Mundo Larvas e insetos vão enriquecer o cardápio dos consumidores europeus

21:26  04 maio  2021
21:26  04 maio  2021 Fonte:   brasil.rfi.fr

União Europeia aprova consumo de alimentos à base de inseto

  União Europeia aprova consumo de alimentos à base de inseto (ANSA) - A União Europeia aprovou nesta terça-feira (4) a comercialização para consumo humano de alimentos à base de insetos, especialmente larvas de farinha. A decisão foi tomada após a avaliação científica da Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) de que as larvas do besouro tenebrio molitor, conhecidas como larvas de farinha, podem ser ingeridas com segurança. Esta é a primeira vez que a UE aprova um inseto como alimento. Segundo o bloco, ele poderá ser comercializado "como um inseto desidratado inteiro, como lanche ou como ingrediente de diversos produtos alimentícios, como pó em produtos proteicos, biscoitos ou massas".

Insetos assados e temperados como tira-gosto e massas à base de farinha de larvas vão em breve diversificar o cardápio dos consumidores no velho continente. Os 27 países da União Europeia (UE) autorizaram nesta terça-feira (4), pela primeira vez, a comercialização de insetos como alimentos.

  Larvas e insetos vão enriquecer o cardápio dos consumidores europeus © AFP - FEDERICO GAMBARINI

Em janeiro, a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) já havia concluído que as farinhas de larvas de insetos (Tenebrio molitor) podiam ser consumidas com segurança. Apoiados nesta conclusão, "os Estados-membros aprovaram a proposta da Comissão Europeia, que autoriza a utilização do produto como novo alimento", anunciou a Comissão.

Vingança: dupla joga mil baratas em restaurante por causa de dívida

  Vingança: dupla joga mil baratas em restaurante por causa de dívida Vingança: dupla joga mil baratas em restaurante por causa de dívida+União Europeia aprova consumo de alimentos feitos com insetos

"Pode ser usado como um inseto inteiro desidratado ou como ingrediente de diversos produtos alimentícios, biscoitos ou massas", indicou o comunicado.

Os alimentos à base de insetos (muito ricos em proteínas, minerais, vitaminas, fibras, mas também ácidos graxos saudáveis, ômega 6 e 3) podem ajudar a prevenir deficiências de nutrientes. A Organização das Nações Unidas para a Alimentação (FAO) os descreve como uma "fonte alimentar saudável e altamente nutritiva".

De acordo com a Comissão Europeia, o produto pode ser "uma fonte alternativa de proteína para apoiar a transição para um sistema alimentar mais sustentável", uma vez que a criação de insetos tem um custo ambiental limitado em comparação com outras fontes de proteína.

Há mais mosquitos no Ártico e a culpa é do aquecimento global

  Há mais mosquitos no Ártico e a culpa é do aquecimento global Há mais mosquitos no Ártico e a culpa é do aquecimento global+ Novas metas de emissões para 2030 reduzem estimativa de aquecimento global, mas não bastam

Os insetos, que não eram considerados alimentos para seres humanos, já foram comercializados na UE, especialmente em lojas de produtos orgânicos. A venda era possível porque vários países consideravam que eles não eram citados pela regulamentação alimentar europeia. Mas as regras atuais, em vigor desde janeiro de 2018, consideram explicitamente os insetos como alimento, sujeitos, portanto, à necessidade de uma autorização de comercialização.

Insetos consumidos por milhões de pessoas

Estima-se que milhões de pessoas consomem cerca de mil espécies de insetos na África, Ásia e América Latina. No entanto, nas fazendas de insetos na UE (que produzem milhares de toneladas por ano), eles são destinados principalmente para alimentar animais, especialmente peixes.

A autorização europeia para o consumo humano de farinha de larva de inseto será formalizada "nas próximas semanas", disse a Comissão. A empresa francesa Agronutris, que entrou com o pedido de autorização em 2018, comemorou a decisão. Segundo ela, a regulamentação europeia irá autorizar a comercialização de “insetos inteiros, assados e temperados, como tira-gosto e de farinha de larvas no limite de 10% de barras energéticas, biscoitos ou massas”.

A Ynsect, líder francesa na produção de farinhas de insetos para ração animal, já desenvolveu "um ingrediente à base de proteína de inseto sem óleo" para fabricar "barras energéticas" para atletas, e aguardava o sinal verde europeu.

Onze outros pedidos de comercialização de insetos foram apresentados à UE. A EFSA, com sede em Parma (Itália), concentra sua produção particularmente nos grilos e gafanhotos.

(Com informações da AFP)

Deputado francês leva baseado ao Parlamento durante debate sobre legalização da maconha .
Uma missão parlamentar multipartidária apresentou nesta quarta-feira (5) um relatório para defender a legalização da cannabis na França. Na véspera do debate, um deputado provocou escândalo ao exibir um baseado no Parlamento, durante um discurso em defesa da maconha. Os franceses estão entre os principais consumidores da erva na Europa e, apesar das penas em vigor, o país é visto como um dos menos repressivos sobre o assunto. O deputadoO deputado centrista François-Michel Lambert começou seu discurso em defesa da maconha mostrando um copo de plástico com uma folha de cannabis estampada, antes de exibir um baseado, o que lhe rendeu uma advertência imediata do presidente da Assembleia e um confronto com o ministro do Interior, Gér

usr: 1
Isto é interessante!