Mundo Opinião: Só mesmo sanções farão a China parar e pensar

22:46  01 agosto  2020
22:46  01 agosto  2020 Fonte:   dw.com

Huawei supera Samsung e vira líder de vendas de telefones

  Huawei supera Samsung e vira líder de vendas de telefones A empresa chinesa superou a sul-coreana Samsung e se tornou a líder mundial em vendas de telefones celulares no segundo trimestre, graças à demanda interna, informou nesta quinta-feira (30) a consultoria Canalys. Este é o primeiro trimestre em nove anos em que uma empresa diferente da Samsung ou Apple lidera o mercado, destacou a Canalys. As sanções americanas "derrubaram" as vendas da Huawei fora da China continental, mas a atividade cresceu e agora a empresa domina o mercado doméstico.

São bem-vindas as recentes penalidades da União Europeia contra Pequim, por suas ações em Hong Kong. Mas elas precisam ir mais longe, se há intenção real de deter o crescente autoritarismo chinês, opina Nathan Law.

Presidente Xi Jinping, persegue uma política de hegemonia chinesa © picture-alliance/Xinhua/Wang Ye Presidente Xi Jinping, persegue uma política de hegemonia chinesa

Em reação à opressão crescente de Pequim em Hong Kong, a União Europeia e seus Estados-membros adotaram sua maior ação coordenada para impor punições à China por seu inescrupuloso tratamento da liberdade do território semiautônomo.

EUA apresentará projeto de resolução na ONU sobre embargo de armas ao Irã

  EUA apresentará projeto de resolução na ONU sobre embargo de armas ao Irã Os Estados Unidos apresentarão na semana que vem um projeto de resolução no Conselho de Segurança das Nações Unidas para prorrogar o embargo de armas ao Irã, apesar da oposição de Rússia e China, informou nesta quarta-feira (5) o secretário de Estado americano, Mike Pompeo. A proibição da venda de armas convencionais ao Irã acaba em 18 de outubro e os Estados Unidos ameaçam forçar a manutenção das sanções da ONU se a medida não for estendida. Pompeo afirmou que os Estados Unidos apresentarão o esperado projeto na semana que vem e mostrou preocupação com os indícios de que a China já se preparava para vender armas ao Irã.

As medidas vão de reavaliar os acordos de extradição existentes a ampliar as oportunidades de visto e asilo para cidadãos de Hong Kong, e suspender as exportações de tecnologias de duplo uso que a China poderia empregar para repressão, vigilância ou interceptação de comunicações sob a nova lei de segurança.

À medida que a China expande sua influência autoritária no além-mar, a iniciativa da UE é bem-vinda, e decididamente um passo na direção certa. A comunidade europeia percebe que o país asiático só pode dar conta de seus atos através de ações punitivas, não de mera condenação.

Há anos o mundo tem estado firmemente convencido de que a China poderia ser transformada por meio de laços econômicos e negociação pacífica. No entanto sua expansão autoritária no exterior, nos últimos anos, prova o contrário.

Opinião: qual deve ser a postura do São Paulo diante do Guarani?

  Opinião: qual deve ser a postura do São Paulo diante do Guarani? A situação é a seguinte: se o São Paulo perder para o Guarani em jogo válido pela última rodada da fase de grupos do Paulistão, o Corinthians está eliminado. Em caso de empate ou vitória do Tricolor, o Timão tem chances de avançar, caso vença o Oeste. Ou seja, o São Paulo tem em mãos a possibilidade de eliminar precocemente da competição um de seus maiores rivais. O Clube da Fé já está classificado e deve pensar só em si. Sendo assim, deveria poupar os titulares na rodada final, do goleiro ao centroavante. O jogo vale pouco e o mata-mata é logo ali. O Corinthians, caso seja eliminado, não será por causa do São Paulo, mas sim porque não somou pontos durante toda a competição.

Em vez de estar mais tolerante quanto a valores liberais e aspirações democráticas, Pequim se torna mais hostil à sociedade civil e exerce enorme pressão diplomática sobre outras nações. Usando seu peso econômico e uma campanha de propaganda global, ela tenta silenciar críticos domésticos e estrangeiros. Advogados de direitos humanos, grupos civis, o povo do Tibete, Xinjiang e também Hong Kong sofrem repressão impiedosa.

Comunidades e empresas internacionais são forçadas a se calar sobre questões de direitos humanos, por medo das ameaças chinesas de represália econômica. Tudo isso prova tratar-se de um conflito direto entre tirania e liberdade.

Antes considerada único bastião de liberdade em solo chinês, Hong Kong é o exemplo perfeito da indisposição de Pequim de adotar normas internacionais e valores liberais. Anulando sua própria promessa na Declaração Conjunta Sino-Britânica, registrada na Organização das Nações Unidas, o governo chinês põe fim à liberdade da cidade, desafiando críticos internacionais e impondo uma lei draconiana contra a vontade do povo.

As empresas que oferecem os melhores salários para estágios!

  As empresas que oferecem os melhores salários para estágios! Todo mundo tem que começar de algum lugar Mas já pensou receber até 8 mil de dólares no estágio e ter oportunidades de crescimento em uma corporação? Parece sonho, mas isso existe na realidade! Há algumas companhias que oferecem salários tentadores para seus estagiários, especialmente no exterior. Na galeria, conheça as 25 empresas que oferecem as melhores remunerações para seus estagiários, segundo lista do Glassdoor, baseada em dados de 2019.

Apenas alguns dias atrás, quatro jovens foram presos por agentes de segurança nacional, acusados de incitar à secessão em discursos online. No dia seguinte, a China encenou a mais vergonhosa purgação política, vetando a participação de candidatos pró-democracia na eleição, sob o pretexto de que se opunham à lei de segurança nacional.

Inegavelmente, a China está executando um atentado orwelliano aos últimos pilares da autonomia no território.

Por isso, o recente reajuste da política da Europa para a China mostra que os europeus passam a buscar uma abordagem mais baseada em princípios, em meio à crescente influência política, militar e econômica de Pequim, assim como a sua ingerência à liberdade.

Em junho, o Parlamento Europeu ergueu uma bandeira vermelha ao aprovar uma moção exigindo a aplicação da Lei Magnitsky – sanções contra indivíduos envolvidos em abusos de direitos humanos ou corrupção em peso – e outras punições contra infratores dos direitos humanos em Hong Kong.

Recentemente, parlamentares de diversos partidos do Japão também criaram uma nova coalizão, a Aliança Parlamentar Japonesa sobre a China, visando instar o governo a reavaliar sua política para com Pequim, e considerar responder à atrocidade chinesa com sanções.

China fecha prédio do consulado dos EUA em Chengdu

  China fecha prédio do consulado dos EUA em Chengdu (ANSA) - A China assumiu o controle do prédio que servia como consulado dos Estados Unidos em Chengdu nesta segunda-feira (27) após dar a ordem para o fechamento da representação na última sexta-feira (24). "Às 10h do dia 27 de julho, com base no pedido por parte da China, o consulado em Chengdu foi fechado. Depois, as autoridades chinesas entraram pela entrada principal e tomaram o controle", informou em nota oficial o Escritório Diplomático do Ministério das Relações Exteriores de Pequim.

À medida que cada vez mais democracias europeias e asiáticas adotam ações concretas, o mundo vai acordando para a agressão da China. Só através de ações e sanções internacionais as democracias ocidentais terão suficiente poder para opor à superioridade econômica chinesa – que é a carta que o governo costuma jogar –, e fazer o país reconsiderar o custo de seu domínio tirânico.

É hora de o mundo dar adeus à política de apaziguamento do passado e salvaguardar nossos valores adotando uma estratégia global de combate à tirania.

Nathan Law é um ativista pró-democracia da Região Administrativa Especial de Hong Kong. Em 2016, aos 23 anos, foi eleito para o Conselho Legislativo como o mais jovem parlamentar. Mais tarde, perdeu seu mandato por, segundo o tribunal, não ter se expressado de acordo com a Constituição ao tomar posse.

____________________________________________________________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | App | Instagram | Newsletter

Autor: Nathan Law

China diz que EUA querem nova Guerra Fria por causa de eleição presidencial .
China diz que EUA querem nova Guerra Fria por causa de eleição presidencial"Não é a China que se tornou assertiva. É o outro lado do Oceano Pacífico que quer iniciar uma nova Guerra Fria contra a China, então temos que responder a isso", disse o embaixador chinês no Reino Unido, Liu Xiaoming, a jornalistas. "Não temos nenhum interesse em uma Guerra Fria. Não temos interesse em nenhuma guerra.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 1
Isto é interessante!