Mundo Rússia lança novo caça 'invisível' e mira até a Argentina

09:29  21 julho  2021
09:29  21 julho  2021 Fonte:   folha.uol.com.br

Contra o Brasil e contra os tabus: Argentina tentará quebrar escritas para ser campeã da Copa América

  Contra o Brasil e contra os tabus: Argentina tentará quebrar escritas para ser campeã da Copa América Rivais duelam na final da competição continental neste sábado, no Maracanã. No século XXI, Canarinho venceu três vezes o torneio contra nenhuma da Albiceleste- Título com o time B! Lembre os jogadores do Brasil x Argentina do gol de Adriano na final da Copa América de 2004

Rússia lança novo caça ' invisível ' e mira até a Argentina ; veja vídeo - Tatiana Makeieva/Reuters. Compartilhar mercado financeiro: Disparada do dólar paralelo volta a ser preocupação na Argentina .

A nova aeronave é menor do que o mais recente caça stealth bimotor Su-57 da Rússia , também construído pela Sukhoi, e tem apenas um motor. Ainda não recebeu um nome e nenhum detalhe foi dado sobre suas características e perspectivas de produção. A estatal russa Rostec, que inclui a Sukhoi e outros fabricantes de aeronaves, anunciou o novo avião sob a marca Checkmate, aparentemente com a intenção de enfatizar Nada de novo ,mesma tecnologia utilizada há mais de 20 anos no F-22, até a Turquia já tem um projeto desses. A Coréia do Sul vai voar um ainda este ano.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Desde que o Sukhoi Su-57 levantou voo pela primeira vez, há 11 anos, a Rússia não anunciava o lançamento de um novo modelo de avião de caça. Isso até esta terça (20), quando a mesma fabricante revela o Checkmate (xeque-mate, em inglês mesmo).

Trata-se de, assim como o irmão mais velho, de um avião que se anuncia de quinta geração. Conceito elástico, ele sugere capacidades de ser algo furtivo ao radar, fusão de dados sofisticada, integração com outras aeronaves e alto desempenho supersônico.

A Sukhoi apenas apresentou no salão aeroespacial Maks-2021 uma maquete do avião, que ainda não tem uma designação oficial. Não se sabe nada acerca do seu estágio de desenvolvimento ainda.

Carrasco do Brasil na Copa América, Di María registra a conquista em tatuagem

  Carrasco do Brasil na Copa América, Di María registra a conquista em tatuagem Jogador argentino aproveitou a falha de Renan Lodi para encobrir Ederson e marcar o único gol da final da Copa América+ Confira todos os resultados da Libertadores

Novo caça da FAB, Gripen entra na fase de teste de voo.

A Rostec publicou uma imagem em seu perfil do Twitter mostrando parte da fuselagem do caça , que estaria realizando um voo sobre o mar. Sob a fuselagem está instalado um novo tipo de estação de localização óptica e em seu painel espelhado se reflete um navio militar que recorda um destróier da Marinha britânica Type 45. De acordo com a fonte, este equipamento é usado "para guiar as armas das aeronaves" e atingir alvos terrestres e marítimos. Anteriormente, a Rostec informou que estava desenvolvendo o primeiro caça leve monomotor multifuncional de quinta geração da Rússia .

A marca, que integra a divisão de aviões de combate do conglomerado russo United Aircraft Corporation com a MiG, antecipou o surpreendente anúncio com uma eficaz campanha de viralização com vídeos e postagens em redes sociais nas duas últimas semanas.

Nela, a vocação naval do caça era sugerida com a presença de sensores de rastreio de navios. A maquete era acompanhada por um míssil antinavio KH-59MK.

Para prestigiar o evento, o próprio presidente Vladimir Putin esteve presente na abertura em Jukovski, perto de Moscou.

Isso reflete a ambição russa: convencer potenciais compradores no exterior, preferencialmente em mercados emergentes da Ásia, Oriente Médio e até América Latina, de que o avião é viável e irá incorporar de forma mais barata as tecnologias testadas no Su-57.

Covid-19: Argentina estende restrições para o retorno de cidadãos ao país

  Covid-19: Argentina estende restrições para o retorno de cidadãos ao país Entram em vigor neste sábado (10) as novas medidas anticovid do governo argentino que afetam viajantes no exterior. A Argentina é a única nação no mundo a limitar o retorno ao país dos próprios cidadãos, levando companhias aéreas a cancelarem voos e a reavaliarem operações no país. Márcio Resende, correspondente da RFI em Buenos Aires Desde o dia 28 de junho, apenas 600 argentinos e residentes podem voltar no país diariamente pela única porta de entrada, o aeroporto internacional de Buenos Aires. Esse número será elevado a mil até, pelo menos, 6 de agosto, mas de forma gradativa. "Foram estabelecidas as seguintes cotas semanais para voos de passageiros: 5.

Documentary. Director: Jason Bermas. Running time: 2:14:00.

Casa Invisibile is a flexible housing unit, which consists of a prefabricated wood structure designed for turnkey implementation at any designated site. Maximum flexibility and spatial quality are the key elements in its concept of development. The open layout is structured by a chimney and a wet cell creating three spatial units that provide for individual use and design. Through modular element construction and the inten- sive use of wood, the housing units can be completely disassembled thus minimizing their environmental footprint. By combining innovation and mobility at a reasonable price, Casa Invisibile is a

Assim, o desenho apresentado na maquete sugere uma versão peso-leve do grande avião bimotor que entrou em operação apenas no fim de 2020. Ele é monomotor, o primeiro caça do tipo desenhado no país desde a estreia do MiG-23 em 1970.

Isso barateia as coisas, talvez colocando um avião desses com um preço de prateleira em torno de US$ 50 milhões, ante US$ 80 milhões do americano F-35, seu alvo principal —conhecido por ser caríssimo para operar (US$ 38 mil/hora-voo).

Num dos vídeos da Sukhoi, pilotos de países-alvo da Rússia eram chamados para conhecer o avião: havia um emirati, um indiano, um vietnamita e até um argentino.

O vizinho do Brasil tem uma Força Aérea em estado de petição de miséria, e foi abordada neste ano pela China para a aquisição de caças leves FC-21 —que, com assentos ejetores britânicos, podem ter a venda impedida por Londres, rival de Buenos Aires sobre o tema das ilhas Falkland (Malvinas).

Putin inspeciona novo jato de combate da Rússia lançado em evento aéreo

  Putin inspeciona novo jato de combate da Rússia lançado em evento aéreo Putin inspeciona novo jato de combate da Rússia lançado em evento aéreoMOSCOU (Reuters) - O presidente russo, Vladimir Putin, inspecionou o protótipo de um novo jato de combate Sukhoi da quinta geração, nesta terça-feira, quando a Rússia lançou em seu anual show aéreo MAKS, de olho no mercado de exportação.

Jason Bermas presents Invisible Empire : A New World Order Defined produced by Alex Jones.

Argentina (Spanish: [aɾxenˈtina]), officially the Argentine Republic (Spanish: República Argentina ), is a country located mostly in the southern half of South America.

Um avião 100% russo não traria tal problema, mas a questão financeira pesa. Já a Índia é uma cliente quase certa sempre: 23% do total de exportações militares russas de 2016 a 2020 foram para Nova Déli, segundo o Sipri (Instituto Internacional da Paz de Estocolmo).

Já a partir das poucas imagens disponíveis, analistas militares gastaram bytes para tentar entender o que o Checkmate traria. Ele traz elementos que garantem um certo grau de furtividade ao radar, notadamente a entrada de ar ventral reminiscente do X-32, avião que perdeu a competição para o F-35 nos EUA, e copia do Su-57 o uso de estabilizadores verticais móveis.

Com desenho angulado e o presumido uso de materiais absorventes de radar, o novo modelo deverá estar para o Su-57 como o monomotor F-35 está para o principal avião de quinta geração em uso no mundo, o bimotor F-22.

Antes de tudo, claro, o avião precisa existir, e é aí que as coisas se complicam.

Dados sobre investimento em programas militares são escarsos na Rússia, e a imprensa estatal só informa que a compra dos Su-57 teve US$ 2,63 bilhões destinados até aqui. É pouco dinheiro para o negócio todo, considerando que um avião desses custa perto de US$ 100 milhões.

Rússia proíbe importação de tabaco brasileiro a partir de 2ª feira

  Rússia proíbe importação de tabaco brasileiro a partir de 2ª feira Medida foi tomada depois que o órgão de vigilância fitossanitária russo detectou insetos no produtoReceba a newsletter do Poder360

Para tentar uma largada direta na carreira de exportação, é sempre necessária alguma compra do governo do país produtor. É assim no mundo todo: os caças turboélice Super Tucano e o cargueiro KC-390 da Embraer só conseguiram clientes externos depois de ver encomendas da Força Aérea.

Carência existe: há cerca de 250 bimotores leves MiG-29 rumando à aposentadoria, dando lugar aos modelos pesados da família do Sukhoi Su-27, que poderiam ser substituídos pelo Checkmate.

A Rússia também levanta dúvidas sobre a capacidade de desenvolvimento. Seus principais aviões exportados são da linhagem soviética do Su-27, conhecido como Flanker na designação ocidental.

São aviões altamente modernizados, como o Su-35, que conquistou encomendas recentes no Egito e na Argélia, e está sendo considerado pela integrante da Otan (aliança militar ocidental) Turquia, banida do programa do F-35 por comprar sistemas antiaéreos russos.

Mas são modelos da chamada quarta geração, o que projeta uma vida útil mais curta —ainda que haja uma tendência mundial em esticar ao máximo a operação desses caças, dado que são mais baratos de operar e, ao fim, dão conta do recado.

Os próprios Estados Unidos trabalham desta forma, tendo reduzido sua encomenda original dos caríssimos F-22, os quais podem até ser aposentados. Neste ano, comprou oito versões modernizadas do venerando F-15, a EX, por US$ 1,1 bilhão.

Documentos sugerem complô de Putin para eleger Trump presidente, diz jornal

  Documentos sugerem complô de Putin para eleger Trump presidente, diz jornal Reportagem do The Guardian analisou relatórios supostamente vazados do Kremlin sugerem que o presidente da Rússia, Vladmir Putin, autorizou uma operação secreta para apoiar Donald Trump em sua campanha para a presidência dos Estados Unidos. A informação foi divulgada nesta 5ª feira (15.jul.2021) pelo The Guardian, que afirma ter tido acesso ao material.

Outra questão para os russos é a tecnologia. Objeto de sanções ocidentais, o país de Putin experimentou muitas dificuldades para desenvolver o Su-57, seu primeiro caça realmente novo depois do fim da União Soviética, em 1991.

O desenho dele, pensado desde os anos 1980, foi finalizado em 2004. O primeiro protótipo voou seis anos depois, mas problemas com sua aerodinâmica e a impossibilidade de finalizar um novo motor arrastaram o projeto.

A Índia, parceira inicial da empreitada, desistiu em 2018. Mas os russos acabaram por encomendar 76 unidades, a primeira das quais está operacional desde dezembro passado. Exportações, até aqui, foram apenas rumores —nesta terça o responsável pelas vendas militares russas, Alexander Mikeiev, disse que há cinco países interessados.

Analistas apontam, por outro lado, modelos no mercado que passaram anos sem empolgar clientes externos e acabaram bem aceitos, como o caso do francês Dassault Rafale.

A Rússia quer manter sua posição ainda privilegiada neste mercado, embora não tenha tido sucesso em locais como o Brasil. Os 231 caças entregues para clientes externos de 2016 a 2020 somaram 49% dos lucros militares de Moscou no período.

Do ano 2000 para cá, a Rússia foi a segunda maior vendedora de caças do mundo, com US$ 61,5 bilhões exportados. Os EUA lideram com US$ 99,6 bilhões e os franceses vêm abaixo, com US$ 14,7 bilhões. No ranking geral de vendas bélicas, a ordem é a mesma, com 37% do mercado americano, 20% russo e 8,2%, francês.

Ameaçam no futuro a posição russa projetos de chineses (FC-31), apesar da dificuldade de Pequim para vender seus produtos militares fora do circuito asiático que inclui Paquistão e Mianmar, turcos (TF-X) e sul-coreanos (KF-21).

Justiça argentina abre investigação contra Macri por suposto envio de armas à Bolívia .
BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) - O Ministério Público da Argentina abriu nesta sexta-feira (16) uma investigação para apurar um suposto envio de armas e munição feito pela gestão do então presidente Mauricio Macri à Bolívia em 2019 -o material teria sido usado para reprimir os apoiadores de Evo Morales, que tinha acabado de renunciar ao comando do país. O envio dos armamentos teria ocorrido logo após Jeanine Áñez tomar posse como presidente boliviana em novembro de 2019, exatamente para substituir Evo. Sua chegada ao poder, porém, foi cercada de polêmicas.

usr: 4
Isto é interessante!