Mundo Taxa de vacinação na Europa é insuficiente para evitar nova onda, diz OMS

03:10  11 junho  2021
03:10  11 junho  2021 Fonte:   poder360.com.br

OMS aprova uso emergencial da CoronaVac do laboratório chinês Sinovac

  OMS aprova uso emergencial da CoronaVac do laboratório chinês Sinovac A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou nesta terça-feira (1º), o uso emergencial da vacina chinesa anti-Covid do laboratório Sinovac, que é comercializada no Brasil com o nome CoronaVac. A autorização irá agilizar as campanhas de vacinação principalmente em países pobres. Este é o segundo imunizante chinês aprovado pela OMS. O comitê de especialistas em vacinas da agência da ONU recomenda a CoronaVac, que requer duas doses com intervalo de duas a quatro semanas, para pessoas com 18 anos de idade ou mais, informou um comunicado à imprensa.A vacina da Sinovac já é aplicada em 22 países e territórios, segundo dados coletados pela AFP.

Ele também pediu que os países evitem o erro do verão do ano passado, quando a flexibilização das medidas no continente provocou um aumento do número de casos, levando à segunda onda , iniciada em setembro de 2020. “ A cobertura vacinal não é suficiente para proteger a região de uma nova O representante da OMS na Europa também pediu que a população mantenha as medidas de higiene e de distanciamento e evite as viagens para o exterior. Apesar de a situação na região ter melhorado, com uma forte queda das mortes e dos casos nas últimas semanas, a Europa está “longe de estar

La cobertura de las vacunas está lejos de ser suficiente para proteger a la región de rebrotes”, señaló en rueda de prensa el director de OMS - Europa , Hans Kluge. Kluge habló de no repetir los “errores” del verano pasado, cuando se produjo también una acusada caída del contagio, y de que quienes elijan viajar, lo hagan de forma “responsable”. Así, recordó la necesidad de lavarse las manos con frecuencia, mantener la distancia recomendada, elegir espacios abiertos y usar cubrebocas cuando sea necesario, además de evitar los lugares cerrados y con mucha gente.

O diretor da divisão europeia da OMS (Organização Mundial da Saúde), Hans Kluge, disse em anúncio nesta 5ª feira (10.jun.2021) que as taxas de vacinação na Europa ainda são insuficientes para evitar o ressurgimento da covid-19.

Sede do escritório da OMS (Organização Mundial da Saúde) em Genebra, na Suíça © Pierre Virot/WHO Sede do escritório da OMS (Organização Mundial da Saúde) em Genebra, na Suíça

Receba a newsletter do Poder360

Embora tenhamos chegado longe, ainda não chegamos longe o suficiente (…) A distância a percorrer antes de atingir pelo menos 80% de cobertura da população adulta, ainda é considerável“, disse Kluge.

O diretor afirmou que até o momento 30% da população europeia recebeu a 1ª dose e 17% a imunização completa com duas doses de vacina.

Aprovação da OMS dá 'aval' à Coronavac, dizem especialistas

  Aprovação da OMS dá 'aval' à Coronavac, dizem especialistas Vacina teve uso emergencial confirmado nesta terça-feira (1/5) pela organização e se junta a notícias de resultados positivos do imunizante no Brasil, Chile e Uruguai.Isso quer dizer, na prática, que países poderão acelerar seus processos de aprovação interna para uso de vacina, casos suas regras permitam que decisões de órgãos internacionais como a OMS sirvam como comprovação de eficácia e segurança; e que o imunizante poderá ser incorporado ao consórcio Covax Facility, liderado pela o OMS com o objetivo de distribuir doses entre os países de forma mais igualitária.

A OMS afirmou nesta quinta-feira (10) que o nível de vacinação na Europa é insuficiente para evitar o ressurgimento da pandemia. O diretor da entidade no continente, Hans Kluge, pediu que se evite o “erro” do aumento de casos durante o verão. Ele afirmou que a estabilidade só será atingida com 80 “ A cobertura da vacinação está longe de ser suficiente para proteger a região de um ressurgimento. O caminho a percorrer para alcançar uma cobertura de pelo menos 80% da população adulta ainda é considerável.” Até o momento, nos 53 territórios europeus, 30% das pessoas receberam a primeira

A situação na Europa melhorou com a queda nos casos e mortes nos últimos dois meses e alguma flexibilização das restrições. "Mas ainda "estamos longe de deixar de estar em perigo", afirmou. Pela primeira vez desde o outono de 2020, o número de mortes semanais na área europeia caiu para A OMS reiterou sua preocupação com a circulação de novas variantes, como a Delta detectada inicialmente na Índia. Mais contagiosa, suspeita-se que seja mais resistente, mesmo após a primeira dose da vacina. Essa variante Delta "partiu para se estabelecer" na Europa , enquanto "muitas

Mais de 400 milhões de doses de vacinas contra o coronavírus foram administradas em todo o continente nos últimos 6 meses.

Devemos lembrar também que ser vacinado não nos impede automaticamente de adoecer ou espalhar o vírus. A vacinação, no entanto, reduz a chance de ficarmos gravemente doentes ou morrermos da covid-19“, disse Kluge.

A OMS também recomenda que os cidadãos evitem espaços fechados e continuem se prevenindo contra a doença.

Lembre-se: lave suas mãos frequentemente, mantenha distância, escolha lugares abertos e use máscara“, afirmou Kluge.

Segundo o diretor, “à medida que a cobertura vacinal aumenta, precisamos nos ater firmemente a medidas de proteção para reprimir o vírus (…) Uma combinação de medidas de saúde pública e vacinação – não uma ou outra – é a saída para esta pandemia“.

MG deve completar vacinação até outubro; em BH, Kalil não promete 'milagre' .
Enquanto o estado de São Paulo e a cidade do Rio de Janeiro estipulam datas para vacinar adultos, prefeito de BH critica previsão sem vacinas garantidasPara cumprir o calendário, no entanto, as prefeituras precisam aguardar a distribuição das doses pelas respectivas secretarias estaduais de Saúde, que, por sua vez, contam com o envio do Ministério da Saúde.

usr: 3
Isto é interessante!