando a Amazônia vira pasto? Depois do processo de queimada, para evitar que novas sementes de árvores voltem a germinar, os agricultores O ano de 2019 já é o pior desde 2016 na comparação da área com alertas de desmatamento na Amazônia registrados pelo sistema Deter-B, desenvolvido

Os dados foram coletados com ajuda do sistema DETER, baseado em alertas de desmatamento identificados por satélite. 

Outro sistema utilizado pelo Inpe, o PRODES, considerado mais confiável, mas mais demorado para compilar os dados, mostrou no fim de novembro que o desmatamento da Amazônia brasileira excedeu a faixa de 10.000 km2 pela primeira vez desde 2008, entre agosto de 2018 e julho de 2019, 43% a mais que nos 12 meses anteriores. 

Este foi o primeiro ano de governo de Jair Bolsonaro, cético em relação às mudanças climáticas, partidário de abrir as áreas protegidas da Amazônia às atividades extrativistas.

Em meados do ano passado, ele foi alvo de críticas da comunidade internacional pelo aumento alarmante de queimadas na Amazônia, atribuídos pelos especialistas ao avanço do desmatamento.

O governo prepara o envio ao Congresso de um projeto de legalização da exploração petroleira e de gás e de construção de represas hidroelétricas em terras indígenas.

__________________

Bolsonaro anuncia criação de Conselho da Amazônia, que será comandado por Mourão .
Bolsonaro anuncia criação de Conselho da Amazônia, que será comandado por Mourão"Determinei a criação do Conselho da Amazônia, a ser coordenado pelo vice-presidente @GeneralMourao, utilizando sua própria estrutura, e que terá por objetivo coordenar as diversas ações em cada ministério voltadas para a proteção, defesa e desenvolvimento sustentável da Amazônia", escreveu Bolsonaro no Twitter.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 4
Isto é interessante!