Mundo Trump ataca Meghan Markle e deseja 'boa sorte' ao príncipe Harry

14:32  24 setembro  2020
14:32  24 setembro  2020 Fonte:   msn.com

O que descobri após ler todos os livros 'reveladores' sobre Trump

  O que descobri após ler todos os livros 'reveladores' sobre Trump Raros são os dias sem um novo livro sobre o presidente americano e a Casa Branca assinado por ex-assessor devoto ou desafeto do mandatário; mas que história eles contam juntos? 'Eu preciso de lealdade. Eu espero lealdade'Qualquer que seja o veredito do autor sobre Trump, há um tema recorrente nas obras. "Donald Trump tem um rígido código de lealdade", escreve Spicer. "Nada o machuca mais do que quando alguém em que confia se torna desleal", afirmam Lewandowski e Bossie. "Lealdade é um ponto-chave" em compromissos, resume Bolton.

Em agosto, Meghan pediu © Michele Spatari Em agosto, Meghan pediu "mudança", por ocasião da eleição presidencial americana de novembro, em que Trump busca a reeleição

Aparentemente incomodado com os recentes comentários de Meghan Markle sobre as eleições de novembro nos Estados Unidos, o presidente Donald Trump atacou a atriz na quarta-feira (23), desejando, ironicamente, "boa sorte" a seu marido, o príncipe Harry.

Markle, ex-estrela de "Suits" e atual duquesa de Sussex, convocou outros americanos a votarem, ao falar durante um programa especial na rede ABC, na terça-feira.

Príncipe Harry e Meghan incentivam cidadãos dos EUA a votar na eleição "mais importante"

  Príncipe Harry e Meghan incentivam cidadãos dos EUA a votar na eleição Príncipe Harry e Meghan incentivam cidadãos dos EUA a votar na eleição "mais importante"Em um vídeo para a 2020 Time 100, a lista da revista norte-americana das pessoas mais influentes do mundo, o casal disse que as pessoas que puderem votar deveriam fazê-lo.

"A cada quatro anos, somos informados: 'Esta é a escolha mais importante da nossa vida'. Mas é", convocou.

Questionado sobre os comentários da atriz, Trump disse aos repórteres: "Não sou fã dela".

"Desejo boa sorte a Harry, porque ele vai precisar", completou.

Harry, que apareceu ao lado de Meghan no programa de televisão, declarou: "À medida que nos aproximamos de novembro, é vital que rejeitemos o discurso de ódio, a desinformação e os ataques na Internet".

"Quando votamos, nossos valores são colocados em ação, e nossas vozes são ouvidas", disse Markle no programa, que apresentou as 100 pessoas mais influentes de 2020, de acordo com a revista Time.

Nem Meghan, de 39, nem Harry, de 36, mencionaram Trump diretamente.

Em agosto, a atriz americana pediu uma "mudança" por ocasião das eleições presidenciais americanas em novembro, nas quais Trump busca a reeleição.

"Acho que, se participam desse evento conosco, é porque estão mobilizados e motivados para ver a mudança que todos nós precisamos e merecemos", disse Markle, durante encontro organizado pela ONG When We All Vote, cofundada pela ex-primeira-dama Michelle Obama, que tenta estimular os americanos a irem às urnas.

O casal renunciou aos deveres da família real britânica no início deste ano e, recentemente, mudou-se para a Califórnia com seu filho Archie, de um ano.

jca/bfm/sst/rsr/tt

Príncipe Harry e Meghan fazem apelo ao Reino Unido por fim do “racismo estrutural” .
Príncipe Harry e Meghan fazem apelo ao Reino Unido por fim do “racismo estrutural”LONDRES (Reuters) - O príncipe britânico Harry e sua esposa, Meghan, pediram o fim do "racismo estrutural", dizendo que trava o desenvolvimento de jovens de ascendências diversas na mais recente investida deles em questões politicamente sensíveis, geralmente evitadas pela família real britânica.

usr: 3
Isto é interessante!