Mundo Meca se prepara para receber número limitado de peregrinos

21:58  27 julho  2020
21:58  27 julho  2020 Fonte:   istoe.com.br

Iury marca pela terceira vez em vitória do Renofa na J-League 2

  Iury marca pela terceira vez em vitória do Renofa na J-League 2 Iury sonha em fazer boa temporada e brigar por artilharia no futebol japonês- Estou muito feliz por ter voltado a marcar e ter ajudado a equipe a conquistar essa importante vitória. Foi mais um jogo especial e em um momento muito bom que estou vivendo com a camisa do Renofa. Agora é continuar trabalhando para conquistar meus objetivos no clube.

A Arábia Saudita sediará, a partir de quarta-feira (29), o haje, a grande peregrinação de muçulmanos a Meca, mas com um número reduzido de peregrinos devido à pandemia de coronavírus, fato inédito em tempos contemporâneos.

Apenas 10.000 sauditas e outros residentes estrangeiros no reino wahhabi poderão realizar o haje este ano, um dos cinco pilares do Islã.

No ano passado, cerca de 2,5 milhões de muçulmanos completaram a grande peregrinação, muitos deles oriundos de outros países.

Rei Salman, de Arábia Saudita, preside reunião do hospital

  Rei Salman, de Arábia Saudita, preside reunião do hospital O rei Salman, da Arábia Saudita, presidiu uma reunião do Gabinete de Ministros por videoconferência na noite de terça-feira (21), direto do hospital - anunciou a agência oficial de notícias SPA. Ele foi internado na segunda, devido a uma inflamação da vesícula. "O conselho de ministros realizou sua reunião [periódica] por videoconferência, sob a presidência do rei Salman ben Abdel Aziz, de seu local de hospitalização", disse a SPA. O soberanoEle foi internado na segunda, devido a uma inflamação da vesícula.

A imprensa estrangeira também não poderá cobrir esse evento, já que as autoridades sauditas restringiram o acesso à cidade sagrada aos muçulmanos.

O número de pessoas infectadas com COVID-19 no mundo superou, no domingo (26), 16 milhões, das quais 260.000 na Arábia Saudita.

Os peregrinos, protegidos por máscaras, começaram a chegar no final de semana em Meca, onde foram submetidos a verificações de temperatura e isolamento, segundo as autoridades.

Também receberam um kit que incluía pedras esterilizadas para o ritual de apedrejamento, álcool em gel, máscaras, um tapete de oração e um ihram, a túnica branca sem costura que os peregrinos devem usar, de acordo com um documento do ministério do Haje.

Os peregrinos também deverão ser testados para o coronavírus antes de chegar à cidade santa e ficarão em quarentena após a peregrinação.

Chefe da WTA espera que Palermo abra caminho para outros torneios em 2020

  Chefe da WTA espera que Palermo abra caminho para outros torneios em 2020 Chefe da WTA espera que Palermo abra caminho para outros torneios em 2020MUMBAI (Reuters) - O chefe da WTA, Steve Simon, admite ansiedade pela volta do circuito feminino de tênis na Sicília, no próximo mês, e espera que o Aberto de Palermo forneça um plano para as operações dos torneios em meio à pandemia de Covid-19.

O governo saudita garantiu que preparou vários centros de saúde, clínicas móveis e ambulâncias para garantir a saúde dos peregrinos, que deverão respeitar as distâncias de segurança.

– Seleção ‘opaca’ –

Nas últimas semanas, as autoridades receberam uma onda de perguntas e críticas no Twitter daqueles que tiveram negado o acesso a Meca este ano, depois de uma seleção considerada por alguns como “opaca”.

A escolha dos peregrinos foi baseada em “razões de saúde”, defendeu o ministro do Haje, Mohamad Benten, em declarações à rede saudita Al-Arabiya, na qual descreveu o processo como transparente.

Muçulmanos de 160 países diferentes participaram de um sorteio organizado pelo governo saudita.

“Esse sentimento é indescritível”, comentou à AFP Nasser, um nigeriano residente em Riade, escolhido para fazer o haje.

Os peregrinos sauditas foram escolhidos entre um grupo de militares e profissionais da saúde que contraíram a COVID-19, mas que já se recuperaram, de acordo com as autoridades.

Peregrinação restrita em Meca; número de mortes aumenta nos EUA

  Peregrinação restrita em Meca; número de mortes aumenta nos EUA Um número muito reduzido de fiéis muçulmanos iniciou nesta quarta-feira (29) a grande peregrinação a Meca, em meio a rígidas medidas de segurança devido ao novo coronavírus, enquanto nos Estados Unidos a COVID-19 provocou 1.600 mortes nas últimas 24 horas, um número que não era registrado há alguns meses. Este é o número mais elevado desde maio, de acordo com os dados da Universidade Johns Hopkins, que compila as estatísticas nos Estados Unidos, o país mais afetado do mundo pela pandemia.A COVID-19 deixou mais 660.000 mortos em todo planeta e infectou mais de 16,7 milhões de pessoas, de acordo com o balanço da AFP, elaborado com base em números oficiais dos países.

Os estrangeiros enviaram suas inscrições on-line e Riade prometeu representar 70% dos peregrinos, embora não tenha indicado o número de candidatos e pessoas selecionadas.

A pandemia pode ter um forte impacto econômico na Arábia Saudita, onde o turismo religioso gera cerca de 12 bilhões de dólares (10,6 bilhões de euros) a cada ano.

Após a queda do preço do petróleo e a paralisia da atividade econômica, Riade adotou medidas de austeridade, como cortes no orçamento, suspensão da assistência social e triplicação do IVA.

“A limitação do haje aos residentes (na Arábia Saudita) representa um custo substancial, mas que a economia pode suportar”, acredita Sofia Meranto, analista do Eurasia Group.

Meranto lembra que Riade espera recuperar uma parte da renda perdida por meio da umra, a pequena peregrinação que teve que ser suspensa em março, mas que pode ser realizada em qualquer época do ano.

Meca sofreu um boom imobiliário nos últimos anos com a construção de shopping centers, casas e hotéis de luxo.

Mas a maioria desses lugares ficou deserta com a pandemia, que afetou inúmeras empresas do setor de turismo saudita, das quais centenas de milhares de trabalhadores dependem.

Casos declarados de COVID-19 superam os 18 milhões no mundo (contagem AFP) .
Mais de 18 milhões de casos do novo coronavírus foram registrados oficialmente em todo o mundo, mais da metade deles em Estados Unidos e América Latina e Caribe, segundo contagem da AFP baseada em fontes oficiais às 22H40 GMT (19h40 de Brasília) deste domingo (2). Pelo menos 18.011.763 casos, dos quais 687.941 óbitos, foram declarados, sobretudo nos Estados Unidos, o país mais afetado do mundo pela pandemia, com 4.657.693 casos, dos quais 154.793 mortais, o Brasil (2.733.677 casos, 94.104 mortes) e a Índia (1.750.723 casos e 37.364 mortes).O ritmo da pandemia, que provocou mais de 685.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 1
Isto é interessante!