Mundo As novas ameaças e o Brasil

08:51  27 outubro  2020
08:51  27 outubro  2020 Fonte:   estadao.com.br

A cruzada judicial de 111 pastores da Igreja Universal contra um escritor por um tuíte

  A cruzada judicial de 111 pastores da Igreja Universal contra um escritor por um tuíte Religiosos demandam que J. P. Cuenca os indenize por danos morais causados por uma frase citando a igreja de Edir Macedo, Bolsonaro, enforcamento e tripasPara João Paulo Cuenca (Rio de Janeiro, 1978), o que está em jogo é o direito à liberdade de expressão, e o direito à ofensa, em um país polarizado ao extremo sob a presidência de Jair Bolsonaro, considerado “um fascista e um genocida” pelo escritor. Cuenca contou na semana passada em um café de São Paulo os detalhes do caso. Ressaltou, logo no início, que o tuíte é “uma paráfrase de uma metáfora de quase 300 anos”, escrita pelo francês Jean Meslier, sobre as elites e a Igreja católica.

Nesta semana, a deputada Natália Bonavides fala sobre o novo episódio de estímulo golpista vindo do presidente. Bolsonaro representa um grande e real perigo

Lula já não tem mais popularidade e isso está deixando ele louco, agora ele afirmou que o presidente Bolsonaro é criminoso miliciano e quer trazer o caos do

Grande parte das facilidades da nossa vida no planeta Terra depende, para seu funcionamento diário, de objetos baseados no espaço. Sistemas de comunicação, transporte aéreo, comércio marítimo, serviços financeiros, monitoramento de clima e defesa dependem da infraestrutura espacial, incluindo satélites, estações terrestres e movimentação de dados em âmbito nacional, regional e internacional. Essa dependência apresenta sérios – e frequentemente pouco percebidos – problemas de segurança para empresas provedoras e para os governos.

Nesse cenário, começam a ser examinadas novas ameaças de ataques aos satélites em órbita que podem afetar todos os serviços e facilidades mencionados. Essas ameaças devem estar sendo avaliadas pelo governo brasileiro. Além disso, a utilização do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, tornada possível depois de décadas de decisões equivocadas, representa um grande desafio para o governo e as empresas brasileiras. Não só pela necessidade de melhoria na infraestrutura da região e do próprio centro, mas também na legislação interna, sobre uma lei do espaço (que defina as atividades comerciais no espaço, como a utilização de detritos espaciais), sobre o órgão responsável pela negociação com empresas interessadas na utilização do CLA, a definição do contrato de licenciamento de lançamento, a ser assinado com a autoridade nacional e o comércio de tecnologia espacial.

Polícia prende padrasto suspeito de sequestrar e estuprar enteada de 13 anos

  Polícia prende padrasto suspeito de sequestrar e estuprar enteada de 13 anos Menina relata que era violentada desde os nove e recebia ameaças do agressor, que a tratava por 'sua mulher'

Diante de uma nova ameaça , o corpo tem de partir do zero e construir as defesas necessárias. Nesta reportagem, a BBC News Brasil explica como os cálculos são realizados. Mais de 77 mil O novo coronavírus (em azul) vem se espalhando rapidamente, mas tem uma taxa de mortalidade baixa.

Presidente da Bolívia, ameaça , com todas as letras que vai invadir o Brasil se a Presidente Dilma "cair".

Como qualquer outra infraestrutura digitalizada, satélites e outros objetos baseados no espaço são vulneráveis, em especial, a ameaças cibernéticas. As vulnerabilidades cibernéticas apresentam riscos muito sérios não só para esses objetos, mas também para infraestruturas essenciais terrestres. Se não forem contidas, essas ameaças poderão interferir no desenvolvimento econômico global e, por extensão, na segurança internacional. Cabe registrar que essas preocupações não são meramente hipotéticas. Na última década mais países e atores privados conseguiram adquirir e empregar meios para afetar esses objetos espaciais críticos com aplicações inovadoras que começam a representar uma ameaça real ao seu funcionamento.

Caso Robinho: Caio Ribeiro diz que condenado 'perde benefício da dúvida' após áudios revelados

  Caso Robinho: Caio Ribeiro diz que condenado 'perde benefício da dúvida' após áudios revelados Depois de escutar como atacante declarado culpado em primeira instância tratou jovem que o acusou de estupro, comentarista da Globo disparou que sentiu 'dor de estômago'Para o comentarista, a forma como o condenado se refere à jovem que foi abusada por cinco homens teria deixado Caio com nojo. Vale lembrar que o ex-atleta mudou seu posicionamento ao escutar mensagens adquiridas pela Justiça do país, divulgadas no Brasil pelo Ge.

Questionado pela BBC Brasil , o corregedor da PM do Rio, coronel Welste Medeiros, afirmou que a corporação não se omite em apurar crimes de seus membros e tem buscado soluções Terezinha agora divide o tempo entre o acompanhamento do caso e os cuidados com o restante da família.

O Brasil era frequentemente escolhido para sediar e presidir eventos internacionais, como a Rio+20, em e a H&M suspenderam temporariamente, por exemplo, novas compra de couro brasileiro até Perguntado pela BBC News Brasil se as ameaças de boicote a produtos brasileiros preocupam, o

A ideia da guerra espacial não é nova, começou com os foguetes V-2 da Alemanha. A eventual atividade bélica no espaço hoje se concentra nos instrumentos utilizados para as guerras na Terra. Os satélites são utilizados nas operações militares para identificar alvos e responder a questões estratégicas, além de localizar as forças militares e bombas e obter informações nos teatros de guerra. Isso torna os satélites alvos atrativos para mísseis terrestres. EUA, China e Índia estão desenvolvendo armamentos destrutivos de objetos no espaço, visando a impedir os sinais para a Terra dos satélites militares com lasers ou mesmo os explodindo, fazendo detritos se espalharem pelo cosmo. Estão também tornando suas Forças Armadas voltadas para o espaço. Em 2019 foi criada pelo governo dos EUA a Força Espacial, serviço militar independente cujos doutrina, treinamento e capacidade estão sendo definidos pelo Pentágono.

Ministra Damares pede 'cadeia' para Robinho e diz que participação do jogador 'está muito clara'

  Ministra Damares pede 'cadeia' para Robinho e diz que participação do jogador 'está muito clara' Chefe da pasta da Mulher, Família e Direitos Humanos do governo Bolsonaro parabenizou o Santos pela suspensão do contrato com o atacanteO atacante foi condenado em primeira instância na Itália em caso de violência sexual contra uma mulher, em 2013. O recurso do atacante começará a ser julgado em segunda instância em dezembro.

A DW Brasil conversou com economistas e representantes do setor financeiro para entender as Mas, para os especialistas ouvidos pela reportagem, o Brasil não fica muito atrás quando se trata de sistema Com o aumento no número de casos de covid-19 na Alemanha e a possibilidade de novas

O Presidente da Bolívia Evo Morales, ameaçou invadir o Brasil com suas tropas para defender o Governo Dilma, caso ocorra o impeachment. Caso a votação pelo

Para tentar evitar uma lei da selva espacial começa a ser discutido algum tipo de regime multilateral. No momento não há leis nem normas específicas para uma eventual guerra espacial. O Tratado sobre o Espaço Exterior, de 1967, proíbe a utilização de armas de destruição em massa no espaço, mas não trata de armas convencionais. Se dois satélites, por exemplo, ficam muito próximos de maneira ameaçadora, não há respostas adequadas. Em 2008 a União Europeia propôs um código de conduta voluntário para promover “comportamento responsável” nessa área. No mesmo ano, para se contrapor a essa iniciativa, China e Rússia propuseram um tratado que proibiria armas no espaço. O tratado não visava armas antissatélites, mas armas antimísseis baseadas no espaço. A oposição à iniciativa europeia, além da Rússia e da China, veio da América Latina e da África. Apesar de apoiar a desmilitarização do espaço, os países dessas regiões não aceitaram que os países com objetos no espaço pudessem ter o direito de usar a força para defendê-los. Nenhuma das duas iniciativas prosperou, mas experimentos militares com fins ofensivos continuam a ser feitos visando à eventual destruição de satélites que poderão ter efeitos devastadores para a defesa e as comunicações globais.

O governo brasileiro não poderá perder de vista as transformações positivas que ocorrerão na área aeroespacial pela redução de custos, por novas tecnologias e, sobretudo, pelo aparecimento de uma nova geração de empresários privados operando ao lado dos governos. Turismo para os ricos e mais avançada rede de comunicações para todos, exploração mineral e transporte de massa passarão a ter um impacto nos negócios e tornarão o espaço uma verdadeira extensão da Terra. Com visão de futuro, o Brasil, que passará a ter interesses concretos nesse campo, deveria fazer o acompanhamento da evolução tecnológica e geopolítica da exploração espacial.

Sem descurar das novas ameaças que começam a ser discutidas agora e poderão afetar as facilidades terrestres de que dispomos, o Brasil deveria participar dessas conversações, quando retomadas.

*

PRESIDENTE DO CENTRO DE DEFESA E SEGURANÇA NACIONAL (CEDESEN)

Decisão sobre 5G no Brasil deve considerar risco de espionagem não apenas da China, diz especialista da Eurasia .
Analista de geotecnologia Clarise Brown fala sobre as acusações de espionagem feitas pelos EUA contra a gigante Huawei e compartilha suas visões sobre os riscos e recompensas da tecnologia 5G.A maior fornecedora de equipamentos para telecomunicações do mundo, a chinesa Huawei, vem sendo acusada pelos EUA de servir como instrumento de espionagem ao governo chinês.

usr: 0
Isto é interessante!