Mundo Tribunal europeu favorece Facebook em disputa sobre documentos

21:45  29 outubro  2020
21:45  29 outubro  2020 Fonte:   reuters.com

Fórum dos Leitores

  Fórum dos Leitores Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. PauloMesmice

Por Foo Yun Chee

. © Reuters .

BRUXELAS (Reuters) - O Facebook conseguiu nesta quinta-feira uma decisão favorável do segundo tribunal mais importante da Europa em uma disputa com os reguladores antitruste da União Europeia sobre o que a empresa norte-americana diz serem demandas excessivas por dados, depois que um juiz estabeleceu condições específicas para o acesso aos seus documentos.

O grupo de mídia social dos EUA contestou a Comissão Europeia no Tribunal Geral, em Luxemburgo, em julho sobre suas demandas de acesso a documentos em duas investigações relacionadas à base de dados e marketplace.

Na Califórnia, Uber sofre pressão para tratar motorista como empregado

  Na Califórnia, Uber sofre pressão para tratar motorista como empregado Um tribunal de apelações do Estado decidiu pela mudança do vínculo empregatício de Uber e Lyft com seus motoristasA decisão reflete um crescente alinhamento entre tribunais estaduais e legisladores no país no sentido de afirmar que os motoristas de aplicativo não têm a independência necessária para serem considerados prestadores de serviços terceirizados. Porém, a medida ainda passará pelo crivo do eleitorado da Califórnia, quando for votada nas urnas daqui a duas semanas uma iniciativa patrocinada por startups que buscam uma isenção da lei para viabilizar suas operações.

O Facebook alegou que os reguladores antitruste da UE estavam buscando informações além do necessário, incluindo detalhes pessoais.

O Tribunal Geral afirmou que o Facebook enviará apenas os documentos solicitados relacionados com as suas atividades comerciais à Comissão Europeia.

"Esses documentos devem ser colocados em uma pasta que deve ser acessível a um número tão limitado quanto possível de membros da equipe responsável pela investigação, na presença (virtual ou física) de um número equivalente de advogados do Facebook da Irlanda", disse o presidente do tribunal, Marc van der Woude.

O Facebook, que disse que já forneceu mais de um milhão de documentos para autoridades antitruste da UE, comemorou a decisão do tribunal.

"Agradeçemos particularmente a avaliação de que informações altamente pessoais e irrelevantes possuem fortes proteções legais que precisam ser respeitadas na investigação em andamento da Comissão", disse a empresa em comunicado.

Cenário pós-eleição nos EUA favorece mercados asiáticos .
Vale venderá usina de níquel na Nova Caledônia

usr: 0
Isto é interessante!