Mundo Irã anuncia suspensão do embargo da ONU sobre suas armas

03:30  18 outubro  2020
03:30  18 outubro  2020 Fonte:   msn.com

Programa Mundial de Alimentos da ONU ganha Nobel da Paz

  Programa Mundial de Alimentos da ONU ganha Nobel da Paz Programa Mundial de Alimentos da ONU ganha Nobel da PazA entidade, sediada em Roma, afirma que ajuda 97 milhões de pessoas em cerca de 88 países todos os anos e que uma em cada nove pessoas no mundo ainda não tem o suficiente para comer.

"Acordamos que vamos respeitar o embargo sobre as armas e que este embargo será controlado mais estritamente do que até agora", disse Merkel. "Chamamos todas as partes envolvidas a redobrar esforços para uma suspensão duradoura das hostilidades, a distensão e o cessar-fogo

Organização das Nações Unidas ( ONU ), ou simplesmente Nações Unidas, é uma organização intergovernamental criada para promover a cooperação internacional. Uma substituição à Liga das Nações, a organização foi estabelecida em 24 de outubro de 1945

O Irã declarou neste domingo (horário local, sábado no Brasil) que o embargo imposto pela ONU às vendas de armas de e para a República Islâmica expirou, conforme o acordo do programa nuclear iraniano de 2015 e a resolução 2231 do Conselho de Segurança.

O presidente iraniano, Hassan Rohabi, em reunião do ministério em 2 de setembro de 2020 em Teerã © Handout O presidente iraniano, Hassan Rohabi, em reunião do ministério em 2 de setembro de 2020 em Teerã

"A partir de hoje, todas as restrições a transferência de armas, atividades relacionadas e serviços financeiros de e para a República Islâmica do Irã (...) foram automaticamente suspensas", informou o Ministério das Relações Exteriores iraniano em um comunicado.

'Luz amarela para fome no Brasil foi acesa', diz brasileiro de agência da ONU que venceu Nobel da Paz

  'Luz amarela para fome no Brasil foi acesa', diz brasileiro de agência da ONU que venceu Nobel da Paz Segundo Daniel Balaban, do Programa Mundial de Alimentos (PMA), será preciso 'união' para evitar que país volte ao Mapa da Fome, quando mais de 5% da população enfrenta insegurança alimentar grave. "Dá para reverter esse quadro se houver união nacional. A própria população brasileira solicitando e fazendo pressão em cima dos entes públicos. E o Nobel foi muito importante para isso, pois lança luz sobre um problema que afeta o mundo e estava um pouco esquecido", diz.

Em 20 de abril, a cobrança das parcelas desse tipo de crédito foi suspensa por um período de quatro meses por decisão do juiz Renato Coelho Borelli, da 9ª

Bom Para Todos desta quarta-feira (18/09) começou ao vivo com a análise e repercussão das principais notícias do dia. No estúdio a conversa é sobre é sobre

Pelo acordo internacional sobre o programa nuclear iraniano, esse embargo, que proíbe principalmente a venda de armas e equipamentos militares pesados ao Irã, expiraria em 18 de outubro.

"Assim, a República Islâmica do Irã pode adquirir as armas e equipamentos necessários de qualquer fonte, sem qualquer restrição legal e exclusivamente com base em suas necessidades defensivas", acrescenta o texto publicado pelo ministério.

Moscou confirmou em setembro que deseja desenvolver sua cooperação militar com Teerã assim que o embargo expirar. A China, por sua vez, não escondeu sua intenção de vender armas ao Irã a partir de 18 de outubro.

De acordo com o comunicado, a República Islâmica "também pode exportar armas defensivas de acordo com suas próprias políticas".

Programa Mundial de Alimentos da ONU diz precisar de US$6,8 bi em 6 meses para evitar fome

  Programa Mundial de Alimentos da ONU diz precisar de US$6,8 bi em 6 meses para evitar fome Programa Mundial de Alimentos da ONU diz precisar de US$6,8 bi em 6 meses para evitar fomeLONDRES (Reuters) - O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas precisará arrecadar 6,8 bilhões de dólares ao longo dos próximos seis meses para evitar a fome em meio à crise da Covid-19, disse a agência nesta terça-feira.

Bolsonaro retruca mídia sobre ONU , denuncia planos de países concorrentes do Brasil e desmente números sobre Amazônia Na primeira live após a internação

A proibição da venda de armas convencionais ao Irã acaba em 18 de outubro e os Estados Unidos ameaçam forçar a manutenção das sanções da ONU Rússia e China têm pode de veto no Conselho de Segurança da ONU e querem que o embargo acabe, em respeito ao que foi estabelecido na

Em agosto, os Estados Unidos tentaram, em vão, que o Conselho de Segurança da ONU prolongasse o embargo e restabelecesse as sanções internacionais contra o Irã retiradas do pacto.

A chancelaria iraniana afirmou que este domingo foi "um dia memorável para a comunidade internacional" e acrescentou que o mundo esteve ao lado do Irã "ignorando os esforços do regime norte-americano".

Em maio de 2018, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, retirou unilateralmente seu país do acordo sobre o programa nuclear iraniano, fechado em Viena em 2015.

O comunicado iraniano pede para Washington "abandonar sua abordagem destrutiva à resolução 2231" e lembra que suas tentativas foram "categoricamente rejeitadas várias vezes nos últimos três meses pelo Conselho de Segurança".

Se houver uma "violação substancial da resolução e dos objetivos" do pacto sobre o programa nuclear, a República Islâmica do Irã se reserva o direito de tomar todas as contra-medidas necessárias para garantir seus interesses nacionais".

O ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohammad Javad Zarif, declarou em sua conta no Twitter que a comunidade internacional havia "protegido" o acordo sobre o programa nuclear e que neste domingo se estabeleceu a "normalização da cooperação do Irã com o mundo".

Trump argumenta - ao contrário das outras partes do acordo, junto com o Irã (Alemanha, China, França, Reino Unido e Rússia) - que esse texto não oferece garantias suficientes para impedir que Teerã se equipar com a bomba atômica. No entanto, o Irã sempre negou querer se munir dessa arma.

ap/cls/bc-jvb/yow/cc

"Aliança com Centrão não atenuou fascismo de Bolsonaro" .
Luiz Eduardo Soares, cujo novo livro analisa fascismo e bolsonarismo, diz que novas aproximações políticas e postura mais branda do presidente não significam moderação em seu "programa fascista", que mobiliza o ódio.O presidente Jair Bolsonaro lidera um movimento com características fascistas, que evoca uma ideologia elaborada ainda na década de 1930, no integralismo brasileiro, posteriormente assimilada pela ditadura militar e infiltrada no período democrático. Considera-se guiado pela vontade de Deus e não vê limites para o exercício da violência com o objetivo de destruir o inimigo, representado no comunismo ou no mal.

usr: 0
Isto é interessante!