Mundo: Salvini triunfa nas eleições europeias na Itália - - PressFrom - Brasil

MundoSalvini triunfa nas eleições europeias na Itália

17:20  27 maio  2019
17:20  27 maio  2019 Fonte:   msn.com

O que está em jogo nas eleições europeias, que terminam neste domingo

O que está em jogo nas eleições europeias, que terminam neste domingo O que está em jogo nas eleições europeias, que terminam neste domingo

O ministro italiano do Interior e líder da Liga, Matteo Salvini , pediu nesta quinta-feira (8) eleições antecipadas " o mais rápido possível". Seu partido, da direita conservadora, divide o poder atualmente com o Movimento 5 Estrelas, de esquerda, e encontra dificuldades para governar.

Em Itália , a vitória nas eleições europeias de Matteo Salvini altera o equilíbrio de poderes dentro do governo italiano - há já quem antecipe uma queda do executivo - e pode até influenciar a posição de Itália na União Europeia e dentro das próprias instituições europeias .

Salvini triunfa nas eleições europeias na Itália© Miguel MEDINA Primeiro-ministro Matteo Salvini vota em Milão em 26 d emaio de 2019

A Liga de Matteo Salvini, de extrema-direita, triunfou no domingo nas eleições europeias na Itália, ao obter mais de 34% dos votos, enquanto seu aliado, o Movimento 5 Estrelas (M5E), caiu para 17%, de acordo com os resultados praticamente definitivos.

Salvini triunfa nas eleições europeias na Itália
App Microsoft Notícias
Baixe Agora
Publicidade para Android e iOS

"Apenas uma palavra: OBRIGADO, Itália", escreveu no Twitter o vice-primeiro-ministro italiano e titular da pasta do Interior.

Com mais de 99% das urnas apuradas, a Liga tem 34,3% dos votos. Nas eleições europeias de 2014 o partido obteve apenas 6%. Nas legislativas de março de 2018, a Liga recebeu 17%.

Europeus vão às urnas em dia decisivo para o continente

Europeus vão às urnas em dia decisivo para o continente Último dia das eleições para o Parlamento Europeu tem votação em 21 países-membros da UE, entre eles Alemanha, França e Itália. Pesquisas apontam avanço de populistas de direita e eurocéticos. © Reuters/Y. Herman No total, 420 milhões de cidadãos da UE estão aptos a votar Este domingo (26/05), o quarto dia das eleições europeias, é o dia em que a maioria dos eleitores do continente vai às urnas. Após sete Estados-membros já terem realizado o pleito, é a vez de eleitores dos demais 21 países integrantes da União Europeia (UE) votarem – entre eles Alemanha, França, Itália, Espanha e Polônia.

Dois dados a reter nas eleições italianas. Salvini venceu o Movimento 5 Estrelas ficou em terceiro, como contou em direto a enviada especial da RTP.

Em Itália , a vitória nas eleições europeias de Matteo Salvini altera o equilíbrio de poderes dentro do governo italiano - há já quem antecipe uma queda do executivo - e pode até influenciar a posição de Itália na União Europeia e dentro das próprias instituições europeias .

Para Salvini, o resultado representa um triunfo depois de ter assumido o comando do partido - ex-secessionista do Norte - em 2013 para tornar a Liga uma formação nacionalista em pleno auge, inclusive no sul do país.

O líder de extrema-direita mudou a relação de forças com o M5S, grande perdedor com 17% dos votos, muito longe dos 32,5% de março de 2018, o que voltou a provocar dúvidas sobre a sobrevivência do governo de Giuseppe Conte.

"A Liga se torna o primeiro partido na Itália", reclamou Riccardo Molinari, senador da Liga, em um programa de televisão.

Salvini afirmou que a vitória nas eleições europeias não provocará uma crise interna no governo da Itália.

"Meus aliados do governo são meus amigos", disse Salvini, vice-primeiro-ministro e ministro do Interior, em suas primeiras declarações à imprensa.

Último dia de eleições para o Parlamento Europeu

Último dia de eleições para o Parlamento Europeu Os eleitores votavam neste domingo (26) em 21 países da União Europeia para escolher seus representantes no Parlamento Europeu, onde os partidos eurocéticos devem alcançar um novo avanço segundo as pesquisas. De leste a oeste, as assembleias de voto abriram gradualmente, da Grécia, onde os jovens de 17 anos votam pela primeira vez, até Portugal. O horário de votação varia de acordo com o país: os últimos serão os italianos, encerrando o pleito às 23h00 (18h00 no horário de Brasília).

Em Portugal, as eleições europeias vão realizar-se a 26 de maio de 2019. A partir dos 18 anos de idade, todas as pessoas têm direito de voto. Em Portugal, as eleições para o Parlamento Europeu terão lugar a 26 de maio de 2019.

As próximas eleições europeias realizam-se em maio de 2019. Se vive fora da UE, regra geral, pode votar nas eleições europeias na embaixada ou no consulado do seu país. Os nacionais da Bulgária, de Chipre, da Dinamarca, da Grécia e da Itália não podem votar fora do país de origem.

Salvini antecipou que não romperá sua aliança com o partido antissistema Movimento 5 Estrelas, com o qual governa desde junho de 2018.

Após um ano no poder, utilizando as redes sociais constantemente e aplicando uma política dura contra a migração, Salvini se tornou o político mais votado do país.

"Não vamos usar estes resultados para cobranças internas, e muito menos para pedir ministérios ou cargos", completou.

As eleições reforçam o poder do líder da Liga, que se apresenta como o novo rosto da ultradireita europeia: branca, católica e inimiga dos migrantes.

A tensão e as disputas entre os dois partidos no poder, e em particular entre seus líderes, aumentaram nas semanas anteriores às eleições europeias, o que transformou a votação em um verdadeiro teste para as duas formações, do qual o M5E sai derrotado.

Após a queda a 18% em 2018, o Partido Democrata (PD) celebrou os resultado de domingo: 22,7% dos votos nas eleições europeias.

O avanço dos ecologistas registrado em vários países da Europa, no entanto, não chegou à Itália, onde os Verdes receberam apenas 2,29% dos votos.

Leia Mais

Extrema direita se impõe em eleições europeias na França.
O partido de extrema direita de Marine Le Pen se impôs neste domingo nas eleições europeias na França, à frente do partido centrista do presidente Emmanuel Macron, segundo quatro pesquisas. A lista Agrupação Nacional (ex-Frente Nacional, ultradireita) obteria entre 23% e 24,2% dos votos, à frente da Lista Renascimento - que inclui o partido de Macron, A República em Marcha (LREM) e outros grupos centristas - que conquistaria entre 21,9% e 22,5%. A grande surpresa foi protagonizada hoje pelo partido ambientalista de Yannick Jadot, ex-diretor do Greenpeace na França, que conquistou o terceiro lugar, com cerca de 12% dos votos, segundo as primeiras estimativas.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 3
Isto é interessante!