Mundo TSE determina que ações contra chapa Bolsonaro-Mourão retornem à fase de produção de provas

05:40  01 julho  2020
05:40  01 julho  2020 Fonte:   reuters.com

Governo e Judiciário movem as peças no xadrez político do TSE e do STF

  Governo e Judiciário movem as peças no xadrez político do TSE e do STF Governo e Judiciário movem as peças no xadrez político do TSE e do STFQuem evocou essa metáfora do esporte foi o filho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), ao se queixar da prisão do ex-assessor, Fabrício Queiroz, na última semana, na casa do advogado da família, em Atibaia (SP). Ele disse que se tratava de uma tentativa de atingir o pai, já sob o olhar de outras duas instâncias judiciais.

(9) o julgamento de duas ações que pedem a cassação da chapa de Jair Bolsonaro e seu vice Hamilton Mourão . O ministro Edson Fachin votou pela permissão da produção de novas provas . O último processo, já julgado improcedente e em fase de recurso, apura uso indevido dos meios de

As ações em trâmite no TSE apuram supostas irregularidades em disparo de mensagens em massa em redes sociais durante as eleições presidenciais de 2018. Já o inquérito das fake news investiga a publicação de conteúdos falsos na internet e ataques aos ministros do Supremo Tribunal Federal.

. © Reuters/UESLEI MARCELINO .

(Reuters) - O Tribunal Superior Eleitoral decidiu nesta terça-feira que duas ações que pedem a cassação da chapa Jair Bolsonaro-Hamilton Mourão, vitoriosa na eleição de 2018, retornem à fase de instrução para a produção de prova pericial.

As duas ações em análise foram movidas pelas chapas presidenciais encabeçadas por Marina Silva (Rede) e Guilherme Boulos (PSOL) em casos referentes a um ataque de hackers de uma página no Facebook intitulada “Mulheres Unidas contra Bolsonaro”.

As ações afirmam que, durante a campanha, a página --que reunia mais de 2,7 milhões de pessoas-- sofreu ataque de hackers que alteraram o conteúdo. Citam ainda que Bolsonaro agradeceu a postagem, após a modificação do conteúdo.

PT usa marca dos 50 mil mortos para turbinar impeachment de Bolsonaro

  PT usa marca dos 50 mil mortos para turbinar impeachment de Bolsonaro PT usa marca dos 50 mil mortos para turbinar impeachment de Bolsonaro“Cinquenta mil mortes. Em apenas 3 meses, uma perda igual ao número de soldados brasileiros na Guerra do Paraguai, que durou 6 anos. […] Cinquenta mil vidas sacrificadas em uma guerra cruel e letal. Uma guerra sem comando, sem generais, sem presidente. Basta de sabotagem, basta de covardia, de quem nega o Brasil. Fora, Bolsonaro. Fora, Mourão e seu governo. Impeachment já“, diz o vídeo.

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) retoma nesta 3ª feira (9.jun.2020) julgamento de ação contra a chapa Bolsonaro - Mourão , acusada por ataques cibernéticos a adversários. O julgamento começou em novembro de 2019. Acompanhe ao vivo abaixo.

O TSE investiga a chapa Bolsonaro - Mourão por tirar vantagem de uma invasão ao grupo no Facebook responsável pelo movimento #EleNão Presidente da Comissão e relator do PL das fake news, o senador Angelo Coronel (PSD-BA) avisou ao TSE e ao Supremo que as provas levantadas

O julgamento do caso havia sido interrompido no último dia 9, com pedido de vista do ministro Alexandre de Moraes, que votou nesta terça contra a reabertura da apuração.

O voto de desempate coube ao presidente do TSE, ministro Roberto Barroso, que também não tinha se pronunciado ainda e foi favorável a autorizar a produção de prova pericial, segundo o site do tribunal.

O placar final foi de 4 a 3. Os ministros Edson Fachin, Tarcísio Vieira de Carvalho Neto e Carlos Velloso Filho já tinham votado a favor da reabertura da apuração, enquanto Og Fernandes e Luiz Felipe Salomão tinham sido contrários.

Com isso, o julgamento das duas ações em si fica para uma data futura. O TSE ainda tem outras ações que questionam a chapa presidencial vitoriosa.

(Redação São Paulo)

STJ nega pedido de deputados para acessar provas contra Witzel por desvios .
STJ nega pedido de deputados para acessar provas contra Witzel por desviosO pedido buscava turbinar o processo de impeachment contra Witzel na Alerj, que foi suspenso na semana passada enquanto os parlamentares aguardavam o envio das provas. A defesa do governador não quis comentar a decisão.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 2
Isto é interessante!