Mundo Frigoríficos de MG param de comprar gado depois de caso de vaca louca

15:46  09 setembro  2021
15:46  09 setembro  2021 Fonte:   poder360.com.br

ENFOQUE-Seca força pecuaristas da América do Norte a vender seu futuro

  ENFOQUE-Seca força pecuaristas da América do Norte a vender seu futuro ENFOQUE-Seca força pecuaristas da América do Norte a vender seu futuroWINNIPEG/CHICAGO (Reuters) - Quando a pecuarista canadense Dianne Riding caminha pelo pasto marrom de sua fazenda, evitando pisar em rachaduras e gafanhotos, ela tem menos companhia do que o normal.

Depois de confirmados casos de vaca louca no Brasil, frigoríficos de Minas Gerais deixaram de comprar gado para abate. A informação foi fornecida pela Afrig (Associação dos Frigoríficos de Minas Gerais, Espírito Santo e Distrito Federal) ao jornal Folha de S.Paulo.

Criação de gado em Minas Gerais já está sofrendo impacto da suspensão de venda de carne à China © Seapa Criação de gado em Minas Gerais já está sofrendo impacto da suspensão de venda de carne à China

No último sábado (4.set.2021,), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento suspendeu a exportação de carnes à China. A decisão foi tomada depois da confirmação de 2 casos atípicos de EBB (Encefalopatia Espongiforme Bovina) —conhecida como o “mal da vaca louca”. Um dos casos foi confirmado em Belo Horizonte (MG) e outro em Nova Canaã do Norte (MT).

Governo confirma 2 casos atípicos de vaca louca e suspende exportações para a China

  Governo confirma 2 casos atípicos de vaca louca e suspende exportações para a China SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Ministério da Agricultura confirmou dois casos atípicos da doença conhecida como vaca louca em frigoríficos de Nova Canaã do Norte (MT) e Belo Horizonte (MG). Com isso, as exportações de carne bovina para a China ficam suspensas temporariamente. Os registros representam o quarto e o quinto caso de EBB (Encefalopatia Espongiforme Bovina, nome técnico do mal) atípicos em mais de 23 anos de vigilância sanitária para a doença, de acordo com a Secretaria de Defesa Agropecuária da pasta em nota divulgada neste sábado (4). O Brasil nunca registrou a ocorrência de EBB clássica.

Assim que identificada a suspeita da doença, o governo brasileiro notificou a OEI (Organização Mundial de Saúde Animal), no Canadá, para onde também enviou o material para análise.

Segundo a Mapa (Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), ações sanitárias de mitigação de riscos foram concluídas antes mesmo do resultado das análises. “Portanto, não há risco para a saúde humana e animal”, diz nota à imprensa.

A OIE mudaria a classificação de risco do Brasil se os casos fossem da forma clássica do mal da vaca louca, que representa riscos para a saúde humana. O Ministério da Agricultura disse que o país nunca registrou uma ocorrência desse tipo da doença.

Com a suspensão de exportações, 6 frigoríficos que operam em Minas Gerais com vendas para a China pararam de comprar bois para abate. O presidente da Afrig, Sílvio Silveira, disse que as câmaras frigoríficas estão cheias e há carne à espera de embarque nos portos.

Até os frigoríficos que não exportam carne estão sendo impactados, visto que o produto que seria vendido para a China será colocado no mercado interno e o excesso de carne poder acabar baixando os preços.

O governo ainda não estipulou um prazo para a retomada das exportações.

De janeiro a agosto deste ano, o Brasil exportou US$ 3,1 bilhões em carne bovina para a China. O valor é 20% acima do exportado no mesmo período do ano passado e o recorde da série histórica, iniciada em 1997.

Entenda por que a suspensão das exportações de carne para a China preocupa o setor .
Entenda por que a suspensão das exportações de carne para a China preocupa o setor+ Ações da China caem após dados fracos e salto em casos de coronavírus

usr: 3
Isto é interessante!