Mundo Contágio volta a subir e Brasil perde controle

13:18  09 setembro  2020
13:18  09 setembro  2020 Fonte:   em.com.br

Nova York adia volta presencial às aulas para 21 de setembro

  Nova York adia volta presencial às aulas para 21 de setembro Nova York, a única grande cidade americana que planeja uma volta presencial às aulas, adiará a data de retorno para 21 de setembro para implementar medidas adicionais contra o coronavírus exigidas pelos professores, que ameaçaram uma greve. Em vez de começar em 10 de setembro, conforme planejado, as aulas online para 1,1 milhão de alunos no maior distrito escolar americano começarão no dia 16 de setembro. As presenciais, duas ou três vezes por semana, terão início no dia 21 de setembro, afirmou o prefeito Bill de Blasio em coletiva de imprensa.

Brasília – A taxa de transmissão (Rt) da COVID-19 no Brasil subiu esta semana e voltou aos patamares de descontrole da doença. Na nova avaliação do Imperial College de Londres, o índice é de 1, ou seja, está no limiar dos níveis de descontrole. Isso significa que cada infectado transmite a

Música para o Coronavírus no Brasil música do cantor Manine esse vírus mata mais atende a gripe e principalmente as drogas mata muito mais no Brasil .

Fim de semana e feriado levaram aglomeração de pessoas às praias do Rio  de Janeiro, num momento em que contaminação alcança 4,162 milhões © Carlos Fabal/AFP Fim de semana e feriado levaram aglomeração de pessoas às praias do Rio de Janeiro, num momento em que contaminação alcança 4,162 milhões

Brasília – A taxa de transmissão (Rt) da COVID-19 no Brasil subiu esta semana e voltou aos patamares de descontrole da doença. Na nova avaliação do Imperial College de Londres, o índice é de 1, ou seja, está no limiar dos níveis de descontrole. Isso significa que cada infectado transmite a doença para mais uma pessoa. Na avaliação anterior, o país registrou a menor marca desde a intensificação da pandemia, com Rt em 0,94, mas não conseguiu manter a queda. Índices a partir de pontuação um indicam descontrole da transmissão e, com isso, o Brasil volta ao rol de nações onde a doença é considerada ativa.

Estado do Rio registra 152 mortes e 3.169 novos casos em 24h

  Estado do Rio registra 152 mortes e 3.169 novos casos em 24h Mais 455 mortes estão sendo investigadas, sob suspeita de terem sido causadas pela covid-19, e 204.845 pacientes se curaram. O Estado do Rio de Janeiro registrou 152 mortes por covid-19 e 3.169 novos casos da doença no período de 24 horas, segundo boletim divulgado na tarde desta terça-feira, 1º, pela Secretaria Estadual de Saúde. Até agora, 16.217 pessoas morreram em função do coronavírus no Estado do Rio, que registra 226.800 casos.

Versão da Aplicação. {{versao}}. Atualização da base de dados. 3 vezes ao dia, nos horários: 08h, 14h e 19h. Todos os horários e datas são relativos ao fuso horário de Brasília . Ambiente mínimo de execução. Chrome: 35. Firefox: 32. Internet Explorer: 9. É necessário que o interpretador Javascript

Carreta perde o freio e é salva por outro veículo no Norte de Minas - Продолжительность: 4:15 Portal UAI 3 676 093 просмотра. Caminhão perde controle no quebra molas!

Até agosto, o Brasil chegou a ficar por 16 semanas consecutivas com Rt acima de 1, e foi classificado como o país da América Latina com mais longa permanência nos altos patamares de transmissão do novo coronavírus. O status do contágio continua na classificação de lento a estagnado.

O indicador é um dos fatores que auxiliam no controle da epidemia, mas, para se manter baixo, precisa estar alinhado com outros elementos, como números de novos casos de contaminação e de óbitos. São considerados também taxa de ocupação de leitos e dados de síndrome respiratória aguda grave (SRAG).

No ranking dos 72 países avaliados, o Brasil tem a 35ª maior taxa de contágio, uma piora de 12 colocações em relação à listagem da semana passada. Não há países da região latino-americana entre as cinco piores marcas de transmissão nesta semana.

Índia ultrapassa Brasil em número de casos de covid-19

  Índia ultrapassa Brasil em número de casos de covid-19 Torna-se 2º em total de infectados. Ao todo, são 4. 109. 476 registros. Dados do monitor WorldometerA Índia segue bem atrás do Brasil em número de mortes. Elas chegam a 70.673 no país. No Brasil, são 125.502 vítimas.

Gameplay feito por mim Leonardo Moura tenho 13 anos e vou explicar um pouco mais sobre o jogo. Toda semana um vídeo novo.

CNN BRASIL - AO VIVO CNN Brasil 29 118 зрителей. Bolsonaro mostra Print sobre acusação do Moro e troca da PF, fala da Globo e a manifestação - Продолжительность: 5:41 Foco do Brasil 366 084 просмотра.

Após ter observado redução da taxa de 1,32 para 1,20, o Paraguai apresenta a pior marca entre os países da região, seguido pela Argentina, que, esta semana, registrou aumento na Rt de 1,09 para 1,17. Além do Brasil, estão relacionados entre os países com a transmissão fora de controle na América Latina: República Dominicana (1,13), Bolívia (1,07), Honduras (1,06), Costa Rica (1,04), Chile (1,02) e Venezuela (1,02).

No Brasil, após um feriado que mostrou a queda do isolamento social, 14.279 novos casos de contaminação pelo novo coronavírus e 504 mortes foram registrados ontem, de acordo com o Ministério da Saúde. O balanço da doença respiratória mostra 4.162.073 pessoas infectadas e 127.464 mortes pela doença.

Com a diminuição dos números, a média móvel de casos dos últimos sete dias está em 30.163, enquanto a de mortes caiu para 695, segundo cálculos do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Os índices de óbitos não são baixos desde meados de maio, quando a pandemia havia se intensificado no país. Apesar de os novos registros mostrarem números menores do que a média móvel, especialistas preveem que as aglomerações vistas no último fim de semana só reflitam nas atualizações dos dados dentro de duas semanas.

Brasil confirma mais 829 mortes e 36.303 casos de covid-19 em 24 horas

  Brasil confirma mais 829 mortes e 36.303 casos de covid-19 em 24 horas São 4. 455. 386 infectados. 134. 935 vítimas da doençaA pasta também identificou 4.455.386 casos da covid-19, acréscimo de 36.303 em 24 horas.

Voltando para casa na Suiça com a sensaçao de dever meio cumprido! Instagram: cacau_schwarz Meu endereço de caixa postal: Carla schwarz: pick post.30047848

Cheguei de surpresa no brasil ! | Volta Surpresa do Intercâmbio - Продолжительность: 2:11 Jessica Meulman 47 578 просмотров.

Vacina O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou ontem que o governo pretende começar a vacinar a população brasileira contra a COVID-19 em janeiro de 2021. O Brasil participa do desenvolvimento do imunizante da Universidade de Oxford, no Reino Unido, em parceria com a indústria farmacêutica AstraZeneca. No entanto, a   pesquisa da vacina foi suspensa ontem nos Estados Unidos. O motivo foi reação adversa grave em participante do estudo.

Durante reunião ministerial no Palácio do Planalto, Eduardo Pazuello respondeu à pergunta da youtuber mirim Esther, escalada pelo presidente Jair Bolsonaro para questionar seus auxiliares, em tom de descontração, durante parte do encontro.

“Vai ter vacina para todo mundo e remédio, ou não vai?”, questionou a menina, repetindo pergunta ditada pelo presidente. “Esse é o plano. A gente está fazendo os contatos com quem fabrica a vacina e a previsão é de que chegue para a gente em janeiro. Janeiro a gente começa a vacinar todo mundo”, respondeu Pazuello.

Para a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e a AstraZeneca, o Brasil acertou protocolo de intenções que prevê a disponibilização de 30 milhões de doses até o fim do ano. Está concluindo as negociações para o pagamento e a assinatura de acordo final que incluirá a transferência de tecnologia para produção nacional, que deverá ser conduzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).Caso a vacina tenha sua eficácia comprovada, a previsão é produzir, inicialmente, 100 milhões de doses a partir de insumos importados. (Com agências)

Covid-19: contágio em ônibus se assemelha ao de outros locais, diz estudo

  Covid-19: contágio em ônibus se assemelha ao de outros locais, diz estudo Comparação é com locais públicos. Não há evidência de maior contágioSegundo a entidade, o risco seria semelhante ao de outros locais públicos com reunião de pessoas, como supermercados, restaurantes, clínicas e escolas, segundo a entidade. Eis a íntegra (5 MB) e a apresentação (3 MB).

Quase 36 mil doentes em BH

Gabriel Ronan

Belo Horizonte registrou ontem balanço de 1.072 mortes provocadas pela COVID-19. O boletim epidemiológico e assistencial da prefeitura informa que 15 óbitos ocorreram desde a última sexta-feira. Quanto ao número de casos de contaminação, a cidade totaliza 35.983 – diferença de 664 diagnósticos a mais em relação ao levantamento anterior, divulgado no dia 4.

No balanço feito por administrações regionais da prefeitura, a Oeste e a Nordeste são aquelas com o maior número de mortes: 134, uma a mais que os registros em Venda Nova. Na sequência, aparecem Noroeste (130), Barreiro (120), Leste (111), Norte (107), Centro-Sul (106) e Pampulha (97).Há investigação em andamento sobre sete mortes, o que pode elevar o número total para 1.079. São 891 óbitos já descartados para a doença. O último fim de semana foi de reabertura de bares e restaurantes com venda de bebidas alcoólicas em Belo Horizonte. Os números apresentados no balanço de ontem, porém, ainda não refletem essa flexibilização.

Especialistas afirmam que as medidas de reabertura da atividade comercial levam, em média, 14 dias para influenciar os dados oficiais sobre a abrangência da doença respiratória. Portanto, só será possível medir o impacto da flexibilização no próximo dia 18. O tempo de incubação do novo coronavírus é estimado em duas semanas.

Palmeiras de Luxemburgo tem mesma série invicta de Felipão, mas com aproveitamento menor

  Palmeiras de Luxemburgo tem mesma série invicta de Felipão, mas com aproveitamento menor São 15 partidas sem derrotas com oito vitórias e sete empates. No ano passado, Luiz Felipe Scolari conseguiu o mesmo feito, porém com 13 triunfos e somente duas igualdades​A última derrota do Verdão aconteceu na primeira partida após a volta do futebol pós-paralisação por conta da pandemia. No dia 22 de julho, 1 a 0 para o Corinthians, em Itaquera, ainda pelo Campeonato Paulista. Desde então, são oito vitórias e sete empates.

Entre as pessoas que morreram vítimas da COVID-19 em BH, 596 eram homens e 476 mulheres. A maioria dos óbitos, 81,9% (878), acometeu idosos. Outros 15,9% (170) tinham entre 40 e 59 anos; e 2,2% (24) entre 20 e 39 anos.

Profissionais da saúde acompanham três casos, em BH, Contagem e Varginha, suspeitos por novo diagnóstico da doença em três meses ou mais © Leandro Couri/EM/D.A Press %u2013 9/7/20 Profissionais da saúde acompanham três casos, em BH, Contagem e Varginha, suspeitos por novo diagnóstico da doença em três meses ou mais

Minas investiga reinfecção

Matheus Adler e Cristiane Silva

Após publicação de nota técnica da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG) sobre casos de contaminação suspeitos de reinfecção pelo novo coronavírus, o chefe da pasta, Carlos Eduardo Amaral, informou, ontem, que o estado tem três pacientes em acompanhamento nessa circunstância: um em Belo Horizonte, um em Contagem, na região metropolitana da capital, e o terceiro em Varginha, no Sul de Minas. Não há confirmação de pessoas reinfectadas.

Para a SES/MG, é considerado caso suspeito de reinfecção aquele em que a pessoa apresenta novo quadro clínico em período superior a 90 dias da data do primeiro episódio confirmado laboratorialmente. Todos os casos positivos de contaminação pelo coronavírus com novo quadro clínico em período igual ou maior do que três meses em relação ao primeiro diagnóstico devem ser testados e notificados ao estado.

Os profissionais da saúde também deverão enviar as amostras positivas à Fundação Ezequiel Dias (Funed), onde será feito o sequenciamento genético para verificar a presença de mutações. “Esses casos ainda estão em acompanhamento e, na verdade, estamos observando, fazendo uma checagem, porque o número de reinfecções hoje, avaliadas no mundo, é muito pequeno”, afirmou o secretário Carlos Amaral.

COVID-19: Número de casos suspeitos em Sete Lagoas cai quase 30%

  COVID-19: Número de casos suspeitos em Sete Lagoas cai quase 30% Nesta sexta-feira, 747 pessoas permanecem monitoradas pela Secretaria Municipal de Saúde, contra 1.053 de uma semana atrásNesta sexta, 747 casos suspeitos da doença estão sendo monitorados pelas equipes da Secretaria municipal de Saúde. Sete dias atrás, 1.053 pessoas com sintomas gripais eram acompanhadas. Já são 8.100 casos suspeitos descartados por exames, desde março, e 1.380 pessoas que tiveram o monitoramento concluído.

Ele destacou a importância dos cuidados e da checagem muito bem-feita desses casos, inclusive, com avaliação de exames atuais e anteriores. Isso é necessário para dar segurança ao diagnóstico de reinfecção. “Até o momento, não temos casos confirmados, mas esses casos que foram notificados continuam em acompanhamento”, disse.

Segundo informações da secretaria, o primeiro caso de reinfecção por coronavírus no mundo foi confirmado por pesquisadores chineses e se refere a um homem com o segundo caso diagnosticado quatro meses e meio após o primeiro diagnóstico. O sequenciamento do genoma mostrou que as duas cepas do vírus são diferentes, o que comprova a reinfecção.

Como no Brasil todas as amostras coletadas para a testagem do coronavírus são guardadas pelos laboratórios, se houver suspeita de reinfecção é possível comparar os materiais. Isso possibilita que seja feita a investigação que verifica a presença de mutações do vírus.

O secretário estadual de Saúde falou, também, sobre o número de internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG). Nas duas últimas semanas, o número de hospitalizações diminuiu: na semana 33, 3.246 pacientes deram entrada em alguma unidade de saúde devido à SRAG. Já na semana seguinte, o número caiu para 2.600, chegando a 1.618 na última semana. Carlos Eduardo acredita que a tendência é de queda.

Balanço Minas Gerais está cada vez mais perto de alcançar a triste marca das 6 mil mortes pela COVID-19 desde março. Segundo o boletim divulgado ontem pela Secretaria de Saúde, mais 26 óbitos foram confirmados no período de 24 horas, o que levou o estado a totalizar 5.877 vidas perdidas para o vírus. Também foram registradas outros 651 diagnósticos, elevando o total a 236.663 casos. A doença já atinge quase a totalidade de Minas, presente em 840 dos 853 municípios.

Em jogo muito disputado, Náutico e Chapecoense ficam no empate .
Com a igualdade no placar, o Timbu permanece no meio da tabela; a Chape está na 3ª posiçãoO próximo jogo da Chapecoense é contra o América-MG, na Arena Condá, dia 25 de setembro. Já o Náutico enfrenta o Cuiabá, na Arena Pantanal, dia 29 de setembro.

usr: 3
Isto é interessante!