Mundo Trump condena 'atos de terrorismo doméstico' e anuncia mobilização de tropas

03:40  02 junho  2020
03:40  02 junho  2020 Fonte:   msn.com

Washington decreta toque de recolher após protestos por Floyd

  Washington decreta toque de recolher após protestos por Floyd Segundo jornal, Trump se refugiou em bunker da Casa BrancaA medida foi tomada após um aumento dos atos na capital do país o que, segundo o jornal "The New York Times", também fez com que o presidente Donald Trump e sua família fossem levados para o bunker da Casa Branca na sexta-feira (29/5).

O Senado brasileiro aprovou nesta semana um projeto de decreto legislativo para cooperação entre países do Mercosul para a criação de equipes conjuntas de investigação (ECI), a fim de reforçar a cooperação penal entre os Estados partes e os Estados associados para o combate ao crime

São atos de terror doméstico . A destruição da vida de inocentes, o derramamento de sangue de inocentes são crimes contra Deus", afirmou o republicano. Além disso, Trump disse que faria "o possível" para garantir cumprimento ao toque de recolher. Diversas cidades dos EUA, inclusive Nova

O presidente americano, Donald Trump, segura uma bíblia em frente à igreja episcopal Saint John no parque Lafayette, em Washington, DC, em 1º de junho de 2020 © Brendan Smialowski O presidente americano, Donald Trump, segura uma bíblia em frente à igreja episcopal Saint John no parque Lafayette, em Washington, DC, em 1º de junho de 2020

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, denunciou "atos de terrorismo doméstico" depois que protestos contra a morte de um homem negro desarmado por um policial branco geraram cenas de violência em todo o país e anunciou a mobilização de "milhares de soldados" para conter estes atos.

"Estes não são atos de protestos pacíficos, são atos de terrorismo doméstico", disse Trump, durante discurso nos jardins da Casa Branca nesta segunda-feira (1), enquanto do lado de fora bombas de gás lacrimogênio eram atiradas pela Polícia na direção dos manifestantes para conter os protestos.

Para Trump protestos contra morte de George Floyd são ‘terrorismo’

  Para Trump protestos contra morte de George Floyd são ‘terrorismo’ Donald Trump, classificou os protestos antirracistas contra a morte de George Floyd de "terrorismo doméstico", em discurso na Casa Branca“Estes não são atos de protestos pacíficos, são atos de terrorismo doméstico”, disse Trump, enquanto do lado de fora da Casa Branca, bombas de gás lacrimogênio eram atiradas na direção aos manifestantes que protestavam contra a condução do presidente frente as reivindicações.

O presidente Donald Trump disse neste domingo que os Estados Unidos classificarão o movimento Antifa como um grupo terrorista depois de culpá-lo pelos protestos nas cidades dos país. "Os Estados Unidos da América designarão o ANTIFA como organização terrorista", anunciou Trump no Twitter

O Ministério Público de São Paulo vai apurar uma eventual prática de terrorismo doméstico no massacre que deixou 10 mortos no ataque à Escola Guilherme Taucci estava armado com um revólver, calibre 38, quatro carregadores de munição, além de um coldre para guardar o armamento.

Em meio a uma onda de manifestações contra o assassinato, há uma semana, em Minneapolis de George Floyd por Derek Chauvin, um policial branco, Trump anunciou a mobilização de milhares de soldados armados em Washington, depois dos distúrbios da noite de domingo, qualificando-os de uma "desonra".

Ele também pediu aos governadores que "mobilizem a Guarda Nacional em quantidade suficiente capaz de controlar as ruas".

"O que aconteceu na cidade ontem à noite é uma desonra absoluta", disse Trump.

"Estou enviando milhares e milhares de soldados fortemente armados, pessoal militar e agentes das forças de ordem", completou, explicando que deslocará os soldados para conter "os distúrbios, os saques, o vandalismo, os ataques e a destruição gratuita da propriedade"

64% dos norte-americanos simpatizam com as manifestações, diz pesquisa

  64% dos norte-americanos simpatizam com as manifestações, diz pesquisa Maioria reprova resposta de Trump. Levantamento da Reuters/Ipsos mostra que a maioria dos norte-americanos simpatiza com as manifestações pela morte de George Floyd. Segunda a pesquisa, 64% responderam ter simpatia pelas pessoas que estavam nos atos, 27% disseram que não e 9% não tinham certeza.O levantamento foi feito via internet nos dias 1º e 2 de junho de 2020 com 1.004 pessoas em todo os Estados Unidos. A margem de erro é de 4 pontos percentuais.

O presidente frequentemente os condena como agitadores de esquerda e agora tenta transformar os antifas em bode expiatório de protestos contra a injustiça racial e a violência policial. Trump quer designá-los como organização terrorista, mas tudo indica que se trata de mais uma de suas bravatas.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump , condenou os atentados de Londres e prometeu que o terrorismo vai acabar. Antes, o americano havia criticado o

Ao concluir sua fala nos jardins da Casa Branca, o presidente anunciou que iria a um lugar "muito, muito especial" e foi a pé da Casa Branca até a igreja Episcopal de Saint John, um edifício histórico próximo à sede do Executivo, chamada de "igreja dos presidentes", danificado na noite passada por um incêndio desatado durante os protestos antirracismo.

Esta explosão de protestos é a mais generalizada que os Estados Unidos veem desde 1968, quando várias cidades do país sofreram incêndios após o assassinato do líder negro símbolo da luta pelos direitos civis, Martin Luther King Jr.

Estes incidentes também são uma reminiscência da violência que sacudiu Los Angeles em 1992 por uma onda de revolta depois que quatro policiais foram absolvidos após espancarem brutalmente o motorista negro Rodney King.

bur-an/lda/mvv

Trump vai retomar campanha eleitoral em quatro estados .
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta quarta-feira (10) que retomará os atos de sua campanha eleitoral em quatro estados, incluindo a Flórida, muito disputada. O encontro com apoiadores daquela cidade acontecerá na sexta-feira da semana que vem e será seguido de atos em Flórida, Arizona e Carolina do Norte, segundo o presidente. "Todos serão grandes", assinalou.Trump não esconde sua ansiedade para retornar aos palanques. Os discursos inflamados foram a marca de sua primeira campanha para a presidência e são considerados uma ferramenta importante para mobilizar seus eleitores.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 0
Isto é interessante!