Mulheres: País teve 180 estupros e 720 agressões por dia em 2018, mostra relatório - PressFrom - Brasil

MulheresPaís teve 180 estupros e 720 agressões por dia em 2018, mostra relatório

23:25  10 setembro  2019
23:25  10 setembro  2019 Fonte:   estadao.com.br

Suspeito de estupros em série é preso pela polícia de Goiás

  Suspeito de estupros em série é preso pela polícia de Goiás Suspeito de estupros em série é preso pela polícia de GoiásA delegada Ana Paula Machado é uma das integrantes da força-tarefa que investiga o caso. “Em Goiás, não há nenhum caso parecido com esse”, disse. Segundo ela, entre os casos, está um ocorrido em 2011, quando ele teria estuprado uma mulher e a filha dela, de cinco meses. Na época, o suspeito chegou a ser preso e transferido para o Mato Grosso, seu Estado natal. Entretanto, alguns meses depois, conseguiu fugir e voltou para Goiás. Foi detido novamente no último dia 12 de setembro, em Aparecida de Goiânia.

País teve 180 estupros e 720 agressões por dia em 2018, mostra relatório© GABRIELA BILO / ESTADAO Crianças e adolescentes são a maior parte das vítimas.

SÃO PAULO - O Brasil registrou 180 casos de estupro e 720 agressões em contexto de violência doméstica por dia em 2018, segundo dados divulgados nesta terça-feira, 10, pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Os números de estupro são os maiores desde 2009, ano de início da análise após uma alteração na abrangência da lei. Crianças e adolescentes são a maior parte das vítimas.

'Ligue 180' recebe denúncias sobre assédio e violência contra a mulher

O anuário do Fórum reúne estatísticas policiais de todos os Estados do País. O relatório mostra que os registros de estupro passaram de 63,1 mil para 66 mil entre 2017 e 2018, crescimento de 4,5%. O maior número de crimes absolutos aconteceu em São Paulo, com 12,8 mil casos. Proporcionalmente, a taxa por 100 mil habitantes é maior no Mato Grosso do Sul (70,4).

Bolsonaro sanciona lei que prevê ressarcimento de custos ao SUS por autor de violência doméstica

Bolsonaro sanciona lei que prevê ressarcimento de custos ao SUS por autor de violência doméstica Bolsonaro sanciona lei que prevê ressarcimento de custos ao SUS por autor de violência doméstica

Os pesquisadores se debruçaram sobre o perfil da vítima desse tipo de crime: 81,8% são do sexo feminino, 51% são vítimas negras e em 63% dos casos foi configurado estupro de vulnerável, configurado quando praticado contra pessoas menores de 14 anos ou se a vítima não tinha o discernimento necessário para a prática do ato, não podendo oferecer resistência.

Entre as vítimas do sexo feminino, a faixa etária mais comum é de meninas entre 10 e 13 anos (28,6%), mas também é frequente contra pessoas um pouco ainda mais jovens - 5 a 9 anos (16%) - e um pouco mais velhas, 14 e 15 anos (11,8%). Entre as vítimas do sexo masculino, o crime se concentra contra meninos de 5 a 9 anos (27,2%) e de 10 a 13 anos (18,5%).

Café derramado por piloto levou a pouso de emergência de avião na Irlanda, mostra relatório

Café derramado por piloto levou a pouso de emergência de avião na Irlanda, mostra relatório Café derramado por piloto levou a pouso de emergência de avião na Irlanda, mostra relatório

As estatísticas fez com que o Fórum afirmasse que, a cada hora no País, quatro meninas até 13 anos foram estupradas ao longo de 2018. “As vítimas estão sendo estupradas dentro de casa por alguém que elas conhecem e confiam. Precisamos pensar políticas públicas de enfrentamento a esse enorme desafio, que é vergonhoso do ponto de vista civilizatório, a discussão precisa ser levada para dentro de casa”, disse a diretora executiva do Fórum, Samira Bueno.

Para ela, é necessário desmistificar a concepção que se tem de quem pratica o estupro: temos um pouco a ideia de que o estuprador é alguém que vai aparecer no meio da noite numa rua escura e nos pegar quando sair do metrô. Isso pode acontecer, claro, mas a maior parte dos episódios envolve aquele tio legal, o vizinho bacana. São pessoas absolutamente normais perpetrando esse tipo de violência.”

Quanto à agressão no contexto de violência doméstica, o relatório mostra 263 mil casos em 2018 ante os 252,9 mil casos em 2017. O maior número absoluto desse crime aconteceu em São Paulo, com 50,6 mil registros, e proporcionalmente ele foi mais frequente no Distrito Federal, onde a taxa por 100 mil habitantes a 503,7.

Justiça condena dois acusados de assassinar estudante em porta de boate em Contagem

Justiça condena dois acusados de assassinar estudante em porta de boate em Contagem Jovem de 22 anos foi espancado após reclamar que trio de policiais furou a fila de pagamento na boate do bairro Novo Eldorado . Segundo o inquérito as agressões ao estudante começaram após ele reclamar que os suspeitos furaram a fila de pagamento. App Microsoft Notícias Baixe Agora Publicidade para Android e iOS O policial Jonas Moreira Martins foi condenado por homicídio, com pena de 12 anos de prisão em regime fechado. Segundo o Ministério Público, Jonas foi o principal agressor.

Mafoane Odara, gerente do Instituto Avon, onde desenvolve iniciativas de enfrentamento às violências contra as mulheres e meninas, disse que o assunto tem dois componentes importantes. O primeiro, destacou, é a necessidade de o sistema de Justiça trabalhar com equipes multidisciplinares no momento de investigar e processar os casos. “Todas as outras provas deveriam ser levantadas antes de se chegar na criança. Normalmente, assim como para mulheres, é esperado que a vítima tenha todas as informações organizadas.”

Ela apontou também a necessidade de se discutir o tema apropriadamente com todas as faixas etárias. “Para prevenir, é necessário falar sobre a causa da violência. E temos dificuldade de falar sobre esse tema de forma que as crianças entendam que aquilo que é um desconforto não é natural. Não se pode naturalizar essa violência.”

_______________________

Vídeo: Conheça o 1º adolescente a mudar de gênero no Chile (Reuters)

Planeta perde área de um estado de SP por ano em florestas.
Relatório aponta que desmatamento saltou 43% em todo o mundo desde 2014. Texto destaca ainda a situação no Brasil: antes um caso de sucesso, política de preservação florestal no país se fragilizou sob Bolsonaro. © Getty Images/AFP/J. Laet Segundo relatório, entre 2001 e 2018 Brasil perdeu 55 milhões de hectares de florestas – área equivalente à da Bahia O mundo vem perdendo em média 26 milhões de hectares de cobertura florestal por ano – uma área pouco superior à do estado brasileiro de São Paulo.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 3
Isto é interessante!