Mundo Protestos no Líbano deixam mortos e expõem crise política

14:27  16 outubro  2021
14:27  16 outubro  2021 Fonte:   ansabrasil.com.br

Incêndio atinge tanque de armazenamento de combustível no Líbano

  Incêndio atinge tanque de armazenamento de combustível no Líbano País sofre com escassez de energia e combustível –resultado de um colapso econômico . A moeda libanesa caiu cerca de 90% desde 2019, dificultando a importação de insumos básicos, como a gasolina e o diesel. Em 2020, o PIB (Produto Interno Bruto) do Líbano caiu 25%.Os libaneses passam por um racionamento de energia. Em algumas regiões, residentes podem consumir eletricidade apenas por duas horas diárias. Neste fim de semana, o país teve um apagão de 24 horas.O sistema de energia elétrica foi restabelecido no domingo (10.

(ANSA) - Uma manifestação nesta quinta-feira (14) sobre o inquérito que investiga a explosão no porto de Beirute no ano passado terminou com mortes e feridos na capital do Líbano. Segundo os veículos de comunicação locais, são ao menos quatro mortos e oito feridos.

O protesto foi liderado pelo partido islâmico Amal e pelo movimento Hezbollah e o confronto ocorreu quando o Exército entrou em ação para conter os militantes. Ainda conforme os sites libaneses, "homens armados" não identificados também atuaram no ato, que se concentrou na rótula Tayyoune.

Os militantes do Amal estavam com fuzis e armas automáticas e faziam uma série de disparos para o ar até a ação do Exército.

Simone Tebet, sobre offshores de Guedes: “As pessoas estão relativizando o imoral, o promíscuo”

  Simone Tebet, sobre offshores de Guedes: “As pessoas estão relativizando o imoral, o promíscuo” Líder da bancada feminina, senadora diz que Paulo Guedes não será demitido, apesar de revelações sobre offshore. Afirma que CPI da Pandemia já fez mais do que todas as Comissões anteriores e avalia que faltam líderes políticos no BrasilNa entrevista ao EL PAÍS, feita por videoconferência no dia 4 de outubro, a senadora, que se aproxima de concluir seu primeiro mandato pelo MDB de Mato Grosso do Sul, fala do pleito do próximo ano, defende a participação das mulheres na política e diz que, com o término da CPI —previsto para o próximo dia 20— caberá ao Ministério Público seguir nas dezenas de apurações iniciadas pelos parlamentares. “A PGR não pode virar as costas pra população brasileira”.

Eles se dirigiam ao Palácio da Justiça, mas foram impedidos.

Os manifestantes, liderados pelo presidente do Parlamento, Nabih Berri, foram às ruas protestar contra o juiz Tareq Bittar, que lidera o processo sobre a explosão no porto, ocorrida em 4 de agosto de 2020, e que matou mais de 220 pessoas e feriu outras seis mil.

Na terça-feira (12), a Justiça determinou a prisão do deputado Ali Hassan Khalil, que pertence ao Amal e que era ministro das Finanças do Líbano à época da explosão. Para os membros da sigla, o Bittar quer "politizar" o processo e dois ministros atuais entraram com uma ação contra o magistrado, suspendendo o processo.

Toda a ação desta quinta ameaça implodir o recém-formado governo libanês. Em 21 de setembro, o Parlamento deu seu voto de confiança ao novo premiê Najib Mikati e colocou fim aos 13 meses de instabilidade política.

Líbano interrompe investigações sobre megaexplosão em porto após pressão política

  Líbano interrompe investigações sobre megaexplosão em porto após pressão política SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As investigações sobre a megaexplosão ocorrida em agosto de 2020 no porto de Beirute, no Líbano, foram interrompidas nesta terça (10) —pela segunda vez em três semanas— em meio à pressão de políticos sobre o juiz encarregado do caso. Tariq Bitar havia emitido um mandado de prisão contra um parlamentar, o ex-ministro das Finanças Ali Hasan Khalil, que não havia respondido à convocação para um interrogatório. O mesmo procedimento havia sido usado contra o também ex-ministro Youssef Finianos no final de setembro.

Desde a explosão, o presidente Michel Aoun tentou indicar outros dois nomes para a função, mas todos fracassaram. À época, o então primeiro-ministro Hassan Diab renunciou, juntamente com todos os ministros. Para seu lugar, foram indicados Mustapha Adib - que ficou menos de um mês na tentativa de formação de governo - e Saad Hariri - que ficou pouco menos de um ano.

O Líbano possui uma estrutura de poder que, para além das desavenças políticas e partidárias, ainda precisa ser dividida entre cristãos e muçulmanos sunitas e xiitas. Por exemplo, o presidente sempre deve ser um cristão maronita, o premiê um sunita e o chefe do Parlamento um xiita. Parlamentares e ministros devem ser divididos igualmente em 50% entre as duas vertentes religiosas. (ANSA).

Em grave crise política, Líbano aprova antecipação de eleições .
Pleito foi marcado para 27 de março de 2022A razão oficial para a antecipação é o Ramadã. A celebração islâmica está programada ente os dias 2 de abril e 2 de maio do ano que vem.

usr: 2
Isto é interessante!