Mundo G20 alcança acordo tímido sobre o clima, mas premiê italiano se diz "orgulhoso"

21:37  31 outubro  2021
21:37  31 outubro  2021 Fonte:   brasil.rfi.fr

G20 se reúne em Roma para falar sobre clima, pandemia e economia

  G20 se reúne em Roma para falar sobre clima, pandemia e economia Os líderes das 20 maiores economias do mundo se reúnem no fim de semana em Roma para o primeiro encontro de cúpula presencial do G20 desde o início da pandemia, com uma agenda lotada que inclui a covid-19, recuperação econômica e mudança climática. Os líderes devem assinar um acordo para a adoção de um imposto mínimo de 15% às multinacionais, além de discutir sobre a recuperação pós-pandemia e seus riscos, incluindo a distribuição desigual das vacinas contra a covid-19. Apesar da ausência de expectativas quanto a novos compromissos sobre as vacinas anticovid-19, a Itália luta para conceder mais ajuda aos países de baixa renda com a distribuição dos fármacos.

Os líderes do G20 - responsáveis por 80% das emissões de gases poluentes - anunciaram neste domingo (31), em Roma, um acordo pouco convincente sobre suas ambições climáticas. No entanto, no discurso de encerramento, o primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, afirmou estar "orgulhoso com os resultados".

  G20 alcança acordo tímido sobre o clima, mas premiê italiano se diz © AP - Andrew Medichini

No mesmo dia em que se inicia a 26a Conferência do Clima, chefes de Estado e de governo das 20 nações mais desenvolvidas do mundo se comprometeram a limitar o aquecimento global a 1,5ºC em relação à era pré-industrial. No texto, também afirmam que deixarão de financiar a construção de novas usinas a carvão no exterior, sem especificar quaisquer medidas em nível nacional.

Os 3 telhados de vidro de Bolsonaro no G20: economia, meio ambiente e pandemia

  Os 3 telhados de vidro de Bolsonaro no G20: economia, meio ambiente e pandemia Reunião do G20 acontecerá no sábado e domingo (30 e 31/10) em Roma, Itália, e terá presença do presidente brasileiro e de outros líderes mundiais.O evento com líderes dos países do G20 ocorrerá no sábado e domingo (30 e 31/10), após meses de debates e negociações com representantes das 20 principais economias do mundo em busca de consenso para medidas ligadas aos assuntos globais mais importantes de cada ano. Cabe aos líderes, ao fim, alinhar as posições comuns.

No entanto, os líderes não definiram uma data precisa para a neutralidade de carbono. O acordo menciona o limite de "até meados do século", formulação mais ampla que a data de 2050 proposta pela Itália. Por outro lado, a linguagem usada na declaração final é "mais forte" do que no Acordo de Paris de 2015, afirmam fontes que participaram das negociações.

Para a presidência francesa, a determinação da "metade do século" para a neutralidade do carbono é "muito significativa, considerando a diversidade dos países participantes do G20". A China, por exemplo, que emite mais de um quarto dos gases de efeito estufa, sugere 2060 como o ano limite.

As 20 nações mais poderosas do mundo, incluindo México, Brasil e Argentina, também reafirmaram o compromisso, até agora não cumprido, de mobilizar US$ 100 bilhões para os custos de adaptação às mudanças climáticas nos países em desenvolvimento.

G20: Crise climática e Covid-19 lideram agenda da cúpula em Roma

  G20: Crise climática e Covid-19 lideram agenda da cúpula em Roma Líderes mundiais estão reunidos em Roma este fim-de-semana para a cimeira do G20. Espera-se que os esforços para enfrentar as alterações climáticas e os efeitos da Covid-19 na economia global dominem discussões. © Pavel Bednyakov/SNA/imago images Líderes globais e representantes de diversos meios de comunicação do mundo chegam a Roma para a cimeira do G20. A segurança tem sido reforçada. O grupo do G20 - as 20 maiores economias mundiais e emergentes - inicia uma cimeira de dois dias em Roma a partir deste sábado (30.

A pressão sobre os líderes do G20 reunidos em Roma desde sábado (30), em sua primeira cúpula presencial desde 2019, foi forte. Do secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, ao papa Francisco, os apelos por medidas ambiciosas se multiplicaram até o último minuto. No entanto, o texto foi extremamente criticado por ambientalistas.

"Se o G20 era um ensaio geral para a COP26, os líderes mundiais se equivocaram", declarou a diretora-geral do Greenpeace, Jennifer Morgan, para quem os líderes "não estiveram à altura do desafio". "Não passam de medidas obscuras em vez de ações concretas", comentou Friederike Röder, da Global Citizen.

"Apenas o começo"

Apesar das críticas, o primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, comemorou os anúncios da cúpula do G20 contra as mudanças climáticas, afirmando que o compromisso alcançado "é apenas o começo". "Nos engajamos a conservar o objetivo de 1,5°C", declarou em seu discurso de encerramento. "Estamos orgulhosos com esses resultados, mas devemos ter em mente de que esse é apenas o começo", reiterou.

Bolsonaro destaca vacinação e “apoio popular muito grande” ao vender seu Governo no G20

  Bolsonaro destaca vacinação e “apoio popular muito grande” ao vender seu Governo no G20 Enquanto segue semeando dúvidas sobre os imunizantes contra a covid-19 no Brasil, presidente celebra número de vacinados no país, diz que a Petrobras é “problema” e critica mercado “nervosinho”No discurso, Bolsonaro disse que ”o Brasil se comprometeu com um programa extensivo e eficiente de vacinação, em paralelo a uma agenda de auxílio emergencial e preservação do emprego para a proteção dos mais vulneráveis”.

"Decidimos virar a página do carvão, começando pelo engajamento de eliminar todo o financiamento internacional [das centrais elétricas movidas à carvão]", disse. "Além disso, todos os países do G20 se engajaram em ter zero emissão até a metade do século", completou.

Boa parte dos dirigentes que participaram do evento em Roma viajam ainda neste domingo a Glasgow para a COP26, que será realizada até 12 de novembro. Na abertura da conferência, o presidente do evento e ministro britânico Alok Sharma afirmou que essa é a "última e melhor oportunidade para cumprir o objetivo de + 1,5ºC".

A agenda das conferências ministeriais tem quatro grandes temas e é tão complexa que as negociações já tiveram início neste domingo, sem esperar pelos grandes discursos dos cerca de 130 chefes de Estado e de governo, marcados para segunda (1°) e terça-feira (2).

Na abertura do evento, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) alertou em relatório que os últimos sete anos serão provavelmente os mais quentes já registrados e advertiu que o clima está entrando em "território desconhecido".

(Com informações da AFP)

COP26: Encontro de líderes para evitar aquecimento drástico .
Do encontro decisivo para o futuro do Planeta em Glasgow, na Escócia, deverão sair compromissos firmes para conseguir cumprir o Acordo de Paris e reduzir emissões de gases poluentes ao nível mundial. © Andrew Milligan/PA Wire/picture alliance Protesto em Glasgow pede ação na conferência do clima Os líderes mundiais começam hoje a dizer como se propõem acelerar a redução de emissões de gases poluentes nos seus países, no começo da 26.ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP26), decisiva para o cumprimento do Acordo de Paris.

usr: 2
Isto é interessante!