Mundo Dá para pegar covid-19 duas vezes? Entenda o que já se sabe sobre reinfecção

15:37  31 julho  2020
15:37  31 julho  2020 Fonte:   estadao.com.br

Suécia diz que imunidade pode durar seis meses após Covid

  Suécia diz que imunidade pode durar seis meses após Covid A principal autoridade de saúde da Suécia disse que as pessoas que tiveram o novo coronavírus provavelmente estarão imunes por pelo menos seis meses após serem infectadas, independentemente de terem desenvolvido anticorpos ou não. Em nova estimativa publicada na terça-feira, a Agência de Saúde Pública da Suécia disse que agora é considerado seguro que indivíduos infectados entrem em contato com pessoas de grupos de alto risco. “Não vemos casos de pessoas adoecendo duas vezes de Covid-19”, disse o epidemiologista Anders Tegnell em entrevista coletiva em Estocolmo.

Опубликовано: 20 мар. 2020 г. Dá para pegar COVID - 19 DUAS VEZES ? Inscreva-se no nosso canal Vacina contra fake news: veja o que é verdade e o que é mentira sobre o coronavírus - Продолжительность: 7:41 Domingo Espetacular 4 732 просмотра.

Na maioria das vezes , duas doses do imunizante durante a infância são suficientes para oferecer proteção pelo Isso, por sua vez , poderia ser entendido como reinfecção quando, na verdade, trata-se Por ora, as evidências indicam que a Covid - 19 é mesmo uma doença que só se pega uma vez .

Depois de quatro meses em isolamento social como forma de evitar a disseminação do novo coronavírus, muitas pessoas passaram a questionar quando a vida vai voltar ao normal. Porém, antes de se pensar em como voltar à rotina de antes da pandemia, é preciso descobrir como funciona a imunidade contra a covid-19 no organismo.

Afinal, uma pessoa que já foi infectada e se recuperou pode pegar a doença de novo? Existe o que ficou conhecido como “passaporte de imunidade”? A resposta, por enquanto, não é definitiva.

Segunda onda de coronavírus na Ásia provoca novos isolamentos

  Segunda onda de coronavírus na Ásia provoca novos isolamentos Segunda onda de coronavírus na Ásia provoca novos isolamentosSYDNEY (Reuters) - Países de toda a Ásia estão enfrentando uma segunda onda de infecções de coronavírus e voltando a se fechar para tentar conter a doença --a Austrália registrou um aumento diário recorde e o Vietnã isolou a cidade de Danang.

Depois de ser diagnosticado com covid - 19 em fevereiro, passar Especialista neste tipo de doença, o pesquisador Isidoro Martínez estranhou a velocidade da reinfecção no caso do paciente japonês e "Possivelmente, o que está acontecendo no caso da covid - 19 é que as pessoas que testam positivo

Posso pegar Covid duas vezes ?” o paciente de 50 anos incrédulo questionou o médico quando Finalmente, se é possível uma reinfecção durante um prazo tão curto a durabilidade e eficácia de O que sabemos que funciona na luta contra o Covid - 19 . Mesmo que a imunidade de grupo seja um

Os esforços de pesquisa para produção de uma vacina envolvem entender a resposta imunológica das pessoas que já foram infectadas pelo novo coronavírus, quais mecanismos de proteção foram ativados e, o mais importante, por quanto tempo esses mecanismos continuam protegendo o corpo de uma nova infecção. A comunidade científica, no entanto, ainda não chegou a um consenso. Há estudos que alegam haver indícios de que a imunidade contra o vírus tem duração baixa, de apenas alguns meses. Já outros mais recentes trazem evidências de que essa proteção pode durar anos.

Movimentação em lojas na 25 de março após reaberura do comércio © WERTHER SANTANA/ESTADÃO Movimentação em lojas na 25 de março após reaberura do comércio

Entenda abaixo toda a discussão e quais foram as principais descobertas e pesquisas publicadas sobre esse assunto.

Médico aponta arma para paciente e é preso por porte ilegal

  Médico aponta arma para paciente e é preso por porte ilegal No Rio, médico apontou uma arma para um paciente e foi preso. Aconteceu na quinta, 30, em um consultório na Barra da Tijuca. O pneumologista Enio Studart atendia um paciente que teve coronavírus há dois meses.O paciente conta que pediu para ser atendido porque se sentia muito cansado.Segundo seu relato, durante a consulta os dois se desentenderam por conta de um exame para detectar o coronavírus. Enio teria questionado a qualidade do teste.O médico, então, sacou uma arma de uma mochila e a apontou para o paciente, enquanto o ameaçava.O paciente saiu da clínica e chamou a Polícia Militar.

Posso pegar duas vezes ?' Essas e outras perguntas sobre a covid - 19 . " O que estamos tentando entender agora é essa resposta do sistema imunológico: quer dizer que ( o paciente) ganha imunidade? Quer dizer que ele tem uma proteção mais forte contra uma reinfecção ?

O cientista espanhol Isidoro Martínez estranhou a velocidade da reinfecção no caso do paciente japonês e de outros. Dessa forma, Martínez inclina-se para uma explicação similar à de Luis Enjuanes. "Possivelmente, o que está a acontecer no caso da covid - 19 é que as pessoas que

Histórico dos coronavírus não indica imunidade duradoura

O principal problema para descobrir por quanto tempo uma pessoa que foi infectada pelo novo coronavírus fica imunizada é o fato de a doença ainda ser muito recente. Por isso, os testes e pesquisas sobre o assunto não podem ser considerados conclusivos, já que não houve tempo suficiente ainda para se determinar com exatidão esse período de proteção.

Alguns vírus, como o do sarampo, levam a uma imunização permanente. No entanto, ao analisar o histórico e a memória imunológica provocada pelos outros coronavírus conhecidos, como os respiratórios, geralmente a imunidade não dura muito tempo, como explicou o virologista Eurico Arruda, da Faculdade de Medicina da USP em Ribeirão Preto, em entrevista ao Estadão.

O que dizem as pesquisas sobre reinfecção por covid-19

Em meados de abril, a Coreia do Sul informou que alguns pacientes que já tinham se recuperado da covid-19 testaram positivo novamente para a doença. Na época, não ficou claro se os pacientes haviam se contaminado novamente ou se o vírus que já estava no corpo deles foi reativado após o tratamento.

Tendência de segunda onda de covid-19 aumenta no Rio, Maranhão e Amapá, diz Fiocruz

  Tendência de segunda onda de covid-19 aumenta no Rio, Maranhão e Amapá, diz Fiocruz Número de casos também voltou a subir nas capitais desses EstadosO aumento atinge também as capitais – Rio de Janeiro, São Luís e Macapá, respectivamente. A análise consta do Boletim InfoGripe referente à Semana Epidemiológica 30 (de 19 a 25 de julho). O estudo tem como base os dados inseridos no Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-gripe) até 28 de julho.

Covid - 19 : OMS diz que avaliou mal a … Senado aprova duas MPs que destinam re… Mário, o galã do TikTok, recebe apoio… Para saber mais sobre o coronavírus, leia também: Gráficos e mapas atualizados: entenda a situação agora. O que é o pico da pandemia e por que ele deve ser adiado.

COVID - 19 : Pandemia destruiu quase 155 mil empregos. Em exclusivo ao meio de comunicação, fontes oficiais revelaram que a aprovação da vacina, criada pelo Instituto Não é possível verificar a segurança e eficácia desta possível vacina, uma vez que a Rússia não divulgou informação relativa

Mais tarde naquele mesmo mês, a Organização Mundial da Saúde (OMS) chegou a publicar um comunicado para reafirmar que não há comprovação científica de que pessoas curadas do novo coronavírus se tornam imunes. Estudos posteriores demonstraram que o corpo produz sim uma certa quantidade de anticorpos contra o agente infeccioso, o que é uma pista de que houve pelo menos algum desenvolvimento de imunidade. Outras pesquisas indicam, no entanto, que a produção de anticorpos pelo organismo pode ser diferente entre assintomáticos e pacientes com sintomas leves.

Já no final de junho, um novo surto da doença atingiu a China, mais especificamente as províncias de Jilin e Heilongjiang. No entanto, o surto se manifestou de forma diferente em relação às primeiras infecções em Wuhan, no início do ano, o que indicava que o vírus poderia ter sofrido uma mutação. Quanto maior a capacidade de mutação do novo vírus, maiores as chances de contrair a doença novamente, uma vez que os anticorpos neutralizantes, responsáveis por combater o agente invasor, não estão adaptados à sua nova versão.

Rússia acelera processo de aprovação e promete vacina contra a covid-19 para agosto

  Rússia acelera processo de aprovação e promete vacina contra a covid-19 para agosto Previsão é de que imunização seja disponibilizada para o público em menos de duas semanasA Rússia pretende aprovar uma vacina contra o novo coronavírus até 10 de agosto e com isso se tornar o primeiro país do mundo na corrida pela imunização da covid-19. De acordo com a CNN internacional, a substância está sendo desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, baseado em Moscou, mas tem levantado preocupações sobre sua eficácia, segurança e processos de desenvolvimento.

A hidrocloroquina tem sido estudada para saber se de fato tem efeitos contra a covid - 19 . Na semana passada, dois novos estudos apontaram que o remédio não tem eficácia contra o coronavírus e que apresenta riscos de efeitos colateráis, como no coronação e no fígado. Um desses estudos é

Da primeira vez em que ele foi diagnosticado com a COVID - 19 , os demais membros da família não contraíram o vírus, conforme teriam demonstrado os testes aplicados pela prefeitura. Já da segunda vez em que o jovem apresentou os sintomas, todos os familiares apresentaram exames positivos

Entretanto, no começo de julho, novos estudos indicaram a possibilidade de uma imunidade mais duradoura do que foi indicado antes. No dia 2, a revista Science divulgou uma pesquisa feita com macacos infectados com Sars-Cov-2 (vírus responsável pela covid-19) e que tinham sido curados. Ao serem expostos novamente ao coronavírus 28 dias depois, eles não desenvolveram sintomas, o que indica imunidade em curto prazo.

Poucos dias depois, em 6 de julho, uma nova pesquisa sueca, feita com 200 pessoas, indicou que mesmo quem não tinha anticorpos contra o novo coronavírus poderia ter alguma imunidade para a covid-19 graças a células T específicas. As células T, ou linfócitos T, fazem parte do sistema imunológico e atuam no combate a agentes infecciosos.

Outros cientistas identificaram que pessoas que foram contaminadas na epidemia de SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave) que atingiu a China entre 2002 e 2003 têm mais chances de se proteger na atual pandemia. Isso porque elas apresentam células T que identificam proteínas do novo coronavírus que são semelhantes às do vírus da epidemia anterior.

Nenhum dos estudos apresentados até agora, no entanto, foi conclusivo sobre quanto tempo demora até uma pessoa infectada pelo novo coronavírus poder contrair o vírus novamente.

Emprestado pelo Santos, Romário se prepara para estrear pelo Cuiabá

  Emprestado pelo Santos, Romário se prepara para estrear pelo Cuiabá Jogador tem contrato com o Peixe até dezembro de 2022 e ficará na equipe matogrossense até o fim deste anoA estreia oficial do jogador está prevista para o dia 8 de agosto, na primeira rodada da segunda divisão, quando o Dourado enfrenta o Brasil de Pelotas, ainda sem local definido. O atleta vive a expectativa e ansiedade para realizar os seus primeiros minutos com a camisa auriverde e poderá sentir parte do gosto nesta quarta-feira, em amistoso contra o Atlético-GO, em Goiânia, onde o Cuiabá realiza a sua intertemporada, já que a sua cidade sede está em lockdown, por conta da pandemia do novo coronavírus.

Imunidade de rebanho é incerta

Há também várias pesquisas sobre a chamada imunidade de rebanho, ou imunidade coletiva, em que uma maioria de pessoas que já foi infectada acaba não contraindo a doença novamente e, portanto, protege quem ainda não tem uma defesa imunológica específica para esse vírus.

De início, alguns especialistas afirmavam que essa imunidade coletiva seria atingida quando 60% a 80% da população tivesse sido exposta ao Sars-Cov-2. Outro estudo mais recente sugere uma parcela muito menor, com cerca de 20% da população infectada e imunizada contra a covid-19.

No entanto, mesmo que a parcela de pessoas infectadas para a imunidade coletiva seja tão baixa assim, especialistas alertam que ainda há muitas lacunas no conhecimento sobre a doença, justamente por ser tudo muito recente e que não é possível ainda relaxar as medidas de proteção. Segundo eles, essa imunidade só seria atingida com segurança com a descoberta de uma vacina.

Presidente da Bolívia, que estava com coronavírus, recebe alta médica .
A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, anunciou nesta segunda-feira (27) que recebeu alta depois de um quadro assintomático de COVID-19, portanto, retornará ao trabalho. A informação foi publicada no Twitter por Áñez, que divulgou em 9 de julho que havia contraído o coronavírus. "Demonstrações de afeto me deram forças para continuar. Os bolivianos são uma grande família. Vamos seguir em frente", disse a presidente de direita de 53 anos. Sete ministros também contraíram o vírus durante a primeira quinzena de julho.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 7
Isto é interessante!