Mundo Reino Unido autoriza mais entregas de caminheiros europeus para combater escassez

12:46  16 outubro  2021
12:46  16 outubro  2021 Fonte:   afp.com

Caminhoneiros no Reino Unido não veem luz no fim do túnel

  Caminhoneiros no Reino Unido não veem luz no fim do túnel "Sou divorciado e, infelizmente, isso é algo bastante comum" nesta profissão, explica Dean Arney, caminhoneiro há quase 40 anos, que lamenta como muitos as duras condições de trabalho em um momento em que o Reino Unido precisa desesperadamente de motoristas. "Meu filho () estava pensando em pegar a estrada", mas "eu o aconselhei a não fazer isso", acrescenta este britânico do alto da cabine de seu caminhão na parada de estrada de Ashford, um ponto de passagem entre Londres e o túnel sob o Canal da Mancha, que conecta o Reino Unido  ao continente europeu.

A escassez de caminhoneiros também agravou o congestionamento portuário no mundo todo e, em particular, na Inglaterra, de onde vários navios porta-contêineres cheios de mercadorias para o Natal tiveram de ser desviados recentemente para portos europeus . De acordo com a Associação dos "As pressões são, claro, muito reais, mas as pessoas vão conseguir produtos para o Natal", prometeu. Além do setor de transporte rodoviário, o Reino Unido também sofre com a escassez de funcionários nos açougues. Isso levanta preocupações sobre o abate e a destruição em massa de animais, que

Hoje, os motoristas da União Europeia (UE) podem fazer apenas duas entregas nos sete dias seguintes à sua chegada ao Reino Unido . Com a nova norma, que o governo espera aplicar antes do Natal, eles poderão fazer um número ilimitado de viagens em um período de duas semanas. Durante semanas, a falta de cerca de 100.000 caminhoneiros causada pela pandemia e pelo Brexit tem causado sérios problemas de abastecimento de supermercados e postos de gasolina no Reino Unido . A escassez de caminhoneiros também agravou o congestionamento portuário no mundo todo e, em

O governo britânico anunciou, nesta sexta-feira (15), uma flexibilização das regras sobre o número de entregas que os caminhoneiros estrangeiros podem fazer no Reino Unido, na tentativa de aliviar os problemas de escassez e de abastecimento antes do Natal.

Reino Unido autoriza mais entregas de caminheiros europeus para combater escassez © JUSTIN TALLIS Reino Unido autoriza mais entregas de caminheiros europeus para combater escassez

Hoje, os motoristas da União Europeia (UE) podem fazer apenas duas entregas nos sete dias seguintes à sua chegada ao Reino Unido. Com a nova norma, que o governo espera aplicar antes do Natal, eles poderão fazer um número ilimitado de viagens em um período de duas semanas.

Saúde pública britânica está ameaçada por falta de pessoal

  Saúde pública britânica está ameaçada por falta de pessoal Entre pandemia, onda de aposentadorias e um endurecimento das regras de imigração como resultado do Brexit, o serviço de saúde britânico NHS está ameaçado por uma grave falta de pessoal e depende de profissionais da saúde estrangeiros. O NHS é um dos empregadores mais cosmopolitas do mundo: em 2020, contava com 211 nacionalidades entre seus trabalhadores na Inglaterra. Assim, as restrições de viagens devido à pandemia criaram uma falta de pessoal, segundo Faizan Rana, chefe de operações de um hospital de Londres. Entre março de 2020 e 2021, menos 3.700 trabalhadores de saúde estrangeiros chegaram ao Reino Unido do que em 2019/2020.

A escassez de caminhoneiros também agravou o congestionamento portuário no mundo todo e, em particular, na Inglaterra, de onde vários navios porta-contêineres cheios de mercadorias para o Natal tiveram de ser desviados recentemente para portos europeus . De acordo com a Associação dos “As pressões são, claro, muito reais, mas as pessoas vão conseguir produtos para o Natal”, prometeu. Além do setor de transporte rodoviário, o Reino Unido também sofre com a escassez de funcionários nos açougues. Isso levanta preocupações sobre o abate e a destruição em massa de animais, que

A escassez de caminhoneiros também agravou o congestionamento portuário no mundo todo e, em particular, na Inglaterra, de onde vários navios porta-contêineres cheios de mercadorias para o Natal tiveram de ser desviados recentemente para portos europeus . De acordo com a Associação dos Além do setor de transporte rodoviário, o Reino Unido também sofre com a escassez de funcionários nos açougues. Isso levanta preocupações sobre o abate e a destruição em massa de animais, que não podem ser transformados em carne para venda, nem mantidos em fazendas e granjas superlotados.

"Isso equivale a adicionar milhares de caminhoneiros às estradas", disse o ministro dos Transportes, Grant Shapps, ao canal Sky News nesta sexta-feira, prometendo que as medidas entrarão em vigor "até o final do ano".

Durante semanas, a falta de cerca de 100.000 caminhoneiros causada pela pandemia e pelo Brexit tem causado sérios problemas de abastecimento de supermercados e postos de gasolina no Reino Unido.

A escassez de caminhoneiros também agravou o congestionamento portuário no mundo todo e, em particular, na Inglaterra, de onde vários navios porta-contêineres cheios de mercadorias para o Natal tiveram de ser desviados recentemente para portos europeus.


Video: Reino Unido remove Brasil da 'lista vermelha' da covid-19 (AFP)

Nobel de Economia vai para pesquisas sobre mercado de trabalho e relações de causa e efeito

  Nobel de Economia vai para pesquisas sobre mercado de trabalho e relações de causa e efeito BRUXELAS, BÉLGICA (FOLHAPRESS) - O Prêmio Nobel de Economia deste ano foi concedido ao americano David Card, "por suas contribuições à economia do trabalho", e a Joshua D. Angrist e ao holandês Guido W. Imbens, "por suas contribuições metodológicas para a análise das relações causais". Usando experimentos naturais, David Card analisou os efeitos do salário mínimo, da imigração e da educação no mercado de trabalho. O prêmio é de 10 milhões de coroas suecas, o equivalente a R$ 6,32 milhões, ao câmbio atual, além de uma medalha projetada pelo escultor sueco Gunvor Svensson-Lundqvist e um diploma.

A escassez de caminhoneiros também agravou o congestionamento portuário no mundo todo e, em particular, na Inglaterra, de onde vários navios porta-contêineres cheios de mercadorias para o Natal tiveram de ser desviados recentemente para portos europeus . De acordo com a Associação dos "As pressões são, claro, muito reais, mas as pessoas vão conseguir produtos para o Natal", prometeu. Além do setor de transporte rodoviário, o Reino Unido também sofre com a escassez de funcionários nos açougues. Isso levanta preocupações sobre o abate e a destruição em massa de animais, que

#Mundo #ReinoUnido Reino Unido autoriza mais entregas de caminheiros europeus para combater escassezhttp://dlvr.it/S9dPXp.

De acordo com a Associação dos Portos Britânicos (BPA, na sigla em inglês), esta situação vai durar entre seis e nove meses.

"Quando falo com os portos, eles me dizem 'sim, estamos congestionados, mas é um congestionamento mundial'", declarou Shapps, pedindo que se relativize a situação já que "as mercadorias estão circulando".

"As pressões são, claro, muito reais, mas as pessoas vão conseguir produtos para o Natal", prometeu.

Além do setor de transporte rodoviário, o Reino Unido também sofre com a escassez de funcionários nos açougues. Isso levanta preocupações sobre o abate e a destruição em massa de animais, que não podem ser transformados em carne para venda, nem mantidos em fazendas e granjas superlotados.

Diante das "pressões que o setor suíno tem sofrido nos últimos meses, como o impacto da pandemia e seus reflexos nos mercados de exportação", o ministro do Meio Ambiente, George Eustice, anunciou na quinta-feira (14) a concessão de 800 vistos temporários para açougueiros estrangeiros.

jwp-acc/mar/tt

Facebook tira do ar live de Bolsonaro com fake news sobre relação da vacina da Covid com a Aids .
Neste domingo (24), o Facebook tirou do ar uma live de Jair Bolsonaro (sem partido), realizada na última quinta-feira (21). No vídeo, Bolsonaro compartilhou uma mentira a respeito de uma suposta relação entre a vacina contra a Covid e a Aids. ++ Felipe Neto rebate notícia falsa de apoiadores do Bolsonaro: “Não caia em fakenews” […]++ Felipe Neto rebate notícia falsa de apoiadores do Bolsonaro: “Não caia em fakenews”

usr: 2
Isto é interessante!