Mundo Pandora Papers: Além de Paulo Guedes, veja quem tem conta em paraíso fiscal

19:36  04 outubro  2021
19:36  04 outubro  2021 Fonte:   catracalivre.com.br

Saiba como foi feita a série investigativa Pandora Papers

  Saiba como foi feita a série investigativa Pandora Papers A maior investigação da história do ICIJ contou com mais de 600 jornalistas e analisou 11,9 milhões de documentos>>> Leia aqui todos os textos do Pandora Papers publicados pelo Poder360.

Os negócios secretos e ativos de algumas das pessoas mais ricas e poderosas do mundo foram revelados no vazamento chamado de Pandora Papers, um escândalo global que envolve o nome do ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, durante entrevista coletiva. © Marcelo Camargo/Agência Brasil O ministro da Economia, Paulo Guedes, durante entrevista coletiva.

Vale lembrar que, desde de que o saldo seja declarado à Receita Federal e ao Banco Central, ter uma offshore ou de contas no exterior não é ilegal para um cidadão brasileiro comum, mas o Código de Conduta da Alta Administração Federal proíbe funcionários do alto escalão de manter aplicações financeiras que possam ser afetadas por políticas governamentais.

Executivos de bancos dizem que offshores foram declaradas

  Executivos de bancos dizem que offshores foram declaradas Exceção é o presidente do BRB: afirmou que abriu empresas quando morava nos EUA, mas não respondeu se as declarou.A exceção foi o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, que disse ter aberto suas duas empresas, a Oakwood Investments Ltd e a Equinox Investments LLC, quando era estudante nos Estados Unidos, mas não respondeu se foram declaradas.

No Brasil, além de Guedes e Campos Neto, figuram na lista: Eike Batista, um dos grandes devedores do país, e 25 acionistas ou donos de companhias, como Prevent Senior (Irmãos Parrillo), MRV Engenharia, Grendene e Riachuelo.

Os documentos revelam negócios secretos de mais de 100 bilionários, 30 líderes mundiais e 300 funcionários públicos em paraísos fiscais, como Panamá, Dubai, Mônaco, Suíça e Ilhas Cayman.

Até agora, de acordo com os relatórios, estima-se que aproximadamente US$ 32 trilhões, provenientes de fortunas particulares, não sejam tributados.

A investigação dos Pandora Papers foi realizado pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ), com sede em Washington. No Brasil, participaram do projeto os sites de notícias Agência Pública, Metrópoles, Poder360 e a revista Piauí. Foram mais de 600 profissionais em 117 países e territórios.

Escritório do Panamá opera offshores para mais de 160 políticos na AL

  Escritório do Panamá opera offshores para mais de 160 políticos na AL Entre os clientes do Alcogal, estão Odebrecht, ex-diretor da Petrobras e ex-presidente da CBFO Alcogal criou empresas em paraísos fiscais para ao menos 160 políticos, funcionários públicos e empresários latino-americanos nos últimos anos. Na lista, estão nomes brasileiros envolvidos em escândalos de corrupção, como a Odebrecht, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e o ex-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) José María Marin.

Pandora Papers: Os nomes

Algumas das pessoas mais ricas do mundo podem esconder sua riqueza usando economia offshore e pagar pouco ou nenhum imposto por isso.

Abaixo, veja uma lista parcial de pessoas citadas nos Pandora Papers, como acionistas, diretores e beneficiários de empresas offshore.

Jordânia – Jordan Abdullah II, Rei da Jordânia

República Dominicana – Luis Abinader, Presidente da República Dominicana

Azerbaijão – Ilham Aliyev, Presidente do Azerbaijão

Montenegro – Milo Đukanović, Presidente de Montenegro

Quênia –  Uhuru Kenyatta, presidente do Quênia

Equador – Guillermo Lasso, Presidente do Equador

Gabão – Ali Bongo Ondimba, Presidente do Gabão

Chile – Sebastián Piñera, Presidente do Chile

República do Congo – Denis Sassou Nguesso, Presidente da República do Congo

Qatar – Tamim bin Hamad Al Thani, Emir do Qatar

Ucrânia – Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia

Frota vai à PGR e pede demissão de Guedes e Campos Neto

  Frota vai à PGR e pede demissão de Guedes e Campos Neto Deputado cita tráfico de influência, advocacia e improbidade administrativas por causa das offshoresA acusação de Frota foi enviada a PGR (Procuradoria Geral da República. O deputado pede que um processo criminal seja instaurado para apurar o caso das contas em paraísos fiscais.

Colômbia – Marta Lucía Ramírez, Vice-presidente da Colômbia

Paraguai – Horacio Cartes, ex-presidente do Paraguai

Colômbia – César Gaviria, ex-presidente da Colômbia.

Colômbia – Andrés Pastrana, ex-presidente da Colômbia.

Peru – Pedro Pablo Kuczynski, ex-presidente do Peru

Honduras – Porfirio Lobo Sosa, ex-presidente de Honduras

Panamá – Ricardo Martinelli, ex-presidente do Panamá

Panamá – Ernesto Pérez Balladares, ex-presidente do Panamá

Panamá – Juan Carlos Varela, ex-presidente do Panamá

El Salvador – Francisco Flores Pérez, ex-presidente de El Salvador

Costa do Marfim – Patrick Achi, Primeiro-Ministro da Costa do Marfim

República Tcheca – Andrej Babiš, Primeiro-Ministro da República Tcheca

Emirados Árabes Unidos – Sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum, primeiro-ministro dos Emirados Árabes Unidos e Emir de Dubai

Líbano – Najib Mikati, Primeiro-Ministro do Líbano

Ex-chefes de governo

Reino Unido – Tony Blair, ex-primeiro-ministro do Reino Unido

Moçambique – Aires Ali, ex-primeiro-ministro de Moçambique

Bahrain Sheikh Khalifa bin Salman Al Khalifa, Bahraini Royal e ex-primeiro-ministro

Pandora Papers: TVs minimizam investigação de offshores de brasileiros

  Pandora Papers: TVs minimizam investigação de offshores de brasileiros Canais abertos dão pouco espaço; TV fechada duvida da lisura dos documentosA TV Globo veiculou na noite de domingo (3.out) uma reportagem de 10 minutos no programa Fantástico. O canal destacou que a legislação brasileira permite que cidadãos brasileiros tenham contas offshores, desde que o titular declare ao Banco Central (BC) e à Receita Federal. A GloboNews reproduziu o conteúdo do Fantástico e disse que o presidente do BC, Roberto Campos Neto e o ministro da Economia, Paulo Guedes, declararam que não movimentaram as contas em paraísos fiscais desde que assumiram cargos no governo.

Hong Kong – Tung Chee-hwa, ex-Chefe Executivo de Hong Kong

Hong Kong – Leung Chun-ying, ex-Chefe Executivo de Hong Kong

Haiti – Laurent Lamothe, ex-primeiro-ministro do Haiti

Líbano – Hassan Diab, ex-primeiro-ministro do Líbano

Israel – Haim Ramon – ex-vice-primeiro-ministro de Israel

França – Dominique Strauss-Kahn, ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional.

México-  Jorge Arganis Díaz Leal, Secretário de Comunicações e Transporte

Brasil-  Paulo Guedes, Ministro da Economia

Holanda – Wopke Hoekstra, Ministro das Finanças e Líder do Apelo Democrata Cristão

Paquistão – Shaukat Tarin, Ministro das Finanças do Paquistão

Paquistão  – Moonis Elahi, Ministro dos Recursos Hídricos

Paquistão – Raja Nadir Pervez, ex-ministro do Interior do Paquistão

Malta – John Dalli, ex-ministro maltês e comissário da UE

Filipinas – Arthur Tugade, Secretário de Transporte em exercício

Malásia – Daim Zainuddin, ex-Ministro das Finanças e Chefe do Conselho de Pessoas Eminentes

Sérvia – Siniša Mali, Ministro das Finanças e ex-prefeito de Belgrado

Sri Lanka – Nirupama Rajapaksa, ex-vice-ministro do Abastecimento de Água e Drenagem do Sri Lanka

Paquistão – Khan Arif Usmani, Presidente Banco Nacional do Paquistão

Tunísia – Mohsen Marzouk, Secretário-Geral da Arab Democracy Foundation

PGR abre investigação preliminar sobre offshores de Guedes e Campos Neto

  PGR abre investigação preliminar sobre offshores de Guedes e Campos Neto Poder360 revelou que o ministro da Economia tem investimento no exteriorGuedes é dono da offshore Dreadnoughts sediada nas Ilhas Virgens Britânicas. Também participam da empresa a mulher, Maria Cristina Bolivar Drumond Guedes, e a filha, Paula Drumond Guedes.

Colômbia – Ángela María Orozco, Ministra dos Transportes.

Paquistão – Mir Shakilur Rehman, Editor-chefe do Jang Media Group

Paquistão – Hameed Haroon, CEO Dawn Media Group

Paquistão – Sultan Ali Lakhani, CEO Express Media Group

Paquistão – Arif Nizami, jornalista renomado falecido e editor do Pakistan Today

Paquistão – Sharjeel Memon, ex-membro da Assembleia Provincial de Sindh

Paquistão – Chaudhry Moonis Elahi, membro da Assembleia Nacional do Paquistão

Paquistão – Aleem Khan, Ministro Sênior do Punjab e Ministro da Alimentação, Membro da Assembleia Provincial do Punjab

Israel – Nir Barkat, ex-prefeito de Jerusalém e atual membro do Knesset

Israel – Haim Ramon – ex-vice-primeiro-ministro de Israel e ex-membro do Knesset

Filipinas – Família de Win Gatchalian e Rex Gatchalian, senador das Filipinas e atual prefeito da cidade de Valenzuela

Paquistão – Faisal Vawda, ex-membro da Assembleia Nacional e Ministro dos Recursos Hídricos e atualmente senador

Índia – Satish Sharma, membro do Gabinete da União no Governo da Índia

China – Qiya Feng, Delegado, Henan

Honduras – Nasry Asfura, atual prefeito de Tegucigalpa

Honduras – Ricardo Álvarez, atual vice-presidente de Honduras e ex-prefeito de Tegucigalpa.

Brasil – Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central do Brasil

Equador – Jaime Durán Barba, consultor do ex-presidente da Argentina Mauricio Macri

Argentina Zulema María Eva Menem, ex-primeira-dama da Argentina e filha do ex-presidente da Argentina Carlos Menem

Argentina –  Daniel Muñoz, secretário do ex-presidente da Argentina Néstor Kirchner

Vargas Llosa foi dono de empresa offshore em paraíso fiscal

  Vargas Llosa foi dono de empresa offshore em paraíso fiscal Escritor é citado nos Pandora Papers, nova série investigativa internacional conduzida pelo ICIJdo El País

México – Julio Scherer Ibarra, ex-assessor do presidente mexicano Andrés Manuel López Obrador

Filipinas – Andres D. Bautista, ex-presidente da Comissão de Eleições e presidente da Comissão Presidencial de Bom Governo

Filipinas – Rolando Gapud, empresário e ex-associado do falecido ditador Ferdinand Marcos

Filipinas – Dennis Uy, empresário, cônsul honorário das Filipinas no Cazaquistão

França – Aymeric Chauprade, ex-membro do Parlamento

Colômbia – Lisandro Junco Riveira, presidente da Direção Nacional de Impostos e Alfândegas.

Colômbia – Guillermo Botero, embaixador da Colômbia no Chile e ex-ministro da Defesa.

Colômbia – Luis Diego Monsalve, embaixador da Colômbia na China.

Marrocos – Lalla Hasnaa, Princesa de Marrocos

Jordânia – Abdullah II, Rei da Jordânia

Índia – Anil Ambani – empresário indiano

Índia – John Shaw – empresário indiano

Índia – Nirav Modi – empresário indiano

Paquistão -Javed Afridi – Proprietário da franquia Peshawar Zalmi, empresário e empresário paquistanês.

México – María Asunción Aramburuzabala, empresária mexicana

México – Germán Larrea Mota-Velasco, empresário mexicano

Austrália –  Graeme Briggs – fundador da Asiaciti Trust

China – Du Shuanghua, bilionário chinês

Montenegro – Aco Đukanović, empresário montenegrino

Montenegro-  Blažo Đukanović, empresário montenegrino

Brasil – Antônio José, Magnata da Construção

Brasil – Eike Batista, empresário brasileiro

Israel – Beny Steinmetz – empresário israelense

México – Olegario Vázquez Aldir, empresário mexicano

Japão – Masayoshi Son, empresário de tecnologia bilionário japonês

Filipinas – família Aboitiz, empresários filipinos

Filipinas – Joselito Campos, Jr., filho de Jose Yao Campos, empresário filipino

Filipinas – Helen Dee, filha de Alfonso Yuchengco, empresário e banqueiro filipino

Odebrecht pagou mais de US$ 90 milhões a ministro venezuelano via offshores

  Odebrecht pagou mais de US$ 90 milhões a ministro venezuelano via offshores Esquema para lavagem dos recursos foi operacionalizado por executivos do Grupo Espírito Santo, de Portugal .Maria Eugénia criou, em 21 de novembro de 2013, uma pequena empresa em Lisboa, sem funcionários nem atividade, a Publicicorp. Pouco depois, essa empresa compraria um apartamento dúplex num edifício de luxo da capital portuguesa por 1,5 milhão de euros. No mesmo prédio, outra figura conhecida do mundo das obras públicas havia também comprado uma casa meses antes: Pedro Novis, antigo CEO da Odebrecht.

Filipinas – família Gaisano, empresários filipinos

Filipinas – Oscar Hilado, empresário filipino

Filipinas – família Tantoco, empresários filipinos

Filipinas –  família Wenceslao, empresários filipinos

Filipinas – Enrique K. Razon, empresário filipino

Reino Unido – Mohamed Amersi, empresário britânico

Colômbia – Alejandro Santo Domingo, empresário colombiano

Colômbia – Luis Carlos Sarmiento, empresário colombiano

Colômbia – Isaac, Jaime e Gabriel Gilinski, empresários colombianos

Colômbia – Eduardo Pacheco Cortés, empresário colombiano

Colômbia – família Barberi, empresários colombianos

Colômbia –  família Echavarría, empresários colombianos

Argentina – Ángel Di María, jogador de futebol argentino

Itália – Carlo Ancelotti, gerente de futebol italiano

Reino Unido – Elton John, cantor britânico

Reino Unido – Ringo Starr, baterista britânico e ex-membro dos Beatles

Alemanha – Dinamarca Corinna zu Sayn-Wittgenstein-Sayn, princesa e empreendedora dinamarquesa nascida na Alemanha

Alemanha – Claudia Schiffer, modelo alemão

Espanha – Julio Iglesias, cantor espanhol

Coreia do Sul – Lee Soo-man, executivo e produtor musical sul-coreano

Espanha – Miguel Bosé, cantor espanhol

Espanha –  Pep Guardiola, gerente de futebol espanhol

Colômbia – Shakira, cantora colombiana

Suécia – Swedish House Mafia, grupo sueco

Índia – Sachin Tendulkar, jogador de críquete indiano

Veja também: O único motivo para comemorar os mil dias de governo Bolsonaro

Odebrecht pagou mais de US$ 90 milhões a ministro venezuelano via offshores .
Esquema para lavagem dos recursos foi operacionalizado por executivos do Grupo Espírito Santo, de Portugal .Maria Eugénia criou, em 21 de novembro de 2013, uma pequena empresa em Lisboa, sem funcionários nem atividade, a Publicicorp. Pouco depois, essa empresa compraria um apartamento dúplex num edifício de luxo da capital portuguesa por 1,5 milhão de euros. No mesmo prédio, outra figura conhecida do mundo das obras públicas havia também comprado uma casa meses antes: Pedro Novis, antigo CEO da Odebrecht.

usr: 1
Isto é interessante!