Mundo ‘Saímos com menos de 2 mil’, diz Gabbardo sobre prever que Brasil não teria 100 mil mortos

16:40  09 agosto  2020
16:40  09 agosto  2020 Fonte:   estadao.com.br

Vale do Ribeira terá de voltar a fechar comércio; internações por covid-19 crescem na Grande SP

  Vale do Ribeira terá de voltar a fechar comércio; internações por covid-19 crescem na Grande SP Região voltou à fase 'vermelha' do Plano SP por causa do aumento da taxa de ocupação das UTIsA média móvel (soma do total de registros dos últimos sete dias, dividido por sete) dos casos da covid-19 subiu 38% na comparação dos dados da última sexta-feira (24) com os dados de quinta (30), de 7.971 para 10.999 registros. Para os técnicos da Secretaria Estadual da Saúde, o dado está relacionado ao aumento do número de testes feitos para a detecção da covid-19.

"Nós não acreditamos que chegue nesse número ( de 100 mil mortos ). E vamos trabalhar muito para que esse número não aconteça", comentou Gabbardo , durante coletiva de imprensa realizada no Palácio do Planalto nesta sexta-feira (03), quando o Brasil chega a 9.056 casos confirmados da

Menos de seis meses depois de registrar oficialmente sua primeira morte por covid-19, o Brasil Na quinta-feira, dois dias antes da marca de 100 mil mortos ter sido cruzada, o presidente Jair Em 22 de março, Bolsonaro disse que o número de mortes por coronavírus no Brasil não ultrapassaria os

Ex-secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo disse, em 3 de abril, que o Brasil dificilmente chegaria a 100 mil mortos pela covid-19. A declaração passou a circular nas redes sociais neste sábado, 8, quando o Brasil superou a trágica marca.

“No Brasil falar em 100 mil óbitos, nós não acreditamos que chegue nesse número. Vamos trabalhar para que não aconteça", afirmou Gabbardo à época, quando havia 359 mortos e 9.056 casos da covid-19 no País.

Mais de 680.000 mortes por coronavírus no mundo (balanço AFP)

  Mais de 680.000 mortes por coronavírus no mundo (balanço AFP) A pandemia de coronavírus causou pelo menos 680.014 mortes no mundo desde que o escritório da OMS na China se deu conta do surgimento da doença em dezembro, segundo um balanço estabelecido pela AFP neste sábado (1) às 08h00 (Brasília), com base em fontes oficiais. Este balanço foi realizado utilizando dados das autoridades nacionais coletados pelos escritórios da AFP e com informações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Devido às correções das autoridades ou à divulgação tardia dos dados, o aumento dos números publicados nas últimas 24 horas pode não corresponder exatamente com os do dia anterior.

"Chegar a 100 mil é um sinal da nossa incompetência. Certamente, poderíamos ter feito melhor", diz Natália Pasternak, doutora em microbiologia pela A médica acredita que parte destes hospitais teria sido mais útil para receber pacientes com formas mais leves de covid-19 que não tinham condições

Os 27 depósitos de Queiroz para Michelle Bolsonaro e os 100 mil mortos no Brasil Guedes justifica desmatamento a estrangeiros e consultoria diz que Brasil seria mais ricos sem golpe Haddad sai , entra Boulos em SP e Aragão fala da denúncia contra Bolsonaro por "ilícitos" - Продолжительность

João Gabbardo dos Reis, membro do Centro de Contingência contra a Covid-19 do Estado de São Paulo, em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes © Divulgação/Governo do Estado de SP João Gabbardo dos Reis, membro do Centro de Contingência contra a Covid-19 do Estado de São Paulo, em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes

Agora coordenador executivo do Centro de Contingência Contra a Covid-19 em São Paulo, Gabbardo justifica a previsão: "Saímos do Ministério da Saúde com menos de 2 mil óbitos”, afirma, referindo-se à soma de vítimas em 16 de abril, quando o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM) foi demitido.

O ex-secretário disse ainda ao Estadão que a análise foi feita por comparação de estatísticas de mortos da China. “Se as informações estivessem subnotificadas, essa previsão poderia ser alterada."

A previsão de Gabbardo foi feita em coletiva à imprensa no começo de abril. O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), sugeriu, na mesma ocasião, que os dados da China poderiam estar errados. “A não ser que o número da China não seja o que retrate a realidade. Isso daí as academias de ciência do mundo inteiro estão analisando", disse.

América Latina e Caribe ultrapassam os 200.000 mortos por COVID-19

  América Latina e Caribe ultrapassam os 200.000 mortos por COVID-19 América Latina e Caribe registraram mais de 200.000 mortos por coronavírus, três quartos deles apenas no Brasil e México, segundo um balanço realizado pela AFP com dados oficiais neste domingo (2) às 08h30 GMT (05h30 horário de Brasília). O número de casos confirmados na América Latina e Caribe se aproxima dos 5 milhões. Deles, mais da metade está situada no Brasil (mais de 2,7 milhões de casos oficialmente declarados), o que o torna o segundo país com mais casos no mundo, atrás dos Estados Unidos (mais de 4,6 milhões de casos).Alguns especialistas estimam que o número de mortos oficialmente declarados na região está subestimado.

O Brasil atingiu, e ultrapassou, a triste marca de 100 mil mortos pela covid-19. Isso ocorre quase cinco meses depois da primeira morte causada pelo novo

O Brasil superou hoje a marca de 100 mil mortes provocadas pela covid-19. O boletim das 13h, fechado um pouco antes pelo consórcio, saiu com o número abaixo da marca devido à não atualização dos casos e mortes no estado de São Paulo, o que foi feito pela secretaria estadual às

O oncologista Nelson Teich assumiu a Saúde na saída de Mandetta. Ele pediu demissão menos de um mês depois, em 15 de maio, quando o País registrava cerca de 15 mil mortes. Há 84 dias a pasta é comandada interinamente pelo general Eduardo Pazuello, período em que o número de mortes ultrapassou 100 mil.

Sabotagem

Em entrevista ao Estadão, Mandetta disse que, apesar de "sabotagem enorme" do chefe do Executivo, o cenário seria "infinitamente pior" se o presidente tivesse imposto uma estratégia de isolamento vertical.

"A gente conseguiu, durante um intervalo, falar para a população brasileira a realidade. E as pessoas conseguiram montar algumas defesas. Muita gente permanece fazendo o que é correto. Se fosse aquela história de quarentena vertical, sai todo mundo de casa e somente pessoas acima de 65 anos ficam, teria sido um número infinitamente superior", disse Mandetta ao Estadão.

"Ele (Bolsonaro) foi negacionista desde os primeiros dias. Entregou o jogo no primeiro tempo. A gente tentava trazê-lo de volta para a realidade. Mas ele se recusou. E se recusa até hoje a encarar a realidade, de que é falso o dilema entre economia e saúde”, afirmou Mandetta.

O Planalto não quis comentar as declarações de Mandetta.

Covid-19: Reino Unido registra mais 77 mortos e 1.009 infectados .
O Reino Unido é o país com europeu com maior número de mortes e o terceiro no mundo. O Reino Unido registrou mais 77 mortos pela doença covid-19 e mais 1.009 infectados nas últimas 24 horas, anunciaram hoje as autoridades britânicas. Os dados dizem respeito a mortes e casos confirmados por teste em hospitais, lares de idosos e na comunidade em geral, incluindo em residências particulares. As autoridades invocaram "dificuldades técnicas" para não atualizarem o número oficial de mortes na terça-feira, mas tinha identificado 1.148 novas infecções, o valor mais alto desde finais de junho.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 17
Isto é interessante!