Mundo A França em luto

08:51  27 outubro  2020
08:51  27 outubro  2020 Fonte:   estadao.com.br

Biografias de Churchill e Charles de Gaulle são manuais para estadistas

  Biografias de Churchill e Charles de Gaulle são manuais para estadistas Recém-lançadas no Brasil, biografias deixam claro que o estadista é aquele que, para começar, dedica a vida inteira a tornar realidade a visão de grandeza que se manifesta desde cedo . Dito isso, é preciso resistir à tentação de ver um estadista num adolescente que anuncia a pretensão de governar seu país em nome de sonhos gloriosos, como é o caso dos dois biografados. Sabemos no que eles se tornaram, pois estamos no futuro, mas é importante ter em mente que um garoto sonhador não se transforma em Churchill ou De Gaulle apenas por força de vontade ou paixão.

França , oficialmente República Francesa, é um país, ou, mais especificamente, um Estado unitário localizado na Europa Ocidental, com várias ilhas e territórios ultramarinos noutros continentes. A França Metropolitana estende-se do Mediterrâneo ao Canal da Mancha e Mar do Norte

" É preciso crer que exista um plano melhor, para os tantos corações que voltaram ás cinzas e das cinzas ao pó" ♪ Eu sinto a sua falta todos os dias.

A morte do professor francês Samuel Paty, decapitado por Abdullakh Anzorov, refugiado de origem russa/chechena de 18 anos de idade, no último dia 16 de outubro, em Conflans-Sainte-Honorine, nas proximidades de Paris, chocou os franceses e a comunidade internacional. O assassino, morto pela polícia, deixou gravada em áudio a explicação do assassinato. O professor teria desrespeitado Maomé ao mostrar caricaturas (publicadas na revista Charlie Hebdo) do profeta aos seus alunos, em sala de aula.

O assassinato é apenas o mais recente de uma série de atentados terroristas na França, que se intensificaram a partir de 2012 e são feitos com alguma regularidade desde então, vitimando fatalmente até agora cerca de 260 pessoas. O ponto comum que une todos esses atentados é que eles foram perpetrados por terroristas que se apresentam como islâmicos.

Márcio França diz que seus oponentes 'estão amarrados na candidatura de presidente' em 2022

  Márcio França diz que seus oponentes 'estão amarrados na candidatura de presidente' em 2022 Ex-governador diz ainda que discutir a vacinação compulsória contra covid-19 é 'contar com o ovo antes da galinha'O ex-governador Márcio França (PSB) participou nesta quarta-feira, 21, da série de sabatinas da Rádio Eldorado com os candidatos à Prefeitura de São Paulo. Na conversa, o ex-governador disse que a discussão sobre a vacinação compulsória contra covid-19 é precipitada e acusou os seus oponentes de politizar a questão por estarem amarrados a eventuais candidaturas presidenciais de 2022.

Foi momentos como esse q eu nk vou esquecer que passei do seu lado ,muitos micos iguais e piores q esse ,alegrias,tristezas muitas histórias que passamos

Dor e luto em frança . Um Boeing 737 da companhia aérea egípcia ‘Flash Airlines’ despenhou-se ontem no Mar Vermelho com 148 pessoas a A França está em estado de choque e o governo solicitou já a abertura de um inquérito por homicídio involuntário, apesar de as autoridades egípcias

As causas do terrorismo e a melhor maneira de evitá-lo estão em debate no país. A França é a nação da Europa ocidental que abriga a maior comunidade islâmica. São cerca de 6 milhões de pessoas, um pouco menos de 10% da população. Estima-se que metade desse contingente seja nascida na França ou naturalizada francesa. A integração desses cidadãos ao restante da sociedade francesa, que de maneira geral se orgulha do secularismo e da laicidade da República, não está ocorrendo de forma fácil.

Um exemplo do estranhamento é a polêmica que envolve a proibição do uso dos diversos tipos de véus islâmicos pelas mulheres. A pandemia, aliás, criou uma situação, no mínimo, inusitada. Simultaneamente, duas normas vigoraram. A primeira, existente desde 2010, proíbe o uso de véu no metrô, enquanto a segunda, de maio deste ano, obriga ao uso de máscaras na utilização desse transporte público. É evidente que a aparente contradição entre as normas é explorada pela comunidade islâmica, que considera a proibição do véu uma demonstração de islamofobia.

FIFA The Best: os melhores jogadores de futebol do mundo

  FIFA The Best: os melhores jogadores de futebol do mundo Todos os anos a FIFA premia os melhores jogadores do mundo, conheça todos os vencedores da história Entre 1991 e 2009,  a FIFA manteve sua própria eleição, isso mudou durante os anos de 2010 a 2015, quando a premiação do melhor do mundo foi organizada em conjunto com a France Football. Essa união terminou em 2016, e a partir desse momento, a revista francesa voltou a entregar o famoso Ballon d’Or e a FIFA retomou seu tradicional formato com um novo nome: The Best FIFA Football Awards.

O presidente da França , François Hollande, decretou luto oficial de três dias no país. Na quarta-feira, um atentado ao semanário Charlie Hebdo matou 12 pessoas, incluindo quatro cartunistas renomados.

A França começa a adotar medidas nesta sexta-feira após o ataque com um caminhão que matou mais de 80 pessoas e deixou dezenas de feridos na véspera em Nice.

As divergências quanto a como enfrentar o terrorismo são bem representadas pelo debate entre dois influentes pensadores, onipresentes na mídia daquele país: Gilles Kepel e Olivier Roy. Para o primeiro, a “radicalização do islã” seria o problema. Para o segundo, o que acontece é uma “islamização do radicalismo”. Assim, a depender do analista, a raiz do problema seria, sob o primeiro ponto de vista, o islã radical. Sob o segundo ponto de vista, a radicalização apresenta-se em setores da sociedade francesa.

Kepel tem defendido o ponto de vista de que nos bairros populares dos subúrbios de Paris e de outras cidades francesas se criou um ambiente em que escolas, creches, comércio, enfim, todo o espaço de convivência funciona conforme os costumes islâmicos. Nesse ambiente, jovens muçulmanos estariam expostos e acostumados a uma “atmosfera jihadista”, multiplicada e espalhada também pela internet. Assim, ao deparar-se com o laicismo do restante da sociedade francesa, haveria um choque cultural/religioso insuportável para os muçulmanos radicalizados, que partiriam para os atentados terroristas.

Muçulmanos na França são como judeus antes da Segunda Guerra, diz Erdogan

  Muçulmanos na França são como judeus antes da Segunda Guerra, diz Erdogan O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, pediu nesta segunda-feira (26) à população do seu país que boicote os produtos franceses. Ele também comparou a situação dos muçulmanos na França à dos judeus antes da Segunda Guerra Mundial e acusou alguns dirigentes europeus de nazismo e fascismo. As declarações acontecem dois dias depois de Erdogan dizer que o presidente francês, Emmanuel Macron, era "doente mental" por promover um "separatismoAs declarações acontecem dois dias depois de Erdogan dizer que o presidente francês, Emmanuel Macron, era "doente mental" por promover um "separatismo islâmico", após declarações do chefe de Estado a respeito da publicação de caricaturas de Maomé, na sequência do brutal assass

Especialistas já esperavam ataque terrorista na França . 27 seg. França tem maior número de cidadãos que luta ao lado do Estado Islâmico, diz especialista. 1 min. Testemunhas dos ataques em Paris descrevem cenas de horror nas redes sociais.

Отмена. Месяц бесплатно. LUTO ETERNO . Aguinaldo Junior França . MrRodriigoF. LUTO '- Juninho Eterno.wmv - Продолжительность: 7:38 SuperJeeja Recommended for you.

Já Roy entende que o problema tem origem diferente. Ele considera que a radicalização se dá em curto espaço de tempo, especialmente entre imigrantes de segunda geração, que moram sozinhos ou com os irmãos e amigos e geralmente têm um conhecimento muito superficial do islamismo. Nesse sentido, a islamização não seria a causa da radicalização, mas sim uma escolha feita por pessoas já radicalizadas. Diferentemente de Kepel, Roy enxerga não um ódio à sociedade ocidental, mas um ódio a qualquer sociedade. Ele traça um paralelo com o atentado de Columbine, nos Estados Unidos, no qual não houve motivação religiosa, e lembra que há muitos ataques terroristas também nos próprios países islâmicos, como no Paquistão, no Afeganistão e até mesmo na Arábia Saudita. Destaca que a maioria dos terroristas espera morrer, ou no próprio ataque suicida ou em confronto com a polícia, imediatamente após o atentado. A motivação, portanto, seria simplesmente o ódio e a busca por uma estética narcisista da morte.

A reação francesa, vocalizada pelo presidente Emmanuel Macron, vai na direção de endurecer as medidas contra o que ele identifica como sendo um separatismo islâmico crescente no país. Além do reforço de ações na área de segurança, há um projeto de lei em preparação que buscará reforçar o laicismo e consolidar os princípios republicanos na França, aumentar o controle sobre o financiamento das mesquitas e proibir que os imãs se formem no exterior. O anúncio dessas medidas causou forte descontentamento na comunidade islâmica e severas críticas do presidente turco, Recep Erdogan, que declarou que Macron deveria passar por um “exame de saúde mental” pela forma como trata os muçulmanos.

É evidente que todo esse ambiente acirra as tensões sociais na França e serve de fermento para radicalismos de vários espectros ideológicos. A paz social está cada vez mais ameaçada e me parece que o primeiro objetivo para alcançá-la deveria ser o de se identificar corretamente as causas do problema.

*

CORONEL DE CAVALARIA. E-MAIL: PAULOFILHO.GOMES@EB.MIL.BR

México celebra Dia dos Mortos com restrições e luto pela covid-19 .
Milhares de famílias mexicanas celebram o Dia dos Mortos a partir deste domingo (1º), a tradição mais significativa do país, com fortes restrições e em luto pela pandemia que já deixou cerca de 92 mil mortos. Os cemitérios, que costumam ficam lotados nessas datas, estão fechados, enquanto vários eventos foram cancelados para evitar o aumento das infecções por coronavírus, que já são mais de 900 mil. A Cidade do México ficou sem seu habitual desfile de caveiras sorridentes e fantasias multicoloridas. Tampouco se vê gente vestida de catrinas, os elegantes esqueletos típicos da festa, que vai até segunda-feira.

usr: 0
Isto é interessante!