Mundo China recusa segunda fase de investigação da OMS sobre origem da pandemia

13:49  22 julho  2021
13:49  22 julho  2021 Fonte:   brasil.rfi.fr

OMS critica “egoísmo” de países ricos que recomendam 3ª dose da vacina

  OMS critica “egoísmo” de países ricos que recomendam 3ª dose da vacina Uma terceira dose da vacina para prolongar a imunidade contra a Covid ganha adeptos em vários países, principalmente ricos, mas a recomendação não tem unanimidade. Entre seus opositores, está a Organização Mundial da Saúde (OMS) que taxa os governos das nações mais desenvolvidas do planeta de “egoístas”. Com informações do correspondente da RFI em Genebra, Jérémie Lanche Os laboratórios Pfizer e BioNTech defendem uma terceira dose para aumentar a eficácia de sua vacina anticovid contra novas variantes, e Israel já começou a aplicar um reforço nos pacientes mais vulneráveis.

A China recusou nesta quinta-feira (22) o projeto da segunda fase da investigação promovida pela Organização Mundial da Saúde ( OMS ) para determinar as causas da pandemia de Covid-19. A próxima etapa inclui a hipótese de que o vírus possa ter escapado de um laboratório chinês – o que “Não aceitaremos um plano de rastreamento das origens porque, de certa forma, ele é desrespeitoso ao bom senso e arrogante em relação à ciência”, disse Zeng Yixin, vice-ministro da Comissão Nacional de Saúde da China . Ele acrescentou ter ficado "extremamente surpreso” quando leu a proposta pela

China recusa segunda fase de investigação da OMS sobre origem da pandemia https://rfi.my/7atq.t pic.twitter.com/M9IXkcLH4R.

A China recusou nesta quinta-feira (22) o projeto da segunda fase da investigação promovida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para determinar as causas da pandemia de Covid-19. A próxima etapa inclui a hipótese de que o vírus pode ter escapado de um laboratório chinês – o que Pequim continua a rejeitar, adiantou um integrante da cúpula sanitária do país.

  China recusa segunda fase de investigação da OMS sobre origem da pandemia © AP - Mark Schiefelbein

A OMS apresentou o plano de investigações para a segunda fase de seus estudos, prevendo auditorias de laboratório e mercados públicos na cidade de Wuhan e pedindo transparência das autoridades chinesas. Mas a recepção do projeto não foi boa.

Mercados internacionais despencam com avanço de variante do coronavírus

  Mercados internacionais despencam com avanço de variante do coronavírus Segundo a OMS, variante Delta já circula em mais de 111 países; mercado de Nova York registrou queda de até 2%, enquanto o petróleo cedeu mais de 7%Os ativos internacionais despencaram nesta segunda-feira, 19, de olho no avanço da pandemia, após a Organização Mundial da Saúde (OMS) revelar que a cepa do coronavírus já circula em mais de 111 países. A Bolsa de Nova York cedeu até 2%, enquanto o petróleo despencou mais de 7%.

Investigação da OMS em Wuhan FOTO: REUTERS/Thomas Peter. A Organização Mundial da Saúde ( OMS ) insistiu esta sexta-feira na necessidade de saber a origem do coronavírus SARS-CoV-2 e que os cientistas precisam do espaço "necessário para continuar as suas investigações ". A mensagem é dirigida à China , depois de o país recusar a realização de uma segunda fase de investigações da OMS para averiguar a causa da atual pandemia de covid-19. "Não se trata de fazer política com isto, de culpar ou apontar o dedo uns aos outros, mas da necessidade que todos temos de entender como

O chefe da delegação da Organização Mundial de Saúde ( OMS ) que esteve recentemente na China para investigar as origens da pandemia de covid-19 exprimiu este sábado frustração com a falta de acessos a dados brutos durante a missão. "Queremos mais dados. Missão em Wuhan. Os peritos da OMS terminaram a missão no início da semana sem chegar a conclusões definitivas. Os especialistas pensam que a origem do vírus causador da covid-19, que já fez perto de 2,4 milhões de mortos em todo o mundo, estará em morcegos e que pode ter sido transmitido ao homem através de um outro

“Não aceitaremos um plano de rastreamento das origens porque, de certa forma, ele é desrespeitoso ao bom senso e arrogante em relação à ciência”, disse Zeng Yixin, vice-ministro da Comissão Nacional de Saúde da China.

Ele acrescentou ter ficado "extremamente surpreso” quando leu a proposta pela primeira vez, já que o texto evoca a hipótese segundo a qual uma violação dos protocolos sanitários de laboratório poderia ter provocado a fuga do vírus, durante pesquisas científicas.

“Esperamos que a OMS examinará seriamente as considerações e sugestões feitas pelos especialistas chineses e que ela tratará realmente a investigação da origem do vírus Covid-19 como uma questão científica, se livrando de toda interferência política”, declarou o vice-ministro.

OMS alerta para nova onda de infecções e mortes por covid-19 no mundo

  OMS alerta para nova onda de infecções e mortes por covid-19 no mundo A Organização Mundial da Saúde (OMS) chamou atenção nesta quarta-feira, 21, para uma possível nova onda de infecções e mortes por covid-19 no mundo. O alerta foi feito pelo diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus em diálogo com integrantes do Comitê Olímpico Internacional em Tóquio. © Jakub Rupa/istock 3D illustration of virus / coronavirus / bacteria close-up “Dezenove meses após o início da pandemia e sete meses desde que as primeiras vacinas foram aprovadas, estamos agora nos estágios iniciais de outra onda de infecções e mortes”, afirmou.

O Governo chinês recusou esta quarta-feira "resolutamente" aceitar uma investigação sobre a origem do novo coronavírus, apontando que esta seria "politizada" e "presumiria a culpa" do país, numa altura em que vários líderes mundiais pedem mais transparência a Pequim. E lembrou que, segundo a Organização Mundial da Saúde ( OMS ), "até à data a origem da SARS-CoV-2 é desconhecida", mas que "todos os dados disponíveis sugerem que é de origem animal" e, portanto, não se trata de um vírus criado em laboratório. A China não causou a pandemia , é um desastre

A China recusou hoje uma investigação internacional sobre a origem do novo coronavírus, apontando como prioridade travar a pandemia , numa altura em que os Estados Unidos acusam o regime chinês de negligência. “A primeira prioridade é concentrarmo-nos no combate à pandemia até à vitória final”, defendeu o embaixador chinês nas Nações Unidas, Chen Xu, numa videoconferência de imprensa. Questionado sobre um possível convite pela Organização Mundial da Saúde ( OMS ) para enviar especialistas a Wuhan, o berço da pandemia , Chen disse que o contexto diplomático não o

Pequim rejeita tese defendida por Trump

Na semana passada, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, propôs fazer "controles dos laboratórios ou estabelecimentos de pesquisa ativos na região onde foram identificados os primeiros casos [de covid-19], em dezembro de 2019", em referência à cidade chinesa de Wuhan, o epicentro da pandemia que abala o mundo.

Em 31 de dezembro de 2019, Pequim revelou à organização da ONU a existência de um surto de casos de pneumonia em Wuhan. O país combate vigorosamente a teoria de que a Covid-19 pode ter se originado em um de seus laboratórios, principalmente o Instituto de Virologia de Wuhan, e se espalhado devido a um vazamento.

Um dos responsáveis pelo instituto, Yuan Zhiming, disse nesta quinta-feira que "não houve vazamento" ou "acidente" no estabelecimento. Esta tese foi promovida pelo ex-presidente americano Donald Trump, mas, nas últimas semanas, a teoria ganhou nova força no Ocidente, inclusive na comunidade científica.

China acusa EUA

Em resposta, as autoridades chinesas regularmente apontam para o laboratório de Fort Detrick, nos Estados Unidos, como possível local de origem da Covid-19.

Localizado próximo a Washington, este laboratório está no centro da pesquisa americana sobre o bioterrorismo. De acordo com o Global Times, um jornal ligado ao Partido Comunista da China, cinco milhões de internautas chineses assinaram uma petição para abrir uma investigação sobre Fort Detrick.

Com informações da Reuters e AFP

China registra maior número diário de casos de Covid-19 desde janeiro .
A China registrou 76 novos casos positivos de Covid-19 nesta segunda-feira (26), um número recorde desde janeiro. A maioria das contaminações foram detectadas em Nanjing, capital da província de Jiangsu, segunda maior cidade da região leste do país, a 305 km de Xangai. Primeiro país a enfrentar o coronavírus no final de 2019, o gigante asiático quase erradicou a doença em seu solo no segundo trimestre do ano passado. Dezenas de milhares deDezenas de milhares de pessoas estão confinadas em Nanjing. As autoridades determinaram que os 9,2 milhões de habitantes da cidade devem passar por testes, após a descoberta de um surto detectado no aeroporto. Os primeiros casos foram diagnosticados na semana passada.

usr: 1
Isto é interessante!