Mundo Tailândia enfrenta dura ofensiva por monarquistas radicais

18:16  26 outubro  2020
18:16  26 outubro  2020 Fonte:   msn.com

Lívia Andrade abre o jogo sobre sua saída do SBT

  Lívia Andrade abre o jogo sobre sua saída do SBT Nicola diz que contratação de Felipão é 'espetacular' para o Cruzeiro: 'Chega para ser mais do que um treinador'

Diante de protestos estudantis cada vez mais audaciosos e ousados contra a monarquia na Tailândia, os monarquistas radicais endureceram seu discurso, com insultos, ameaças de morte e fotos de caixões.

Manifestantes pró-democracia levantam três dedos em protesto contra o governo, em Bangcoc © Mladen ANTONOV Manifestantes pró-democracia levantam três dedos em protesto contra o governo, em Bangcoc

As imagens violentas circulam há alguns dias na internet, como a de um apoiador da monarquia que, com um fuzil automático em mãos, jura que protegerá o rei.

A retórica também é agressiva: "quem insulta a monarquia merece morrer", enquanto um grupo que se autodenomina "organização de coleta de lixo" clama por uma caça às bruxas.

Perto da liderança na Série B, Chapecoense joga em casa diante do Vitória

  Perto da liderança na Série B, Chapecoense joga em casa diante do Vitória Enquanto equipe catarinense pensa em alcançar o Cuiabá, os baianos precisam vencer para interromper jejum de quatro rodadasPara a equipe de Umberto Louzer, especulado no Cruzeiro e que preferiu se manter no Verdão do Oeste, ganhar significa igualar em número de pontos com o atual líder da competição com as mesmas 32 unidades. E, se o triunfo vier por dois gols de diferença, o time de Chapecó ultrapassa o Cuiabá no saldo.

É preciso "lançar uma operação para se desfazer deste lixo social", escreveu no Facebook seu fundador, o general Rienthong Nanna, "disposto a ir para a prisão para defender o soberano".

- Conflito geracional -

Na Tailândia, monarquia e nacionalismo estão intimamente ligados.

Atacar a realeza, protegida por uma das mais severas leis de lesa majestade do mundo, é uma aberração para uma parte da sociedade que cresceu com o venerado Bhumibol Adulyadej, pai do atual monarca, que reinou no país por 70 anos.

Por outro lado, parte da juventude se atreve a desafiar a poderosa e riquíssima instituição, pedindo a abolição da lei de lesa majestade, um controle sobre a fortuna real e a não-interferência do rei nos assuntos políticos.

Esses gestos de desafios inéditos foram observados em algumas das manifestações pró-democracia, que reuniram até 30.000 pessoas em Bangcoc.

Decapitação de professor revela espaço que extremistas desfrutam sem ser incomodados na França

  Decapitação de professor revela espaço que extremistas desfrutam sem ser incomodados na França O assassinato do professor de história e geografia Samuel Paty, 47 anos, na última sexta-feira (16), decapitado por um checheno de 18 anos por ter exibido imagens do profeta Maomé em uma aula sobre liberdade de expressão, provoca questionamentos na imprensa francesa sobre o militantismo radical islâmico de indivíduos fichados pelos serviços de inteligência por ameaça terrorista. Este é o caso do marroquino Abdelhakim Sefrioui, 61 anos, que se autoproclama um imã, pregador que conduz as orações durante o culto muçulmano.

Cartazes com os dizeres "República da Tailândia" foram erguidos por militantes que não se ajoelharam na passagem de uma comitiva real, conforme exigido pela tradição secular.

- Pior que a covid-19 -

O ex-chefe do Exército, general Apirat Kongsompong, comparou esses protestos com uma "doença mais difícil de curar do que a covid-19", enquanto insultos e ameaças de morte proliferam por parte dos ultramonarquistas.

Essa situação reacende os temores de atos de violência em um reino acostumado com os distúrbios políticos.

Os líderes dos protestos, muitos deles presos, afirmam que querem "modernizar" a monarquia.

Os ultramonarquistas se mostram cautelosos sobre a personalidade controversa do atual rei, Maha Vajiralongkorn, cujos supostos escândalos e polêmicas viagens para a Europa levantam muitas dúvidas.

O monarca não comentou sobre os acontecimentos em curso na Tailândia, mas - um fato muito incomum - apareceu várias vezes em público nos últimos dias, quebrando inclusive o protocolo para parabenizar na sexta-feira um de seus apoiadores, que ergueu um retrato de seu pai diante dos manifestantes.

bur-sde/ode/me/zm/aa/cc

Vencer ou vencer: Botafogo tem teste de força no Brasileirão .
Em crise dentro e fora de campo e com treinador interino, elenco do Alvinegro será colocado à prova diante do Ceará, no fechamento do primeiro turnoO Botafogo vem de duas partidas em casa, mas com duas atuações abaixo da média. Diante de Goiás e Cuiabá, um empate, uma derrota, nenhum gol marcado e muitas críticas. Os resultados culminaram na demissão de Bruno Lazaroni, que tinha apenas seis jogos à frente do comando do Alvinegro.

usr: 0
Isto é interessante!