Mundo EUA e China alertam sobre aumento de tensões envolvendo Taiwan

19:21  31 outubro  2021
19:21  31 outubro  2021 Fonte:   reuters.com

Biden diz que EUA defenderiam Taiwan em caso de conflito com a China

  Biden diz que EUA defenderiam Taiwan em caso de conflito com a China China reivindica a ilha como parte de seu território . O país intensificou a pressão militar e política para forçar Taiwan a aceitar a soberania chinesa.De acordo com a Lei de Relações de Taiwan, os EUA são obrigados a fornecer ao país meios para sua autodefesa. Mas, nos últimos anos, o governo norte-americano adota uma política de ambiguidade estratégica em caso de um eventual ataque.O gabinete presidencial de Taiwan se manifestou sobre as declarações. O país afirmou que a sua posição permanece, isto é, não cederá às pressões chinesas e nem avançará de forma precipitada quando conseguir apoio.

Por Andrea Shalal

ROMA (Reuters) - O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, e o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, trocaram alertas durante reunião de cúpula do G20 neste domingo contra ações que possam elevar as tensões no Estreito de Taiwan.

Em um encontro que durou uma hora em Roma com Wang, Blinken deixou "muito claro" que Washington se opõe a qualquer mudança unilateral de Pequim no status quo local envolvendo Taiwan, disse uma autoridade de alto escalão do Departamento de Estado norte-americano.

A recente intensificação dos exercícios militares chineses na zona de identificação de defesa aérea de Taiwan, incluindo o que Taipé disse terem sido oito incursões do tipo neste domingo, é parte do que a ilha democrática enxerga como um crescente assédio militar por parte de Pequim.

Biden promete proteger Taiwan em caso de ataque chinês

  Biden promete proteger Taiwan em caso de ataque chinês No início do mês, número recorde de aeronaves militares chinesas entrou no espaço aéreo da ilha, que Pequim considera parte de seu território. Política de defesa americana não inclui explicitamente a defesa de Taiwan. © JONATHAN ERNST/REUTERS Os Estados Unidos defenderiam Taiwan se a ilha sofresse um ataque da China, afirmou o presidente Joe Biden. Ele foi questionado duas vezes durante um programa da CNN na quinta-feira (22/10) se os americanos protegeriam Taiwan em caso de um ataque, e ele respondeu: "Sim, temos o compromisso de fazer isso".

Os Estados Unidos querem gerenciar a intensa competição entre as duas maiores economias do mundo de forma responsável, disse a autoridade do Departamento de Estado, acrescentando que os dois lados concordaram que manter abertas as linhas de comunicação é fundamental.

Wang, por sua vez, manifestou "a solene preocupação da China sobre várias questões nas quais os EUA prejudicaram os legítimos direitos e interesses chineses, e pediu aos EUA que mudem de curso e promovam a volta das relações sino-americanas ao caminho de um desenvolvimento saudável", disse o Ministério das Relações Exteriores da China em comunicado.

Wang disse que os Estados Unidos culpam de forma errônea a China por uma mudança no status quo sobre Taiwan, acrescentando que a "conivência" e "apoio" dos EUA às forças favoráveis à independência de Taiwan são os responsáveis, acrescentou o comunicado.

A China reivindica a ilha como parte de seu território e vê qualquer intervenção estrangeira em Taiwan como uma interferência em seus assuntos internos.

O encontro de Blinken com Wang foi o primeiro presencial entre ambos desde uma troca ríspida entre os dois lados em Anchorage, Alasca, em março, quando as autoridades norte-americanas e chinesas fizeram duras críticas às políticas um do outro.

A reunião deste domingo em Roma foi "excepcionalmente sincera", mas produtiva, e ajudará a estabelecer as bases para uma cúpula virtual entre o presidente dos EUA, Joe Biden, e o presidente chinês, Xi Jinping, no final deste ano, disse o funcionário norte-americano.

Taiwan adverte que China tem capacidade de bloquear território por mar e ar .
A China é capaz de bloquear os principais portos e aeroportos de Taiwan para cortar suas conexões de transporte, advertiu nesta terça-feira (9) o ministério da Defesa da ilha. Pequim reforçou sua capacidade de ataque por ar, mar e terra contra a ilha, afirmou o ministério taiwanês da Defesa em um relatório bianual publicado nesta terça-feira. Esta capacidade inclui impor um "bloqueio às nossas principais docas, aeroportos e rotas de voos de saída, cortar nossas linhas de comunicação por ar e mar", afirma o documento.

usr: 1
Isto é interessante!