Mundo Ex-número 2 de Mandetta diz que pandemia 'ainda não começou' em áreas do sul do país

05:55  04 junho  2020
05:55  04 junho  2020 Fonte:   msn.com

Brasil supera as 25.000 mortes por COVID-19

  Brasil supera as 25.000 mortes por COVID-19 O Brasil registrou nesta quarta-feira (27) 1.086 novas mortes e 20.599 casos de COVID-19 em 24 horas, superando a marca de 25.000 falecidos e 400.000 contágios na pandemia, cujo epicentro mundial agora é a América Latina. Esta é a segunda vez que o país tem mais de 20.000 casos em um único dia, de acordo com os balanços publicados pelo Ministério da Saúde. O Brasil totalizava até esta quarta-feira 411.821 casos e 25.598 mortes por COVID-19. No entanto, para especialistas o número de contagiados pode ser até 15 vezes maior, devido à subnotificação provocada pela falta de exames.

EL PAÍS 1 hora atrás Felipe Betim. © Foto: ERASMO SALOMAO O médico infectologista Julio Croda, em 14 O médico infectologista Julio Croda trabalhou no Ministério da Saúde quando Luiz Henrique Mandetta O Rio Grande do Sul tem um programa de flexibilização, São Paulo lançou o seu, Minas

De acordo com o Presidente, o país vai contar ainda com outros dois hospitais de campanha, que serão montados nas províncias de Cabinda e "Estamos preocupados com a fronteira norte", disse João Lourenço. O Hospital de Campanha da Zona Económica Especial conta com uma área para

João Gabbardo em foto de 27 de fevereiro de 2020 © Sergio LIMA João Gabbardo em foto de 27 de fevereiro de 2020

O ex-secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, afirma que a pandemia do novo coronavírus "ainda não começou" em regiões do sul do Brasil, onde a rede hospitalar poderia ser posta à prova nas próximas semanas.

Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná figuram na lista dos estados brasileiros com menos casos proporcionalmente e têm menos de 30 óbitos por milhão de habitantes. Comparativamente, Belém, a capital do Pará, lidera a lista com 900 mortes por milhão de habitantes.

Em entrevista com AFP, Gabbardo, de 64 anos, explicou que é muito difícil estabelecer uma curva única para o país, que já conta com mais de 550.000 casos e 31.000 mortes de COVID-19, e que poderia seguir um padrão similar ao da Itália, onde a pandemia atingiu com mais força a região norte.

Informes da Abin destacam benefício da quarentena e citam subnotificação

  Informes da Abin destacam benefício da quarentena e citam subnotificação Documentos da Agência Brasileira de Inteligência enviados ao Palácio do Planalto contêm relatórios contrários ao discurso do presidente Jair Bolsonaro e alertam o governo, por exemplo, sobre necessidade do isolamento social para conter avanço da doençaBRASÍLIA - A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) adota, em documentos endereçados ao Palácio do Planalto e a ministérios, um discurso radicalmente oposto ao do presidente Jair Bolsonaro sobre a pandemia do coronavírus. Um lote de 47 relatórios diários, num total de 950 páginas, alertou o governo sobre a necessidade do isolamento social para conter a doença.

O ex -ministro Luiz Henrique Mandetta falava na ocasião sobre o uso de tecnologias para identificar infecções Quem entra no site pode checar no mapa quantos pontos azuis, amarelos e vermelhos existem em uma região e Faissal diz que há urgência em fazer tudo voltar a funcionar normalmente.

O ex -ministro Luiz Henrique Mandetta falava na ocasião sobre o uso de tecnologias para identificar infecções O epidemiologista diz que isso pode levar o mapa a indicar menos casos do que existem na realidade País é o 2 º em número de casos e o 4º em óbitos, atrás de EUA, Reino Unido e Itália.

Agora membro do Centro de Contingência do combate ao coronavírus em São Paulo, o médico gaúcho destacou que a gestão junto ao ex-ministro Luiz Henrique Mandetta foi caraterizada pelo apego à ciência e pela transparência.

Pergunta: Em que ponto da curva está o Brasil?

Resposta: A gente tem dito que não temos uma curva no país. O Brasil é muito grande e tem muitas diferenças por estados, nós temos várias curvas. Temos locais no sul do país onde não começou a epidemia. Tem locais como Manaus, Belém, Fortaleza, em que já passou o pico, alguns já estão na fase de platô e alguns estão na fase descendente. Nós entendemos que São Paulo se encontra próximo desse platô, quem sabe já tenha atingido esse platô, teremos certeza disso nas próximas semanas, mas estamos longe de pensarmos que estamos numa curva descendente.

Brasil chega a 32.548 mortes por Covid-19, em 2º recorde diário consecutivo de óbitos no país

  Brasil chega a 32.548 mortes por Covid-19, em 2º recorde diário consecutivo de óbitos no país SAUDE-HEALTH-CORONAVIRUS-BR-JUN03:Brasil chega a 32.548 mortes por Covid-19, em 2º recorde diário consecutivo de óbitos no paísOs novos casos somaram 28.633, elevando o acumulado para 584.016.

Rodrigo Maia sobre pandemia : ‘Previsões de Mandetta estão se cumprindo’. Vazamento de grupo hacker. Luciano Hang diz que teve dados pessoais usados para pedir auxílio emergencial. Miguel Nicolelis comenta. Brasil é um dos países escolhidos para testar vacina contra a Covid-19.

País ainda luta contra o novo coronavírus e o pior surto de sarampo do mundo. Mbandaka já havia sido atingada por um outro surto de ébola, em 2018. Em 16 de maio, a República Democrática do Congo confirmou que havia dado alta ao último paciente infectado com ebola no nordeste do país .

Pergunta: A cidade de São Paulo estará atingindo, então, o pico nos próximas semanas?

Resposta: Acredito que sim pelos dados que a gente tem. Não significa que não esteja aumentando, mas que está aumentando numa velocidade menor (...) Com a exceção dos casos novos, eles vão continuar aumentando e muito, porque estamos testando muito mais, antes estávamos testando apenas os casos graves. Hoje estamos testando os pacientes leves, tanto pessoas que estão doentes com poucos sintomas como de quem teve a doença tempos atrás. Isso vai elevar consideravelmente a informação sobre novos casos. Esse aumento de número de casos não necessariamente é o aumento da transmissibilidade.

Pergunta: Devemos esperar uma diminuição no número de óbitos em São Paulo?

Resposta: A gente espera que haja [uma diminuição] para caraterizar essa redução na epidemia e na velocidade de crescimento. Diminuir a velocidade significa que quando comparo uma semana com a outra, o número de óbitos deve ser menor do que o da semana anterior.

Ministério nega atraso proposital na divulgação de recorde de mortos pela covid-19

  Ministério nega atraso proposital na divulgação de recorde de mortos pela covid-19 No dia em que o Brasil registrou 1.349 mortes, número foi divulgado apenas às 22h“Essas situações podem acontecer, porque esse processo de checagem é muito variável”, disse o secretário substituto de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário nesta quinta-feira, 4.

A atual onda de manifestações começou em 25 de maio com a morte do ex -segurança negro George Floyd durante uma abordagem policial em Minneapolis. As imagens reacenderam a questão racial dos Estados Unidos e deram início a uma série de protestos antirracismo que tomaram conta do país .

"Quando me disseram no serviço telefônico médico que eu provavelmente tinha covid-19, imediatamente entendi a urgência de vir aqui – esta O centro faz parte do plano da França de combater a pandemia – e impedir um novo lockdown. Mas os críticos dizem que o fim não justifica

Pergunta: Qual é a situação no sul do país?

Resposta: No sul do país o teste sorológico que foi feito mostra que menos de 1% apresentam anticorpos, 99% da população do Rio Grande do Sul ainda não teve contato com o vírus. Podem acontecer duas coisas: pode acontecer como na Itália, que teve um número muito grande de óbitos no norte e não no sul. A distribuição da pandemia não é muito homogênea. Mas temos muito receio porque historicamente no Rio Grande do Sul e na Santa Catarina as próximas 4 semanas é o período em que todos anos há um volume muito maior de doenças respiratórias por conta do inverno. Se isso acontecer junto com o aumento dos casos de COVID-19 pode ser uma pressão muito alta para que os estados possam garantir todo o atendimento. Agora, a região sul tem historicamente melhor oferta de leitos, bons hospitais, e pode ser que enfrente isso não com tanta dificuldade quanto os estados da região norte.

Pergunta: Qual é o epicentro da pandemia no Brasil atualmente?

Resposta: Norte do país. Hoje os quatro estados que têm o maior número de casos confirmados relacionados à população, não em número absolutos, são o Amapá, Amazonas, Acre e Roraima. Se nós pegarmos os óbitos com exceção do Ceará, que é o segundo, dos três estados, Amazonas e Pará são da região norte.

Ministério atrasa divulgação de infectados e mortos por covid-19 pelo terceiro dia seguido

  Ministério atrasa divulgação de infectados e mortos por covid-19 pelo terceiro dia seguido Ministério atrasa divulgação de infectados e mortos por covid-19 pelo terceiro dia seguidoPara justificar o atraso, a pasta informou nesta sexta-feira, 5, que os dados são fornecidos por secretarias de Estados e municípios e, em alguns casos, há "necessidade de checagem junto aos gestores locais.

Sul de Minas. No 1º trimestre, a produção industrial registrou queda de 2 ,6%, na comparação com o 4º trimestre, refletindo apenas os primeiros reflexos da pandemia no país e no comércio exterior. Assassinato de ex -segurança negro por policial branco gerou onda de revolta no país .

Mato Grosso do Sul . Fraudes envolvendo pagamentos de auxílio do governo vêm sendo registrados em diversos países , inclusive no Brasil. Impacto da pandemia no interior está por vir ainda, diz ministro interino. Falta de estrutura para atender doentes nas cidades pequenas é um agravante.

Pergunta: A reabertura não é prematura?

Resposta: Temos locais nos quais já é possível, com controle, pelos indicadores, dar tratamentos diferentes para cenários epidemiológicos diferentes. É isso que a gente preconiza, não é flexibilização. Nós temos cenários que permitem que haja uma redução nas medidas de isolamento e tem locais que a gente vai preconizar que sejam ainda mais intensas as medidas de isolamento.

Pergunta: O senhor poderia fazer uma análise da gestão feita no Ministério da Saúde?

Resposta: Acho que nós trabalhamos no Ministério da Saúde sempre muito sincronizados com as orientações da OMS e sempre muito baseados nas evidências científicas. Desde o primeiro momento, montamos um comitê de combate à crise com especialistas de todas áreas e sempre ouvimos esse comitê para todas as medidas que foram tomadas. Não eram medidas que saíam do que o ministro pensava ou do que o secretário-executivo pensava (...) E a outra caraterística era a da transparência. Desde o princípio, optamos em informar diariamente o país de tudo o que estava acontecendo, desde o primeiro caso, desde o primeiro óbito. Passamos a dar coletivas diárias, fizemos isso da forma mais transparente possível, todos tinham as informações, todos sabiam o que estava acontecendo.

Pergunta: O senhor vê alguma mudança na política comunicacional do Ministério?

Resposta: Eu não gostaria de fazer comentários sobre a atuação do Ministério. Acho que é um momento muito difícil e a gente tem que estar junto, tentando achar soluções para combater a epidemia, reduzir o número de óbitos. Essa polarização, acho que para esse processo que estamos vivenciando agora, não é o melhor.

pr/js/mvv

Brasil supera EUA e Reino Unido e é o primeiro do mundo na média diária de mortes pelo coronavírus .
Nos últimos sete dias, o Brasil registrou 7.096 mortes pela covid-19, média de 1.013 por dia, segundo números da Organização Mundial da Saúde (OMS). Os EUA, que encabeçam a lista de óbitos pela pandemia registrou no mesmo período 5.762 mortes, média de 823 por dia. Já o Reino Unido, que ocupa o segundo lugar na lista de óbitos, contabilizou nos últimos sete dias 1.552 mortes, média de 221 por dia.O Brasil também bate países onde a curva da doença é ascendente, como o México, que registrou 3.886 mortes por covid19 ena última semana, média de 555 por dia.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 3
Isto é interessante!