Mundo Líderes religiosos reagem indignados a gesto de Trump com a Bíblia

05:36  03 junho  2020
05:36  03 junho  2020 Fonte:   msn.com

Califórnia vai reabrir templos religiosos e lojas de varejo

  Califórnia vai reabrir templos religiosos e lojas de varejo Califórnia vai reabrir templos religiosos e lojas de varejoO Departamento de Saúde Pública da Califórnia disse que empresas, igrejas, sinagogas e mesquitas poderão reabrir com 25% da ocupação máxima, e com algumas outras restrições.

Líderes religiosos americanos criticaram duramente nesta terça-feira (2) a decisão do presidente Donald Trump de posar com uma Bíblia em frente a uma igreja, minutos depois de ordenar uma repressão a um protesto contra a morte de um cidadão negro por um policial branco.

#Planalto #Religião # Trump . Religiosos de trump chegam para serem acolhidos no planalto.

Donald Trump em frente à Igreja Episcopal de São João em Washington em 1 de junho de 2020 © Brendan Smialowski Donald Trump em frente à Igreja Episcopal de São João em Washington em 1 de junho de 2020

Líderes religiosos americanos criticaram duramente nesta terça-feira (2) a decisão do presidente Donald Trump de posar com uma Bíblia em frente a uma igreja, minutos depois de ordenar uma repressão a um protesto contra a morte de um cidadão negro por um policial branco.

"Foi traumático e profundamente ofensivo no sentido de que algo sagrado foi mal utilizado para um gesto político", denunciou na rádio pública NPR Mariann Budde, episcopisa da diocese de Washington, à qual pertence a igreja de Saint John, que Trump visitou.

Cantora Taylor Swift diz que Trump 'inflama a supremacia branca'

  Cantora Taylor Swift diz que Trump 'inflama a supremacia branca' A cantora pop Taylor Swift mirou em Donald Trump nesta sexta-feira, depois que o presidente americano sugeriu que a aplicação da lei poderia permitir atirar em manifestantes indignados com o assassinato de um homem negro pela polícia em Minneapolis. Trump gerou polêmica com um tuíte publicado tarde da noite sobre os protestos violentos contra a polícia em Minneapolis, em que chamou os manifestantes de "BANDIDOS" e ameaçou com uma intervenção militar.Centenas de soldados foram mobilizados nas ruas de Minneapolis e St. Paul nesta sexta-feira, após a terceira noite de protestos violentos contra a violência policial envolvendo a população negra.

Bispa diz que Trump usou igreja e Bíblia de forma 'profundamente ofensiva'. Em pronunciamento, o presidente norte-americano falou que também está revoltado com a morte brutal do ex-segurança George Floyd e que é aliado de todos

Os líderes europeus reagiram à vitória surpresa de Donald Trump nas presidenciais norte-americanas. A chanceler Angela Merkel, que via com bons olhos a

O presidente usou "o poder simbólico do nosso texto sagrado, segurando-o na mão como se fosse uma reivindicação de suas posições e sua autoridade", acrescentou Budde.

A Igreja de Saint John, um edifício histórico perto da Casa Branca, é um templo episcopal protestante que foi danificado no domingo à noite em meio aos protestos.

Mas na segunda-feira os manifestantes protestavam pacificamente quando foram dispersados com bombas de gás lacrimogêneo para que Trump caminhasse por alguns metros entre a Casa Branca e o templo, onde posou para fotos.

O protesto e a repressão foram transmitidos ao vivo em muitas emissoras, então as críticas vieram rapidamente.

"Naquele momento, o protesto era totalmente pacífico", disse Budde. "Não havia justificativa para isso", acrescentou.

Trump condena 'atos de terrorismo doméstico' e anuncia mobilização de tropas

  Trump condena 'atos de terrorismo doméstico' e anuncia mobilização de tropas O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, denunciou "atos de terrorismo doméstico" depois que protestos contra a morte de um homem negro desarmado por um policial branco geraram cenas de violência em todo o país e anunciou a mobilização de "milhares de soldados" para conter estes atos. "Estes não são atos de protestos pacíficos, são atos de terrorismo doméstico", disse Trump, durante discurso nos jardins da Casa Branca nesta segunda-feira (1), enquanto do lado de fora bombas de gás lacrimogênio eram atiradas pela Polícia na direção dos manifestantes para conter os protestos.

A decisão de Donald Trump tem merecido reações por parte de vários líderes mundiais, de diferentes geografias e interesses geopolíticos. “O estatuto legal, religioso e histórico de Jerusalém requer cuidado na maneira como lidamos com este tema sensível, que tem a ver com a identidade nacional

Na sexta-feira, o presidente norte-americano, Donald Trump , anunciou que os Estados Unidos vão interditar a entrada de cidadãos chineses que representam um "risco" para a segurança do país. A medida pode afetar estudantes chineses ligados a universidades vinculadas às forças armadas da

Na segunda-feira, antes de visitar o templo, Trump adotou um tom marcial em um discurso solene à nação, no qual ameaçou mobilizar os militares para reprimir os maiores protestos raciais vistos no país desde os anos 1960.

Milhares de pessoas têm ido às ruas protestar desde 25 de maio, quando George Floyd, um cidadão negro de 46 anos, morreu quando era detido pela polícia em Minneapolis.

Os protestos foram em grande parte pacíficos, mas houve tumultos à noite, apesar do toque de recolher imposto em várias grandes cidades.

Outros líderes da Igreja Episcopal dos Estados Unidos denunciaram a visita de Trump como "um evento embaraçoso e moralmente repugnante".

"Simplesmente pelo fato de segurar uma Bíblia fechada, ele acreditou que ganharia o apoio dos cristãos", disseram os bispos da Nova Inglaterra, uma região na costa leste dos Estados Unidos, em um comunicado.

Na terça-feira, o magnata republicano, que busca a reeleição em novembro, visitou o monumento em homenagem ao papa João Paulo II, no nordeste de Washington, gerando desconforto entre os líderes católicos.

"Acho desconcertante e reprovável que um lugar católico possa ser usado e manipulado de maneira a violar os princípios religiosos mais básicos", disse o arcebispo de Washington, Wilton Gregory, em comunicado.

O pontífice, que morreu em 2005, "certamente não toleraria o uso de gás lacrimogêneo e outros elementos para silenciar, dispersar ou intimidar" antes de fotografar em um local de culto, acrescentou.

cyj/dax/st/bgs/an/mls/jc/mvv

Polícia de Minneapolis será desmantelada e reformada .
Conselho Comunal definiu que reestruturação seguirá novo modelo    "Nosso objetivo é reformar e reconstruir junto com toda a nossa comunidade um novo modelo de segurança pública que deve garantir a segurança de todos", informou o Conselho.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 0
Isto é interessante!