Mundo Escócia: premiê busca apoio para independência em eleições parlamentares

13:41  06 maio  2021
13:41  06 maio  2021 Fonte:   brasil.rfi.fr

Premiê da Suécia é sabatinado por deputados sobre gestão da pandemia em investigação histórica

  Premiê da Suécia é sabatinado por deputados sobre gestão da pandemia em investigação histórica Em uma histórica investigação parlamentar sobre as ações do governo sueco no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, o primeiro-ministro Stefan Löfven subiu à tribuna do plenário nesta segunda-feira (26) para ser interrogado pelos deputados que integram o Comitê de Constituição do Parlamento da Suécia (KU). Claudia Wallin, correspondente da RFI em Estocolmo Durante quase quatro horas de interrogatório, o primeiro-ministro sueco enfrentou uma artilharia de perguntas referentes à estratégia geral de combate ao Covid-19 e à responsabilidade do governo pelas diferentes medidas adotadas no curso da crise sanitária.

Os escoceses vão às urnas nesta quinta-feira (6) para renovar os 129 deputados do Parlamento local. Nessas eleições, as primeiras desde o início da pandemia e do Brexit, o partido da primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, espera obter aliados para pressionar a realização de um novo referendo para deixar o Reino Unido.

  Escócia: premiê busca apoio para independência em eleições parlamentares © AP - Thanassis Stavrakis

Em 2014, 55% dos escoceses optaram por ficar no Reino Unido. Segundo Johnson, essa é uma consulta que pode ser feita apenas "uma vez a cada geração". Os defensores de um novo referendo consideram, porém, que o Brexit, recusado por 62% dos escoceses, mudou o contexto. Em particular, para os setores da pesca e da agricultura, muito afetados pela saída da União Europeia (UE).

Premiê britânico enfrenta inquérito sobre reforma de apartamento

  Premiê britânico enfrenta inquérito sobre reforma de apartamento Premiê britânico enfrenta inquérito sobre reforma de apartamento Oito dias antes de eleições locais na Inglaterra, além das eleições das assembleias regionais galesas e escocesas, Johnson enfrenta uma série de alegações sobre tópicos que vão de sua inépcia inicial na crise da Covid-19 a dúvidas sobre quem vazou o que de seu escritório. "Agora estamos convencidos de que há motivos razoáveis para suspeitar que um crime ou crimes podem ter ocorrido", disse a comissão eleitoral. "Continuaremos, portanto, este trabalho como uma investigação formal para estabelecer se este é o caso.

Depois de uma série de pesquisas que nos últimos meses deram maioria à independência, a tendência parece estar se invertendo. De acordo com uma pesquisa publicada nesta semana, 49% dos escoceses votariam "não" em um referendo imediato, contra os 42% que votariam "sim".

Nicola Sturgeon, cuja popularidade entre os escoceses se consolidou graças à sua gestão da crise do coronavírus, pretende esperar o fim da pandemia. Seu partido promete um referendo no máximo em 2023. De acordo com o SNP, a independência tornaria a Escócia e seus 5,5 milhões de habitantes uma "nação mais justa e próspera", que eventualmente aspiraria a se juntar à União Europeia.

Os opositores da independência temem que a recuperação possa ser prejudicada após a pandemia. Para o chefe dos conservadores escoceses, Douglas Ross, um novo referendo seria uma "distração". De acordo com o trabalhista Anas Sarwar, um dentista de 37 anos, o país  precisa de formuladores de políticas "que queiram unificar" o Reino Unido, e "não dividi-lo".

O Estado paralelo do premiê da Hungria

  O Estado paralelo do premiê da Hungria Dezenas de milhares de abelhas foram retiradas da casa de uma mulher no estado da Geórgia, nos EUA, na quarta-feira (28). Por incrível que pareça, essa não foi a primeira vez que a casa dela foi invadida pelos insetos – e provavelmente não será a última.

Apoio crescente

No sistema híbrido, os eleitores votam duas vezes: em um candidato de sua circunscrição e em um partido. No total, 56 deputados do Parlamento local são eleitos pelo sistema proporcional. É nesta fase que se concentra Alex Salmond, o antecessor de Nicola Sturgeon à frente da Escócia e do SNP.

Seu recém-criado partido, o Alba, com o qual pretende formar uma "supermaioria" pró-independência, vem ganhando apoio crescente de acordo com as últimas pesquisas. Nicola Sturgeon o acusa de "brincar com o futuro do país". A primeira-ministra e seu ex-mentor entraram em confronto público sobre como lidaram com as acusações de agressão sexual, das quais Salmond acabou sendo absolvido.

Em seu programa, o SNP argumenta que a independência permitirá que a Escócia controle sua economia, se comprometendo com a criação de novos empregos verdes e com o apoio às start-ups. A legenda também insiste na necessidade de o setor da pesca poder ter acesso ao mercado único europeu. Já os conservadores alegam que a independência vai "prejudicar" a economia.

(RFI e AFP)

Fórum dos Leitores .
Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. PauloFestival de horrores

usr: 3
Isto é interessante!