Mundo Trump e Biden iniciam semana final de campanha com Covid-19 em ascensão nos EUA

18:16  26 outubro  2020
18:16  26 outubro  2020 Fonte:   reuters.com

Entenda a história sobre a possível ligação de Joe Biden e de seu filho com a Ucrânia

  Entenda a história sobre a possível ligação de Joe Biden e de seu filho com a Ucrânia Washington Post publicou reportagemA reportagem do New York Post foi baseada em e-mails supostamente obtidos de 1 laptop que Hunter Biden teria deixado para consertar em uma loja de Delaware, nos EUA, em abril de 2019. O aparelho não foi buscado pelo dono e o conserto nunca foi pago, segundo o jornal. Mais explicações sobre o episódio não foram detalhadas. Também não há informações sobre como o e-mail de Hunter foi acessado e se hackers ajudaram nisso.

Por Michael Martina

. © Reuters/BRIAN SNYDER .

(Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu desafiante democrata, Joe Biden, iniciam nesta segunda-feira sua última semana de campanha antes da eleição de 3 de novembro no momento em que os casos crescentes de coronavírus no país e um surto de Covid-19 na equipe do vice-presidente, Mike Pence, mantêm o foco da corrida na pandemia.

Trump alegou progresso no combate à doença, mas nos últimos dias o país registrou recordes de infecções diárias, e Pence seguiu em frente com a campanha no domingo mesmo depois de assessores terem tido diagnósticos positivos.

Duas semanas antes da eleição, Trump percorre os EUA e Biden fica em casa

  Duas semanas antes da eleição, Trump percorre os EUA e Biden fica em casa Um viaja em um ritmo frenético, o outro permanece em casa: duas semanas antes das eleições de 3 de novembro nos Estados Unidos, o presidente Donald Trump e seu adversário democrata Joe Biden adotaram estratégias radicalmente opostas. Depois de dois grandes comícios na segunda-feira no Arizona, o presidente republicano de 74 anos se dirigia nesta terça-feira (20) à Pensilvânia, um estado-chave para sua reeleição. Já o ex-vice-presidente de Barack Obama, de 77 anos, o favorito segundo as pesquisas, não teve nenhum evento público em sua agenda pelo segundo dia consecutivo, provavelmente para se preparar para o debate final desta semana.

Biden acusou o presidente de se render à pandemia, que já matou cerca de 225 mil pessoas nos EUA.

Faltando oito dias para a eleição, mais de 59,1 milhões de norte-americanos já votaram presencialmente ou pelo correio, um ritmo de votação antecipada que pode resultar no maior índice de participação em mais de um século, de acordo com dados do Projeto Eleições da Universidade da Flórida.

Nesta segunda-feira, Trump viajará à Pensilvânia, um Estado-chave que está sendo muito cortejado pelos dois candidatos com visitas frequentes, e falará em comícios em Allentown, Lititz e Martinsburg. Ele deve fazer diversas viagens a Michigan, Pensilvânia e Wisconsin nesta semana, além de visitas Nebraska, Arizona e Nevada.

Biden deve permanecer em Delaware, Estado em que reside, nesta segunda-feira. Na terça-feira, ele deve viajar à Geórgia e fazer paradas em Atlanta e Warm Springs, cidade de cerca de 400 pessoas onde o presidente democrata Franklin D. Roosevelt, que tomou posse durante a Grande Depressão e adotou o programa de recuperação New Deal, morreu em 1945.

Em debate ameno e sem interrupções, Trump e Biden divergem em temas centrais

  Em debate ameno e sem interrupções, Trump e Biden divergem em temas centrais Republicano bateu na tecla da economia. Democrata focou em questões sociaisTrump repetiu a fórmula de 2016. No último debate contra Hillary Clinton, bateu na tecla econômica incessantemente. Contra Biden, disse que a eleição de 1 democrata resultará em uma “recessão como nunca se viu”. O ex-vice presidente, por outro lado, defendeu maior proteção ambiental, citou pautas sociais e disse querer que o país deixe de depender da “indústria do óleo”.

A atenção ao Estado do sul, que Trump conquistou em 2016 por cerca de 5 pontos percentuais e que não apoia um candidato presidencial democrata desde 1992, mostra o esforço de Biden para ampliar o alcance de seu partido agora que pesquisas mostram uma corrida competitiva ali.

Apesar da vantagem robusta de Biden em pesquisas de opinião nacionais, a disputa em Estados-chave como Flórida e Pensilvânia, que podem decidir o resultado do pleito, parece mais acirrada. Biden contará com a presença do ex-presidente Barack Obama, ao qual serviu como vice-presidente, em Orlando, na Flórida, na terça-feira.

Os EUA tiveram seu maior número de casos novos de Covid-19 nos últimos dois dias, o que dá à equipe de Biden a chance de lembrar os eleitores como Trump e seus aliados minimizaram os conselhos de especialistas de saúde pública sobre o uso de máscaras e a prática do distanciamento social para combater a transmissão da Covid-19.

(Por Michael Martina e Steve Holland)

O que o Brasil pode esperar de Biden? .
Provável vitória democrata altera planos do Brasil para economia, meio ambiente, política externa e até na pauta de costumes. saiba por que essa não é uma notícia ruim.E quem mais teme essa mudança de republicanos para democratas nos Estados Unidos é o próprio governo de Jair Bolsonaro. Desde que chegou ao poder, o presidente e suas equipes ministeriais não escondem a admiração platônica – e quase sempre não correspondida – a Donald Trump e qualquer tema associado a ele.

usr: 0
Isto é interessante!