Mundo Países fecham fronteiras com a Índia por aumento da covid-19

19:11  06 maio  2021
19:11  06 maio  2021 Fonte:   afp.com

Índia: ajuda internacional começa a chegar para lutar contra a catástrofe causada pela Covid-19

  Índia: ajuda internacional começa a chegar para lutar contra a catástrofe causada pela Covid-19 A ajuda internacional prometida à Índia, atingida por uma segunda onda epidêmica devastadora, começou a chegar com as primeiras remessas de equipamentos médicos e oxigênio da Grã-Bretanha a Nova Délhi na manhã de terça-feira (27). A Índia anunciou 352.991 novas infecções e 2.812 mortes na segunda-feira (26). Profissionais de saúde e familiares de pacientes buscam desesperadamente suprimentos de oxigênio e vagas em hospitais. Os primeirosA Índia anunciou 352.991 novas infecções e 2.812 mortes na segunda-feira (26). Profissionais de saúde e familiares de pacientes buscam desesperadamente suprimentos de oxigênio e vagas em hospitais.

O Sri Lanka fechou nesta quinta-feira (6) suas fronteiras com a Índia, seguindo os passos de outros vizinhos do gigante do Sudeste Asiático, que luta contra uma onda brutal do coronavírus.

Paciente de covid-19 aguarda em ambulância por atendimento no hospital Lok Nayak Jai Prakash (LNJP) de Nova Délhi © Prakash SINGH Paciente de covid-19 aguarda em ambulância por atendimento no hospital Lok Nayak Jai Prakash (LNJP) de Nova Délhi

Bangladesh e Nepal também fecharam suas fronteiras com a Índia, que registrou um grande número de infecções e mortes relacionadas à covid-19 nas últimas três semanas.

A Índia contabiliza mais de 230.000 mortes e 21 milhões de casos desde o início da pandemia.

Sri Lanka, Bangladesh e Nepal combatem seus próprios problemas sanitários, enquanto a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho destaca "um desastre humanitário que se aprofunda" no sul da Ásia.

Crise na Índia mostra a países ricos efeito de acumular vacinas

  Crise na Índia mostra a países ricos efeito de acumular vacinas Durante meses, países desenvolvidos acumularam vacinas contra a Covid-19 e as matérias-primas necessárias para produzi-las. Agora, são obrigados a agir diante da disparada de casos na Índia, o que aumenta o risco de novas variantes do coronavírus que podem ameaçar o resto do mundo. Sob crescentes críticas por dominar os recursos para vacinas, os Estados Unidos disseram esta semana que vão ajudar a Índia com itens necessários para a fabricação de imunizantes. Países europeus também prometeram ajuda quando os novos casos no país do sul da Ásia batem recordes mundiais.

O governo do Sri Lanka proibiu a entrada em seu território de passageiros em voos procedentes da Índia. O país registrou nesta quinta um recorde de mortes diárias, com 14 e 1.939 infecções em 24 horas.

A Marinha do Sri Lanka, que intensificou suas patrulhas para evitar que os pesqueiros indianos se aproximem de suas águas, informou que interceptou hoje 11 embarcações que cruzavam o estreito entre os dois países vizinhos.

Bangladesh suspendeu os voos internacionais a partir de 14 de abril e fechou sua fronteira com a Índia em 26 de abril.

Colombo notificou 11.755 mortes ligadas à covid-19 e 767.338 casos da doença, embora os especialistas acreditem que os números reais seja muito mais elevados, como em todos os países do sul da Ásia.

Com piora da pandemia, Índia censura redes sociais

  Com piora da pandemia, Índia censura redes sociais Autoridades indianas voltaram a remover postagens críticas à gestão da pandemia. Governo também tem ameaçado usar Lei de Segurança Nacional contra pessoas que denunciam escassez de suprimentos médicos. © Channi Anand/AP Photo/picture alliance Alguns jornalistas afirmam que foram pressionados por fazer reportagens sobre a crise atual O governo indiano está exigindo que sites de mídias sociais como Twitter, Facebook e Instagram bloqueiem postagens que critiquem a gestão da atual crise de saúde pública nacional provocada pela pandemia do coronavírus.

Bangladesh recebeu 10 milhões de doses de vacinas da Índia, mas o fornecimento foi interrompido e o governo agora está em negociações com a China.

O Nepal, por sua vez, suspendeu os voos internacionais por uma semana, até 14 de maio. Apenas dois voos semanais para a Índia são permitidos para repatriar cidadãos bloqueados. A maioria dos postos de fronteira também estão fechados e apenas os nepaleses que retornam ao seu país podem cruzar os que seguem abertos.

A maioria dos hospitais do Nepal estão lotados de pacientes com covid-19, de acordo com a Cruz Vermelha e o Crescente Vermelho.

"As cidades do sul perto da fronteira com a Índia não conseguem lidar com o número crescente de pessoas que precisam de tratamento médico", informaram. "O Nepal atualmente tem 57 vezes mais casos do que há um mês", observaram.

Nepal, Bangladesh e Paquistão registram atualmente taxas exorbitantes de mortes por covid. O Paquistão fechou suas fronteiras com a Índia antes do início da nova onda devido a tensões políticas.

"Devemos agir agora e rapidamente para manter alguma esperança de conter esta catástrofe humanitária", disse o diretor regional da organização para a região da Ásia-Pacífico, Alexander Matheou.

"Esse vírus não respeita fronteiras e suas variantes se espalham pela Ásia", alertou.

Até mesmo as Maldivas, um destino turístico de luxo, aumentaram as restrições para os viajantes indianos e exigem testes negativos para permitir sua entrada.

A Índia é o maior mercado de turismo para o Sri Lanka e também para as Maldivas, que agora são fortemente afetadas economicamente pela nova onda do coronavírus.

As Maldivas contabilizam 32.665 infecções e 74 mortes.

aj/tw/leg/lch/age/jz/mr

Componente político une catástrofes no Brasil e na Índia .
Componente político une catástrofes no Brasil e na ÍndiaÀ frente de grandes economias emergentes e de enormes discrepâncias de renda, tanto o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, como o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, foram relutantes em adotar um lockdown para frear a atual avalanche de novos casos.

usr: 1
Isto é interessante!