Mundo Eleição nos EUA: Debate foi aula a opositores de Bolsonaro

15:07  30 setembro  2020
15:07  30 setembro  2020 Fonte:   istoe.com.br

A lição que vem da Europa

  A lição que vem da Europa Enquanto Brasil discute retorno às escolas, Velho Continente adota medidas que podem servir de exemplo, em meio a diretriz da OMS para retomada e alerta para 2ª onda da pandemiaEspecial para o EM

Grande parte do debate de terça abordou a questão da segurança nacional. 5 de 5 Pré-candidatos democratas fizeram na terça-feira (14) o último debate em Des Moines, Iowa, antes das prévias eleitorais dos EUA . Benefício para empresas vence em dezembro e Bolsonaro já vetou renovação

Também disponível para download e no site xadrez verbal! Chegou no seu feed mais uma edição da sua revista semanal de política internacional Novamente passamos aqui pelo nosso Brasil, avaliando o que mais saiu sobre a política externa do presidente eleito Jair Bolsonaro , como

Se algum político interessado em ser presidente da República, em 2022, pensa que terá vida fácil na eleição, por conta da fragilidade intelectual, dos rolos dos bolsokids, dos cheques do Queiroz, das mortes pela Covid e de todos os inúmeros pontos fracos de Jair Bolsonaro, pode ir tirando o cavalinho da chuva, porque se não enfrentar o “mito”, de igual para igual, no mesmo terreno das mentiras e grosserias, levará uma coça histórica. Sugiro, inclusive, que assista, na íntegra, ao debate entre Trump e Biden, desta última terça-feira (29).

UFC 253: 'Aula', 'fácil demais' e 'monstro magrelo: mundo do MMA se rende a Adesanya após atropelo contra Borrachinha

  UFC 253: 'Aula', 'fácil demais' e 'monstro magrelo: mundo do MMA se rende a Adesanya após atropelo contra Borrachinha UFC 253: 'Aula', 'fácil demais' e 'monstro magrelo: mundo do MMA se rende a Adesanya após atropelo contra Borrachinha“Adesanya fez parecer fácil. Uma aula do campeão. Níveis diferentes”, tuitou Kenny Florian, por exemplo.

Lembranças de período de inclusão social e combate à esquerda pautam escolha de eleitores pelos dois candidatos que vão ao segundo turno. O servidor público foi questionado pela reportagem sobre episódios em que opositores acusaram Jair Bolsonaro de ser homofóbico ou racista.

Terroristas! Em Salvador-Ba, a comemoração da eleição de Bolsonaro foi estragada por opositores . Para acabar com a comemoração, "eles" atiraram nas pessoas.

O democrata foi massacrado pelo republicano. Donald Trump fez picadinho do opositor, e querem saber?, do mediador. Mentiu à beça, interrompeu praticamente todas as falas de Biden e as perguntas de Wallace, insultou, ironizou, desrespeitou as regras, enfim, foi um debatedor que usou e abusou do jogo sujo. O resultado: venceu de goleada! Quando um time de futebol ganha um jogo com a ajuda de um juíz ladrão, apesar da irritação da torcida adversária, leva os três pontos. Os perdedores que chorem na cama, que é lugar quente.

Exceto os eleitores democratas e os analistas políticos (os isentos e anti-Trump), ninguém se importará com o jogo baixo do bufão republicano. Pior. Mesmo entre estes, Biden ficará marcado como um fracote que deixou o “demônio alaranjado” deitar e rolar. Se eu, que tenho pelos democratas a mesma ojeriza que tenho pelos petistas, fiquei com raiva, imagine os “orelhudos” americanos. Trump mostrou que, para os EUA, é menos pior um presidente arrogante, mitômano, preconceituoso e xenófobo, que um cordeirinho politicamente correto.

Grandes expectativas para o primeiro debate entre Trump e Biden

  Grandes expectativas para o primeiro debate entre Trump e Biden Diante de dezenas de milhões de telespectadores americanos, o debate entre Donald Trump e Joe Biden na terça-feira (29) se anuncia como um grande evento, embora seu impacto nas eleições de novembro possa ser limitado em um país tão polarizado que poucos estão indecisos. O primeiro duelo entre Donald Trump e Hillary Clinton em setembro de 2016 registrou um público recorde de 84 milhões de pessoas. Os números esperados para terça-feira são semelhantes e serão mais do que o triplo da audiência dos discursos do presidente e do seu rival nas convenções republicana e democrata. Apenas o "Super Bowl" tem um público maior, com cerca de 100 milhões de telespectadores.

No debate , onde havia cerca de mil pessoas, os deputados propuseram remover os magistrados da Transferindo recursos. Bolsonaro sanciona repasse de R$ 16 bi a estados e municípios por perdas na pandemia. Eleição nos EUA . Democratas confirmam Joe Biden como candidato à presidência.

Milhares de moradores estão, neste exato momento, avaliando se a falta de ar que estão sentindo é grave o suficiente para irem ao hospital, de onde sairão com uma conta A desanimadora crise da democracia representativa resolveu juntar forças com a sombria realidade da necropolítica nos EUA .

E por aqui?

Bolsonaro não sabe pensar, não sabe falar, e é tão ou mais despreparado – intelectual e cognitivamente falando – que Dilma Rousseff. Com o agravante de ter como marqueteiro o filho Carlucho, e não o João Santana. Porém é um populista nato. Carismático como poucos e sem medo de mentir (como Lula e Dilma), é grosseiro e não pensa duas vezes antes de desferir golpes baixos. É uma arma eleitoral mortal! E terá a caneta e o dinheiro nas mãos. Será dificílimo batê-lo, numa campanha sanguinária, comportando-se como freira carmelita.

Se Luciano Huck e Sergio Moro – para ficarmos com dois prováveis e fortes competidores – forem para um embate eleitoral vestidos como “filhinhos da vovó”, falando bonitinho e baixinho, recusando-se a mentir, a difamar e a prometer o que não irão cumprir, e insistirem no blá blá blá “Bolsonaro é fascista; Bolsonaro é homofóbico; Bolsonaro é racista; Bolsonaro envergonha o Brasil; Bolsonaro está queimando a Amazônia; Bolsonaro fez rachadinha etc.”, correrão o sério risco de sequer prosseguirem a um provável segundo turno.

De ofensas à Amazônia: os cinco momentos que marcaram o caótico 1º debate entre Trump e Biden

  De ofensas à Amazônia: os cinco momentos que marcaram o caótico 1º debate entre Trump e Biden Em 90 minutos, republicano e democrata discutiram poucos planos para o país e optaram por ataques pessoais e a familiares.E o resultado foi caótico.

BOLSONARO NA RECORD X DEBATE NA GLOBO - Продолжительность: 8:36 LiloVLOG 281 545 просмотров. Secretário de Comunicação de Bolsonaro rende bandido - Продолжительность: 15:42 Os Pingos nos Is 327 784 просмотра.

Confira como os partidos estão se articulando para as eleições municipais de 2020 na cidade de São Paulo. José Luis Datena, Fernando Haddad, Joice

As esquerdas, no quesito jogo baixo, sempre foram páreo duro – e por isso venceram os almofadinhas do PSDB. Serra dava aula de economia, Lula mentia. Venceu. Alckmin falava de mensalão, Lula, de Bolsa Família. Venceu. Serra apresentava-se como o melhor ministro da Saúde, Dilma, como a “muié” do Lula. Venceu. Aécio fez campanha propositiva, Dilma fez “o diabo”. Venceu. Haddad posou de petista limpinho, quase um tucano, e… perdeu! Bolsonaro mentiu, bateu e fugiu dos debates. Venceu.

Que ninguém duvide: Bolsonaro repetirá integralmente o modelo trumpista. Se lhe perguntarem sobre os “micheques”, lembrará do mensalão e do petrolão. Se lhe cobrarem os erros durante a pandemia, culpará os prefeitos e governadores. Se lhe responsabilizarem pela crise econômica, dirá que avisou e que foi contra o “fechamento” da economia. E não enrubescerá a cara (de pau!) para dizer que afastou Moro e Mandetta por serem traidores da pátria e estarem a serviço da China. Afora a enxurrada de fake news nas redes sociais.

No debate, jogará na cara de Luciano Huck: “Você é o candidato da Globo e dos comunistas”. Se o apresentador, ao invés de rebater, “você é pau mandado do Centrão”, se defender, se dará mal. Já Sergio Moro terá de acusar: “Você destruiu a Lava Jato e tudo o que eu e a Força Tarefa fizemos”. Não adiantará ficar se defendendo das mentiras e ofensas que virão. O único que saberá enfrentar adequadamente o amigão do Queiroz chama-se Ciro Gomes. Este, em matéria de mentiras e grosserias, é hors concours.

Após primeiro debate caótico, Trump e Biden fazem campanha em Estados cruciais

  Após primeiro debate caótico, Trump e Biden fazem campanha em Estados cruciais Após primeiro debate caótico, Trump e Biden fazem campanha em Estados cruciais(Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu adversário democrata, Joe Biden, farão campanha nesta quarta-feira em Estados que desempenharão um papel crucial na eleição de novembro, após um debate caótico na véspera, marcado por interrupções e recriminações.

O Candidato Bolsonaro , PSL, 17 , Eleições 2018 , decide não participar mais nos próximos Debates Políticos na TV.

Editor do Brasilwire, Brian Mier fala sobre a tragédia política brasileira, com a prisão de Lula e a eleição de Jair Bolsonaro (vídeo cedido à TV 247 pelo


Veja mais no MSN Brasil

Primeiro debate presidencial nos EUA


Com foco em 2022, Bolsonaro, Doria, Lula e Ciro influenciam disputa em SP .
Escolha de candidatos e montagem de alianças na maior cidade do País têm impacto na eleição presidencialOs projetos dos principais nomes cotados para disputar a Presidência em 2022 tiveram impacto direto na escolha dos candidatos, montagem das chapas, composição das alianças e definição de estratégias de campanha nas eleições para a Prefeitura de São Paulo.

usr: 3
Isto é interessante!