Mundo Índia supera 4.000 mortes diárias por covid e debate sobre patentes continua

17:30  08 maio  2021
17:30  08 maio  2021 Fonte:   afp.com

Covid: mesmo em colapso, Índia ainda tem 1/6 da taxa diária de mortes do Brasil após queda

  Covid: mesmo em colapso, Índia ainda tem 1/6 da taxa diária de mortes do Brasil após queda Ambos os países sofrem com subnotificação, mas especialistas acreditam que números são substancialmente maiores no país asiático.Segundo dados da plataforma Our World in Data, ligada à Universidade Oxford (Reino Unido), a média móvel de mortes confirmadas nos sete dias imediatamente anteriores no Brasil foi de 11,44 por milhão de habitantes na terça-feira (27/04). Na Índia, essa taxa foi de 1,93.

O coronavírus continua castigando a Índia com dureza sem precedentes e mais de 4.000 pessoas morreram nas últimas 24 horas, num momento em que o debate sobre o levantamento das patentes das vacinas anticovid ganha fôlego no mundo com um novo defensor: o papa Francisco.

Vítima da covid-19 antes de enterro na cidade indiana de Pali, em 8 de maio de 2021 © SAJJAD HUSSAIN Vítima da covid-19 antes de enterro na cidade indiana de Pali, em 8 de maio de 2021 Líderes da União Europeia reunidos para cúpula no Porto, Portugal © MIGUEL RIOPA Líderes da União Europeia reunidos para cúpula no Porto, Portugal

A virulência da pandemia subjugou o frágil sistema de saúde da Índia, país de 1,3 bilhão de habitantes que registrou 4.187 mortes neste sábado (8), segundo dados oficiais.

Senado aprova projeto que prevê quebra de patentes de vacinas e remédios contra covid

  Senado aprova projeto que prevê quebra de patentes de vacinas e remédios contra covid Com a mudança, produtos com eficácia comprada contra o vírus não precisariam seguir direitos de propriedade intelectual durante a pandemia; texto original foi alterado após críticas da gestão BolsonaroBRASÍLIA - O Senado aprovou, nesta quinta-feira (29), o projeto que autoriza a quebra de patentes para vacinas e medicamentos relacionados ao combate à pandemia de covid-19, por 55 votos a 19. O relator, senador Nelsinho Trad (PSD-MS), alterou o texto original após críticas do governo federal e do setor empresarial. A nova versão, porém, ainda é alvo de questionamentos.

Pessoas infectadas com o coronavírus continuam morrendo nas portas dos hospitais, que colapsaram apesar da ajuda internacional. E o pior ainda estar por vir, segundo especialistas, que esperam um pico no final de maio.

O gigante asiático acumula 238.270 mortes e 21,9 milhões de casos, números que vêm aumentando rapidamente, enquanto no resto do mundo as infecções e óbitos parecem mais controladas.

Diante da deterioração da situação, um confinamento de uma semana começa hoje no estado de Kerala, no sudoeste do país. Na região de Karnataka valerá por duas semanas.

A situação em Nova Délhi, a capital de 20 milhões de habitantes, e em Mumbai está se estabilizando, mas a escassez de suprimentos continua.

A catástrofe atingiu países vizinhos como Bangladesh, Nepal e Sri Lanka, que fecharam suas fronteiras com a Índia, enquanto o Paquistão impôs um fechamento de nove dias durante o feriado muçulmano do Eid al-Fitr.

EUA apoiam liberar patentes das vacinas contra o coronavírus para uso universal

  EUA apoiam liberar patentes das vacinas contra o coronavírus para uso universal Governo Biden muda de opinião após pressão de uma centena de países. “As circunstâncias extraordinárias da pandemia exigem medidas extraordinárias”, diz representante do ComércioO presidente Joe Biden anunciou na quarta-feira que sua Administração aceitará suspender as patentes das vacinas contra o coronavírus. O anúncio chega quando a situação na Índia, que atravessa a pior onda da covid-19 do mundo desde o começo da pandemia, lembra aos Estados mais desenvolvidos que, até que o coronavírus seja derrotado em todo o planeta, ninguém estará totalmente a salvo.

- Levantamento de patentes -

O debate sobre um acesso mais rápido e justo às vacinas contra o coronavírus em todo o mundo, especialmente em países com menos recursos, está ganhando impulso.

"O mais importante que precisamos agora são vacinas, igualdade de vacinas", disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Neste sábado, a União Europeia (UE) declarou estar pronta para discutir o levantamento das patentes das vacinas anticovid durante uma cúpula em Portugal.

"Não acreditamos que a curto prazo possa ser uma solução mágica, mas temos de estar prontos para discutir este assunto quando forem apresentadas propostas concretas", afirmou o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel.

Na reunião, a UE também anunciou um acordo com os laboratórios Pfizer/BioNTech para comprar até 1,8 bilhão de doses adicionais de sua vacina anticovid.

Itália sinaliza apoio a quebra de patentes de vacinas anti-Covid

  Itália sinaliza apoio a quebra de patentes de vacinas anti-Covid (ANSA) - A Itália sinalizou nesta quinta-feira (6) um apoio à proposta de suspender temporariamente as patentes de vacinas contra o novo coronavírus, medida agora defendida pelos Estados Unidos. O premiê italiano, Mario Draghi, que concede raras entrevistas, ainda não se pronunciou sobre o assunto, mas dois de seus principais ministros indicaram ser a favor da quebra das patentes. "A reviravolta de Biden sobre o livre acesso a patentes de vacinas é um importante passo à frente. A Europa também deve fazer sua parte. Essa pandemia nos ensinou que só podemos vencer juntos", disse o ministro da Saúde da Itália, Roberto Speranza, de centro-esquerda, no Facebook.

A possível suspensão das patentes dos imunizantes foi proposta pela Índia e África do Sul e recebeu apoio surpreendente dos Estados Unidos esta semana, colocando a questão no centro da agenda da crise de saúde.

Neste sábado, o papa Francisco insistiu na necessidade de "um espírito de justiça que nos mobilize para garantir o acesso universal à vacina e a suspensão temporária dos direitos de propriedade intelectual".

"Uma variante desse vírus é o nacionalismo fechado, que impede, por exemplo, um internacionalismo das vacinas. Outra é quando colocamos as leis de mercado ou de propriedade intelectual acima das leis do amor e da saúde da humanidade", afirmou Francisco em mensagem enviada aos organizadores de um show em prol de uma vacinação mais rápida e equitativa contra o coronavírus em todo o mundo.

Essa iniciativa, que aceleraria a produção mundial, é vista com bons olhos pela França e pela Rússia, mas encontra oposição da Alemanha. Sua aprovação requer o acordo dos membros da Organização Mundial do Comércio (OMC).

- Casos na América Latina caem -

Índia se aproxima de 4.000 mortes por dia; EUA apoia suspensão de patentes de vacinas anticovid

  Índia se aproxima de 4.000 mortes por dia; EUA apoia suspensão de patentes de vacinas anticovid Índia tem novo recorde de mortes

Num momento em que as mortes chegam a 3,27 milhões em todo o mundo e as campanhas de vacinação avançam de forma desigual, o número de infecções diminuiu na Europa, Estados Unidos, Canadá e América Latina.

No México, as medidas de distanciamento social na capital serão reduzidas a partir da próxima semana, devido ao contínuo declínio das infecções.

Na Europa também há otimismo. Depois de um ligeiro declínio no número de casos, na Alemanha "a terceira onda parece ser contida", segundo o ministro da Saúde, Jens Spahn.

Neste sábado e passados quase sete meses, os belgas puderam voltar às áreas externas de cafés e bares. E na Espanha o estado de alarme, que restringe, por exemplo, a mobilidade entre regiões, será levantado no domingo.

A situação é diferente no Japão, onde o governo estendeu na sexta-feira o estado de emergência em Tóquio e em várias regiões, faltando menos de três meses para os Jogos Olímpicos, devido ao aumento das infecções.

Embora essa nova onda de casos seja menos grave do que a registrada em outros países, está levando o sistema hospitalar do país ao limite.

Apesar do novo surto, o vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), John Coates, declarou hoje que nada poderá impedir que as Olimpíadas de Tóquio (de 23 de julho a 8 de agosto) sejam realizadas conforme planejado.

burs-mas/bl/mr

Líderes da UE afirmam que quebrar patente de vacinas não é "solução mágica" .
Reunidos em Portugal, políticos dizem que prioridade é ampliar produção e distribuição de imunizantes. Macron e Merkel cobram dos EUA exportação de doses e insumos. © Jose Coelho/REUTERS Macron disse não haver fábrica no mundo hoje que não produza vacina contra covid por causa de patentes Líderes da União Europeia elevaram suas críticas à proposta dos Estados Unidos de quebrar patentes de vacinas contra a covid-19 como forma de ampliar a oferta de imunizantes, e pediram que o presidente americano apresente um plano concreto sobre o tema.

usr: 3
Isto é interessante!