Mundo Morre Ruth Bader Ginsburg, juíza da Suprema Corte dos EUA, aos 87 anos

05:23  19 setembro  2020
05:23  19 setembro  2020 Fonte:   poder360.com.br

Morre Ruth Bader Ginsburg, juíza que virou ícone pop e segurou avanço conservador no Supremo dos EUA

  Morre Ruth Bader Ginsburg, juíza que virou ícone pop e segurou avanço conservador no Supremo dos EUA Magistrada morreu vítima de câncer aos 87 anos. Sua sucessão na mais alta corte do país deve virar um dos temas mais importantes da política americana e, claro, da atual corrida eleitoral.Segundo uma nota de pesar, ela faleceu ao lado da família em sua casa na capital dos EUA, Washington DC, após metástase em um tumor no pâncreas. Desde o início do ano, ela passava por quimioterapia para tratar da recorrência do câncer.

Ruth Bader Ginsburg tinha 87 anos. Foi indicada por Bill Clinton em 1993 © US Supreme Court Ruth Bader Ginsburg tinha 87 anos. Foi indicada por Bill Clinton em 1993

A juíza Ruth Bader Ginsburg, da Suprema Corte dos Estados Unidos, morreu nesta 6ª feira (18.set.2020) aos 87 anos. A magistrada teve complicações devido a 1 câncer no pâncreas. Ela chegou a ser internada em julho em decorrência do tratamento.

Eis o comunicado da Suprema Corte (162 KB).

Ginsburg foi diagnosticada com o doença no ano passado, mas já tinha enfrentado o câncer outras 3 vezes: uma no cólon, em 1999, no pâncreas, em 2009, e no pulmão, em 2018.

Morte de juíza da Suprema Corte abre batalha política nos EUA

  Morte de juíza da Suprema Corte abre batalha política nos EUA Ruth Bader Ginsburg, ícone progressista e do movimento a favor dos direitos das mulheres, morreu nessa sexta-feira (18) aos 87 anos de câncer no pâncreas. Ela era a juíza mais antiga da Suprema Corte americana e sua morte abre uma batalha política por sua substituição a menos de dois meses das eleições presidenciais nos Estados Unidos. Trump poderia substituir a magistrada rapidamente antes da eleição e reforçar o número de juízes conservadores na mais alta instância jurídica americana. A notícia preocupa os democratas.

Nomeada em 1993 pelo então presidente Bill Clinton, a juíza Ginsburg era a 2ª magistrada com mais tempo de atividade na Suprema Corte, formada por 9 juízes que possuem cargo vitalício. Apenas Clarence Thomas, na Corte desde 1991, está há mais tempo.

Ginsburg foi também a 2ª mulher na história a assumir uma cadeira na Corte, depois de Sandra Day O’Connor, em 1981. Ao longos dos 27 anos em que ocupou a cadeira, a juíza ficou marcada por votos pró-direitos civis e igualdade de gênero.

A juíza inspirou o filme “Suprema”, que conta a história de Ginsburgh e a corrida pela carreira de advogada nos anos 1960 e 1970, inserida em 1 contexto dominado por homens. Foi lançado em 2019.

Ginsburg é 1 ícone pop entre progressistas norte-americanos. Vista como o símbolo da ideologia na Justiça do país, ela é retratada em camisetas, canecas e até em bonecas.

Juíza da Suprema Corte dos EUA Ruth Ginsburg morre aos 87 anos de câncer no pâncreas

  Juíza da Suprema Corte dos EUA Ruth Ginsburg morre aos 87 anos de câncer no pâncreas Magistrada deu votos importantes em decisões históricas sobre direitos das mulheres e homossexuais []Ginsburg, uma defensora dos direitos das mulheres que se tornou um ícone para os liberais norte-americanos, morreu em sua casa em Washington de complicações de um câncer no pâncreas, disse a corte em um comunicado, que acrescentou que ela estava cercada por sua família.

Era uma dos 4 membros considerados progressistas no STF norte-americano. A maioria (5) conservadora foi montada sob o governo de Donald Trump, que nomeou Neil Gorsuch em 2017 e Brett Kavanaugh em 2018.

Trump, inclusive, tem a missão de tentar emplacar mais 1 nome na Corte a só 6 semanas das eleições presidenciais. Seria o 3º nos 4 anos de mandato. Será difícil. Desde a nomeação de Ginsburg, em 1993, que levou 42 para ser conduzida, as indicações têm demorado mais de 60 dias para serem concretizadas. Faltam 46 dias para o pleito de novembro.

Apesar do impasse, o republicano Mitch McConnell, líder da maioria do Senado, disse que a Casa votará uma indicação do presidente mesmo em ano eleitoral. Há 4 anos, quando já possuía o cargo, McConnell se recusou a pautar a indicação de Merrick Garland em ano eleitoral pelo presidente Barack Obama.

De aborto a liberdade religiosa, o que pode mudar com substituição de Ruth Bader Ginsburg na Suprema Corte dos EUA .
O presidente Donald Trump disse que pretende indicar uma mulher para ocupar a vaga da juíza, e deve anunciar sua decisão até o fim desta semana.Nos Estados Unidos, os nove juízes da Suprema Corte têm cargo vitalício. O presidente americano, Donald Trump, disse que pretende indicar uma mulher para ocupar a vaga e deve anunciar sua decisão até o fim desta semana, às vésperas da eleição de 3 de novembro, em que busca um segundo mandato.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 1
Isto é interessante!