Mundo Espanha suspende vacinação com AstraZeneca em menores de 60 anos

11:51  08 abril  2021
11:51  08 abril  2021 Fonte:   poder360.com.br

Vacinação contra covid: veja calendário atualizado em SP, Rio, DF, BH e outras 6 cidades

  Vacinação contra covid: veja calendário atualizado em SP, Rio, DF, BH e outras 6 cidades Saiba também quem pode receber a vacina hoje contra o coronavírus em Curitiba, Campinas, Porto Alegre, Salvador, Fortaleza e RecifeA campanha de vacinação no Brasil contra a covid-19 começou em 18 de janeiro. O Plano Nacional de Imunização (PNI) orienta que as vacinas sejam disponibilizadas por faixa etária com intervalos de cinco anos. No entanto, Estados e Municípios podem definir o cronograma, com agendamento ou não para que a vacina seja dada, conforme a disponibilidade de imunizações.

A Espanha decidiu interromper temporariamente o uso do imunizante contra a covid-19 da AstraZeneca, desenvolvido em parceria com a Universidade de Oxford, em pessoas que têm menos de 60 anos.

Voluntária recebe vacina contra covid-19 desenvolvida pela Oxford em parceria com a AstraZeneca © John Cairns/Universidade de Oxford Voluntária recebe vacina contra covid-19 desenvolvida pela Oxford em parceria com a AstraZeneca

Embora a EMA (Agência Europeia de Medicamentos) tenha concluído que os benefícios da vacina são maiores do que os riscos, o Ministério da Saúde espanhol decidiu usar o “princípio de precaução”.

A agência europeia nunca recomendou a suspensão da vacina da AstraZeneca. Mas o surgimento de casos de trombose na Europa em meados de março fez com que 15 países interrompessem seu uso, ao menos temporariamente. Depois de um breve período, a maioria dos países, inclusive a Espanha, retomou a aplicação da vacina.

Portugal suspende uso de vacina da AstraZeneca em menores de 60 anos

  Portugal suspende uso de vacina da AstraZeneca em menores de 60 anos Segue decisão de outros países europeus. Vacina é segura, diz agência reguladoraSegundo o ECDC (Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças), já foram administradas em Portugal 389 mil doses da vacina da AstraZeneca. O país tem armazenado outras 300 mil doses do imunizante.

Nessa 4ª feira (7.abr), a EMA disse que pode existir relação entre o imunizante e os acidentes vasculares. A agência europeia afirmou que a formação de “coágulos sanguíneos incomuns com baixo teor de plaquetas” devem ser listados como efeitos colaterais raros da vacina.

Receba a newsletter do Poder360

A EMA não foi capaz de encontrar fatores de risco específicos, mas a maioria dos casos registrados foi em pessoas abaixo dos 60 anos de idade.

O órgão europeu sustenta a tese de que a vacina é “segura e eficaz”. Mas o Ministério da Saúde espanhol decidiu aplicar o imunizante apenas em pessoas que têm menos de 60 anos (exceto no caso de trabalhadores essenciais).

O governo espanhol informou que vai analisar como deve proceder no caso de pessoas acima dos 65 anos, que até então só estavam recebendo doses das vacinas da Pfizer/BioNTech e Moderna.

AstraZeneca e Johnson & Johnson: os adenovírus no centro das suspeitas

  AstraZeneca e Johnson & Johnson: os adenovírus no centro das suspeitas Adolescente em surto psicótico é socorrida por equipes do Samu com o apoio da GM

A decisão da Espanha com relação à vacina da AstraZeneca traz novos desafios à estratégia de imunização no país. A maior parte dos trabalhadores essenciais com menos de 60 anos terá de esperar uma decisão sobre com qual medicamento será imunizada. Além disso, os que já receberam a 1ª dose deveriam receber a 2ª em um prazo de cerca de 12 semanas depois da 1ª aplicação.

Nos próximos dias, será decidido o que fazer com os cidadãos com menos de 60 anos que já receberam a 1ª dose da vacina AstraZeneca. Por enquanto, duas opções estão sendo estudadas: fornecer uma 2ª dose com uma vacina de outra marca ou não injetar a 2ª dose, já que, apenas com a 1ª, a eficácia é de 70% .

Receberam ambas as doses 2% das pessoas que têm de 18 a 24 anos, 4,5% das que têm de 25 a 49 anos, e 6% das que têm de 50 e 59.

Agência europeia reafirma apoio à vacina AstraZeneca e diz que coágulos são efeito colateral .
A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) reafirmou nesta quarta-feira (7) seu apoio à vacina anticovid da AstraZeneca, apesar dos coágulos sanguíneos sofridos por alguns que receberam o imunizante, um efeito colateral "raro" - insistem os especialistas. Ainda assim, a EMA afirmou que os coágulos sanguíneos são um efeito colateral "muito raro", encorajando os países a continuarem a usar o imunizante. O balanço entre riscos e benefícios permanece "positivo", de acordo com um comunicado da autoridade europeia.

usr: 1
Isto é interessante!