Mundo Protestos se intensificam nos EUA em resposta a Trump

07:26  03 junho  2020
07:26  03 junho  2020 Fonte:   msn.com

Twitter marca mensagem de Trump sobre protestos de Minneapolis por "glorificar a violência"

  Twitter marca mensagem de Trump sobre protestos de Minneapolis por O Twitter marcou uma mensagem do presidente americano Donald Trump sobre os protestos de Minneapolis por considerar que "glorifica a violência" e, embora considere que o tuíte viola suas regras, a rede social decidiu que o texto não será removido. "Este tuíte violou as regras do Twitter sobre glorificar a violência. No entanto, o Twitter determinou que pode ser do interesse do público que o tuíte permaneça acessível", explicou a rede social.Trump assinou na quinta-feira um decreto para limitar a proteção das redes sociais e a flexibilidade que possuem para a publicação de conteúdo.

Os protestos motivados pela morte de um cidadão negro por um policial branco se intensificaram nesta terça-feira (2) nos Estados Unidos diante da indignação provocada pela ordem do presidente Donald Trump de reprimir uma manifestação pacífica e sua ameaça de mobilizar o Exército.

Trump investe de forma agressiva, mas também sofre fracassos. Numa perspectiva de longo prazo, no entanto, obtém sucesso, como por exemplo com a Trump Tower em Nova York. Ele calcula a sua fortuna hoje em 10 bilhões de dólares. Especialistas, entretanto, consideram um terço desse valor

O ex-vice-presidente americano, Joe Biden, durante discurso na Filadélfia, em 2 de junho de 2020 © JIM WATSON O ex-vice-presidente americano, Joe Biden, durante discurso na Filadélfia, em 2 de junho de 2020

Os protestos motivados pela morte de um cidadão negro por um policial branco se intensificaram nesta terça-feira (2) nos Estados Unidos diante da indignação provocada pela ordem do presidente Donald Trump de reprimir uma manifestação pacífica e sua ameaça de mobilizar o Exército.

Una protesta con el racismo y el abuso policial en Nueva York el 2 de junio de 2020 © Johannes EISELE Una protesta con el racismo y el abuso policial en Nueva York el 2 de junio de 2020

Apesar da pandemia do novo coronavírus, que deixou mais de 106.000 mortos nos Estados Unidos, a morte por asfixia há oito dias de George Floyd, em Minneapolis, enquanto era imobilizado pelo policial, levou multidões às ruas, nos maiores protestos registrados no país em décadas.

Trump recua após ameaça de tiroteio em manifestações de Mineápolis

  Trump recua após ameaça de tiroteio em manifestações de Mineápolis Trump recua após ameaça de tiroteio em manifestações de MineápolisDepois que seu comentário online de que "saques levam a tiroteio" atraiu um aviso do Twitter e uma ampla condenação dos democratas, Trump disse que entendeu porque o incidente provocou protestos em todo o país sobre a violência policial contra afro-americanos.

Os protestos contra a morte de um cidadão negro pelas mãos da polícia se intensificaram na noite de segunda-feira nos Estados Unidos, com saques e A resposta de Trump aos maiores distúrbios em décadas foi criticada por Joe Biden, que provavelmente será o candidato dos democratas nas

protestos nos Estados Unidos, pelo menos quatro mil pessoas foram detidas e o recolher obrigatório foi imposto em várias cidades, incluindo Washington e Nova Iorque, mas diversos comentários do Presidente norte-americano, Donald Trump , contra os manifestantes têm intensificado os protestos .

Manifestação 'Black Lives Matter' (Vidas negras importam) em Saint Paul, Minnesota, em 2 de junho de 2020 © CHANDAN KHANNA Manifestação 'Black Lives Matter' (Vidas negras importam) em Saint Paul, Minnesota, em 2 de junho de 2020

A cinco meses das eleições presidenciais, Trump aumentou as tensões, após ameaçar na segunda-feira mobilizar o Exército para impor a ordem depois que, à margem de protestos, se registraram distúrbios com saques em várias cidades.

"Me ofende o fato de que esteja disposto a mobilizar os militares", disse à AFP Amore, estudante do ensino médio de 16 anos, que protestava em Nova  York, onde milhares de pessoas foram às ruas protestar pacificamente nesta terça.

As autoridades da cidade estenderam até 7 de junho o toque de recolher, uma medida que não era usada desde a Segunda Guerra Mundial, depois dos saques registrados na noite de segunda.

Trump foi levado para bunker durante protestos em frente à Casa Branca

  Trump foi levado para bunker durante protestos em frente à Casa Branca Informação divulgada pela CNN

Donald Trump anunciou a mobilização de militares fortemente armados e de polícias para as ruas de Washington e apela aos governadores estaduais para fazerem o que for preciso para reporem a ordem. EM REPRODUÇÃO: IRS. Protestos EUA .

Veja seis perguntas e respostas sobre os maiores protestos civis no país em muitos anos. Manifestações pacíficas logo se tornaram Em alguns lugares, a polícia efetuou o disparo de balas de borracha, gás lacrimogêneo e granadas contra os manifestantes, que em resposta lançaram objetos

- Trump ataca seus adversários -

Na noite de terça-feira, apesar do toque de recolher, uma multidão permanecia reunida em frente à Casa Branca.

"Estamos cansados de ver as notícias de que matam pessoas de forma habitual (...) Isto acontece há tempo demais", disse à AFP Caleb, um manifestante que participa dos protestos há quatro dias em Washington, onde na segunda-feira à noite ocorreram mais de 300 detenções.

A cidade tinha um forte contingente de segurança depois do registro, durante o dia, de manifestações espontâneas em frente ao Capitólio e ao memorial de Lincoln. Dois helicópteros sobrevoavam os atos, enquanto a polícia pedia às pessoas a obedecerem o toque de recolher.

Principais distúrbios por motivos raciais nos EUA desde 1965. © Nicolas RAMALLO Principais distúrbios por motivos raciais nos EUA desde 1965.

Trump reiterou nesta terça a ameaça de mobilizar o Exército e afirmou que na noite passada Washington "foi o local mais seguro da Terra".

‘Trump transformou este país em 1 campo de batalha’, diz Joe Biden

  ‘Trump transformou este país em 1 campo de batalha’, diz Joe Biden Criticou 'ego cego' do republicano. País tem atos contra violência policial.Biden criticou a forma com que o republicano age frente à onda de protestos em solidariedade a George Floyd, segurança negro morto depois de violenta abordagem policial em Minneapolis.

Houve protestos também em frente à Casa Branca, que seguiam de forma pacífica, mas foram dispersados com bombas. Em seguida, Trump caminhou pela rua até uma igreja próxima e posou para fotos segurando uma bíblia. Casa Branca fica às escuras em nova noite de violência nos EUA .

A China prometeu nesta segunda-feira ao governo dos Estados Unidos uma resposta após os anúncios do presidente Donald Trump , que deseja limitar a entrada de cidadãos chineses em seu REPRODUZINDO AGORA: Vídeo. China responde Trump e promete contra-ataque aos EUA . AFP.

O mandatário, que se apresentou como o presidente da "lei e da ordem", também atacou seus adversários e criticou a gestão da segurança em Nova York - onde democratas governam o estado e a cidade -, afirmando que cederam à "escória".

As imagens do afroamericano George Floyd sendo asfixiado por um policial branco até a morte, em Minneapolis, seguem gerando uma onda de revolta no mundo. Nesta terça-feira, diversos países registraram mobilizações contra a violência policial. © Julia BENARROUS As imagens do afroamericano George Floyd sendo asfixiado por um policial branco até a morte, em Minneapolis, seguem gerando uma onda de revolta no mundo. Nesta terça-feira, diversos países registraram mobilizações contra a violência policial.

Apesar dos incidentes e das críticas do governador do estado de Nova York, Andrew Cuomo, que disse que a Polícia e o município "não fizeram seu trabalho", o prefeito da cidade, Bill De Blasio, se negou a mobilizar a Guarda Nacional, considerando que a Polícia podia fazer frente à situação.

- Polícia sob investigação -

Em Houston, uma cidade com uma importante comunidade negra, onde George Floyd passou a infância, cerca de 60.000 pessoas participaram de uma passeata, segundo o prefeito.

Em Minnesota, onde fica a cidade de Minneapolis, as autoridades anunciaram que vão abrir uma investigação sobre os possíveis abusos por parte da polícia nos últimos dez anos.

Trump pressiona com resposta militar e EUA esperam mais protestos

  Trump pressiona com resposta militar e EUA esperam mais protestos Trump pressiona com resposta militar e EUA esperam mais protestosNOVA YORK/MINNEAPOLIS (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta terça-feira que as tropas do país devem ir às ruas da cidade de Nova York para reprimir distúrbios, enquanto autoridades por todo o país se preparam para mais uma noite de protestos pela morte de um homem negro morto sob custódia policial.

A China prometeu nesta segunda-feira ao governo dos Estados Unidos uma resposta após os anúncios do presidente Donald Trump , que deseja limitar a entrada de cidadãos chineses em seu REPRODUZINDO AGORA: Esportes. China responde Trump e promete contra-ataque aos EUA . AFP.

Presidente Donald Trump aproveita a situação para tentar ganhar pontos com seu eleitorado. Prédio em ruínas após vandalismo em Minneapolis durante protestos antirracistas. Um caso trágico, mas infelizmente não uma exceção em se tratando de violência policial racista nos EUA .

"Temos que aproveitar este momento para mudar tudo", disse a vice-governadora, Penny Flanagan.

A pandemia cristalizou muitas das desigualdades que a comunidade negra sofre nos Estados Unidos, de um risco maior de morrer do novo coronavírus, a taxas de desemprego duas vezes maiores que as dos brancos.

A resposta de Trump aos maiores distúrbios em décadas foi criticada por Joe Biden, virtual candidato presidencial democrata nas eleições de novembro.

Em um discurso nesta terça na Filadélfia, Biden disse que os protestos são um "chamado de alerta" e prometeu que, se for eleito, vai lutar contra o "racismo sistêmico".

E em um gesto pouco habitual, o ex-presidente republicano George W. Bush fez um apelo ao país para examinar seus "trágicos fracassos" para por fim ao "racismo sistêmico".

- "Discriminação racial endêmica" -

Nas redes sociais, a hashtag "Black Out Tuesday" tingiu de preto Twitter, Facebook e Instagram nesta terça, enquanto os protestos se estenderam a outros países com mobilizações na França, em Israel, na Austrália e na Argentina, entre outros.

Em Paris, por exemplo, o protesto foi dedicado a Adama Traoré, um homem negro morto em 2016 ao ser preso.

"O que acontece nos Estados Unidos provoca um eco ao que acontece na França", disse à AFP a irmã do falecido, Assa Traoré.

De Genebra, a Alta Comissária da ONU para os direitos humanos, Michelle Bachelet, disse que as manifestações expõem a "discriminação racial endêmica" nos Estados Unidos.

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) condenou "o assassinato de George Floyd" e expressou seu pesar pelos "atos violentos registrados no contexto das recentes manifestações como reação à violência policial contra afro-americanos" nos Estados Unidos.

bur-an/lda/mvv

Trump ordena retirada da Guarda Nacional de Washington .
Trump ordena retirada da Guarda Nacional de Washington , D.C., alegando que a situação está sob controle, após protestos contra o racismo e a brutalidade policial."Acabei de dar a ordem para que a Guarda Nacional iniciasse o processo de retirada de Washington, D.C., agora que tudo está sob perfeito controle", tuitou Trump. "Eles vão voltar para casa, mas podem retornar rapidamente, se necessário", acrescentou. "Houve muito menos manifestantes do que o previsto ontem à noite (sábado)!", completou.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 0
Isto é interessante!