Mundo Sete manifestantes mortos no Sudão desde golpe de Estado

13:21  28 outubro  2021
13:21  28 outubro  2021 Fonte:   afp.com

Militares prendem autoridades civis do Sudão em 'golpe de Estado'

  Militares prendem autoridades civis do Sudão em 'golpe de Estado' As Forças Armadas do Sudão prenderam nesta segunda-feira (25) várias autoridades civis, incluindo o primeiro-ministro Abdallah Hamdok, pela recusa a apoiar um "golpe de Estado", anunciou o ministério da Informação, após semanas de tensões entre militares e civis, que compartilham o poder desde 2019. "Depois de se recusar a apoiar o golpe de Estado, as Forças Armadas prenderam o primeiro-ministro Abdallah Hamdok e o levaram para um local não identificado", acrescentou o ministério posteriormente.- De novo nas ruas -Em Cartum, manifestantes se aglomeraram nas ruas e queimaram pneus para protestar contra as detenções.

Sete manifestantes morreram desde o golpe de Estado de segunda-feira no Sudão, informou à AFP o diretor do departamento de medicina legal do ministério da Saúde, Hicham Faquiri, que também afirmou ter recebido outros corpos, mas não conseguiu revelar um número exato.

Manifestantes sudanês diante do gás lacrimogêneo utilizado pelas forças de segurança em Cartum em 27 de outubro de 2021 © - Manifestantes sudanês diante do gás lacrimogêneo utilizado pelas forças de segurança em Cartum em 27 de outubro de 2021

"Sete corpos de manifestantes foram admitidos no necrotério na segunda-feira, assim como o cadáver de um paramilitar das Forças de Apoio Rápido", influente organização acusada de envolvimento na repressão da revolta popular que derrubou o ditador Omar Al Bashir em 2019, afirmou nesta quinta-feira (28) o médico Faquiri.

Exército do Sudão atira em manifestantes em protesto contra golpe de Estado

  Exército do Sudão atira em manifestantes em protesto contra golpe de Estado SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O Ministério da Informação do Sudão disse, hoje, que membros das Forças Armadas atiraram contra manifestantes "que rejeitam o golpe de Estado militar" em Cartum, capital do país. O Exército atirou "com balas reais" contra manifestantes diante dos quartéis-generais das Forças Armadas, no centro de Cartum. O acesso à área está bloqueado por blocos de concreto e por soldados há vários dias, acrescentou o mesmo ministério no Facebook.

Ele acrescentou que "outros corpos foram levados ao necrotério nos dias seguintes e apresentavam sinais de ferimentos violentos com objetos contundentes", mas sem revelar um número.

Médicos pró-democracia anunciaram na segunda-feira que quatro manifestantes foram mortos por tiros das forças de segurança. Várias manifestações foram reprimidas com bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha.

Desde que o general Abdel Fattah Al Burhane anunciou na segunda-feira a dissolução de todas as instituições, o país do leste da África, um dos mais pobres do mundo, entrou em um cenário desconhecido.

Os manifestantes desejam uma transferência completa do poder aos civis e se declaram dispostos a permanecer nas ruas até que sua demanda seja atendida.

O general Burhane assegura que em breve nomeará novas autoridades e os militares mantêm a maioria dos dirigentes civis "sob vigilância" ou detidos.

bur/sbh/feb/mas/zm/mab/zm/fp

Duas pessoas são mortas a tiros durante protestos contra golpe no Sudão, dizem médicos .
Duas pessoas são mortas a tiros durante protestos contra golpe no Sudão, dizem médicosCARTUM (Reuters) - Forças militares mataram duas pessoas a tiros durante protestos nacionais no Sudão neste sábado, afirmou um comitê de médicos. Centenas de milhares de pessoas exigiram a restauração de um governo liderado por civis após um golpe militar.

usr: 4
Isto é interessante!