Mundo Países europeus ampliam restrições à covid; leia a lista

12:46  23 novembro  2021
12:46  23 novembro  2021 Fonte:   poder360.com.br

Alemanha aumenta restrições para quem não tomou vacina e recomenda 3ª dose

  Alemanha aumenta restrições para quem não tomou vacina e recomenda 3ª dose SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em meio à explosão de novos casos de Covid-19 na Alemanha, o país decidiu impor restrições para pessoas que não se vacinaram e ofertar uma terceira dose do imunizante contra a doença para todos com mais de 18 anos. As restrições a quem se recusa a tomar vacina foram anunciadas também na Áustria, no último domingo (14), e na Grécia, nesta quinta-feira (18). Lideranças nacionais e regionais da Alemanha se reuniram nesta quinta e concordaram em restringir, nas áreas onde houver lotação de hospitais, o acesso a eventos públicos, culturais e esportivos, além de restaurantes, só para quem já está vacinado ou que comprove que se recuperou de uma infecção rec

Mais países europeus ampliaram as restrições para conter os contágios de covid na 2ª feira (22.nov.2021). A Áustria foi a 1ª a entrar em lockdown, enquanto nações como Holanda, República Tcheca e Eslováquia consideram fechar espaços públicos para barrar o avanço da 4ª onda na Europa.

A Alemanha decretou no sábado (20.nov) que não-vacinados não poderão frequentar bares e restaurantes, museus e eventos em locais fechados. A chanceler Angela Merkel classificou as medidas como “insuficientes”.

Portugal, por sua vez, decidirá nos próximos dias sobre a volta de restrições –em especial o uso de máscaras– derrubadas em setembro. Já na Espanha, Estados entraram na Justiça pelo direito de exigir passaporte da covid em ambientes públicos.

OMS: 500 mil podem morrer em nova onda de covid na Europa

  OMS: 500 mil podem morrer em nova onda de covid na Europa A Organização Mundial da Saúde se disse 'muito preocupada' com aumento de casos de infecção pelo coronavírus em vários países da Europa.Em entrevista à BBC, Hans Kluge, diretor regional da OMS, disse que 500 mil novas mortes podem ocorrer até março, se medidas urgentes não forem adotadas.

Na Áustria, o lockdown foi motivos de protestos no fim de semana, com mais de 40.000 pessoas saindo às ruas em ato contra a decisão do governo austríaco de obrigar toda a população a se vacinar a partir de 1º de fevereiro de 2022.

Manifestações mais intensas foram registradas na Holanda, em especial nas cidades de Roterdã e de Haia.

Na 6ª feira (19.nov), um protesto contra o lockdown em Roterdã terminou em depredações e confrontos com a polícia. Assista ao vídeo abaixo (6min24seg):

Além do crescimento no número de casos, a taxa de mortes pela doença na Europa aumentou 5% de 8 a 14 de novembro ante a semana anterior (1º-7.nov). O continente europeu foi o único a registrar alta no número de vítimas pela doença no período.

As demais regiões tiveram queda ou estabilidade, segundo o relatório semanal divulgado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) na 3ª feira (16.nov).

Covid-19: protestos na Europa refletem decepção com promessas sobre vacina, diz historiador francês

  Covid-19: protestos na Europa refletem decepção com promessas sobre vacina, diz historiador francês A epidemia de Covid-19 voltou a se impor na Europa, apesar do acesso à vacinação, e pouco a pouco os governos de diversos países voltam a impor medidas para conter a propagação do vírus, que atinge principalmente a parcela da população não imunizada. Diversos protestos ocorreram na Bélgica e na Holanda neste fim de semana, onde o governo retomou várias restrições diante do aumento das contaminações. Taíssa Stivanin, da RFI A onda de protestosTaíssa Stivanin, da RFI

O Poder360 reuniu as restrições vigentes nos 27 países da UE (União Europeia), no Reino Unido e na Rússia. Entenda as novas medidas que foram destaque na última semana.

Alemanha

Berlim decretou lockdown parcial em 15 de novembro, 4 dias depois de registrar 50.196 novos casos em 24 horas. A medida permite que só pessoas imunizadas com as duas doses à covid possam frequentar restaurantes, shows e eventos esportivos. Vale para as regiões que tiverem mais de 3 pessoas internadas por 100.000 habitantes.

A Alemanha registrou quase 5.410.060 contágios e 99.817 mortes pela doença desde o início da pandemia. Isso equivale a 1.186 mortes por milhão de habitante. Dados do site Worldometer atualizados até 18h30 de 22 de novembro.

A verdade sobre o café descafeinado... e outras curiosidades

  A verdade sobre o café descafeinado... e outras curiosidades Quanto você realmente sabe sobre sua amada bebida? Você é mesmo um apaixonado por café?

Áustria

Foi o 1º país a decretar lockdown para toda a população. A medida foi anunciada na 6ª feira (19.nov) e valerá por no mínimo 20 dias. Na 2ª (15.nov.2021), o chanceler Alexander Schallenberg havia imposto lockdown com abrangência nacional apenas para não vacinados.

Reino Unido, Alemanha e Itália detectam casos de ômicron, nova variante de Covid-19

  Reino Unido, Alemanha e Itália detectam casos de ômicron, nova variante de Covid-19 Reino Unido, Alemanha e Itália detectam casos de ômicron, nova variante de Covid-19LONDRES, BERLIM, AMSTERDÃ (Reuters) - Reino Unido, Alemanha e Itália detectaram casos da nova variante do coronavírus ômicron neste sábado e o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou novas medidas para conter o vírus, enquanto mais nações impunham restrições às viagens do sul da África.

A medida causou protestos. Milhares foram às ruas no final de semana protestar contra a medida. As manifestações se estenderam para países vizinhos, como a Bélgica e Holanda. A Áustria também foi o 1º país europeu a tornar a vacinação à covid obrigatória a partir de 1º de fevereiro de 2022.

O país registrou 1.070.419 infecções e 12.042 mortes pela doença desde o início da pandemia. Isso equivale a 1.327 mortes por milhão de habitante. Dados do site Worldometer atualizados até 18h30 de 22 de novembro.

Ômicron chega ao Reino Unido

  Ômicron chega ao Reino Unido Governo confirma casos da nova cepa do novo coronavírus e eleva restrições, como volta da exigência de máscaras“Nesse ponto, teremos muito mais informações sobre a contínua efetividade de nossas vacinas”, afirmou Johnson, que revelou ainda que o uso de máscaras voltará a ser obrigatório em lojas e transporte público na Inglaterra. “Vamos ampliar a campanha de reforço e reduzir o tempo entre a segunda dose e a dose de reforço”.

Espanha

O Tribunal Superior de Justiça do País Basco vetou a implantação do passaporte de covid região. O País Basco é uma das 17 comunidades autônomas da Espanha (equivalentes ao Estados brasileiros). Guipúscoa, uma de suas 3 províncias, é região espanhola com maior incidência acumulada de casos nos últimos 14 dias, de acordo com dados do Centro Nacional de Epidemiologia.

Nesta semana, os tribunais de justiça também devem decidir sobre a exigência do passaporte propostas pelos governos de Aragão e Navarra. Catalunha, Baleares e Galiza já aplicam a medida.

Com voos cancelados, brasileiros na África do Sul pedem ajuda ao consulado para repatriação

  Com voos cancelados, brasileiros na África do Sul pedem ajuda ao consulado para repatriação Mesmo com autorização para regresso ao país, dezenas de brasileiros não encontram voos para o Brasil por conta das restrições causadas pela variante ômicronQuer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

Em nível nacional, Espanha diluiu algumas das restrições depois de registrar redução nos contágios. O país aceita pessoas totalmente vacinadas –sem a obrigatoriedade do teste negativo. Mesmo se vier de destinos classificados como “locais de risco“.

A Espanha registrou 5.096.538 contágios e 87.832 mortes pela doença desde o início da pandemia. Isso equivale a 1.878 mortes por milhão de habitante. Dados do site Worldometer atualizados até 18h30 de 22 de novembro.

Ramaphosa diz que restrições contra viajantes da África Austral é "discriminação"

  Ramaphosa diz que restrições contra viajantes da África Austral é Presidente Cyril Ramaphosa diz estar "profundamente desapontado" com o fecho "completamente injustificado" das fronteiras. Ómicron continua a espalhar-se pelo mundo, com casos detetados em vários países. © UNTV/AP/picture alliance Provided by Deutsche Welle O Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, apelou ao levantamento das restrições de viagens a partir da África Austral impostas por vários países devido a variante Ómicron do novo coronavírus, detetada o seu país. Ramaphosa fez um pronunciamento à nação neste domingo (28.11).

França

Não pretende impor um novo lockdown tão cedo. Nem para mesmo para os não vacinados. Em entrevista ao jornal La Voix du Nord, o presidente Emmanuel Macron disse que a medida não é necessária na França. “Os países que confinam os não vacinados são aqueles que não implementaram o passaporte de saúde“, afirmou.

Desde 21 de julho é obrigatória a apresentação de passe sanitário para entrar em eventos culturais. Em agosto, passou a ser exigido em bares, restaurantes, cinemas, hospitais e em viagens longas de avião, trem ou ônibus.

O uso de máscaras voltou a ser obrigatório em escolas primárias de todo o território. Desde outubro, as instituições localizadas em regiões consideradas com baixo risco de contágio poderiam desobrigar o uso de máscara.

A França registrou 7.420.237 infecções e 118.555 mortes pela doença desde o início da pandemia. Isso equivale a 1.811 mortes por milhão de habitante. Dados do site Worldometer atualizados até 18h30 de 22 de novembro.

Holanda

O país já registrou mais de 130 presos nos protestos contrários às restrições à covid anunciadas no começo do mês. Amsterdã voltou a exigir o uso de máscara em locais públicos, certificado de vacinação e retorno ao trabalho remoto.

Apesar de estar com 67% da população vacinada, o país notificou 16.000 novos casos em 11 de novembro. Dois dias depois, o governo adotou um lockdown parcial, que deve durar até 4 de dezembro.

As restrições valem para vacinados e não vacinados. Cafés, bares e restaurantes devem fechar às 19h. Está proibida a presença de público em eventos esportivos e reuniões domiciliares estão restritas a, no máximo, 4 pessoas.

A Holanda registrou 2.465.288 infecções e 18.995 mortes pela doença desde o início da pandemia. Isso equivale a 1.105 mortes por milhão de habitante. Dados do site Worldometer atualizados até 18h30 de 22 de novembro.

Reino Unido

Das nações britânicas, a Irlanda do Norte já afirmou que considera impôr novas restrições. A Inglaterra manteve sua política de permitir que governos locais e empresas criem suas próprias políticas de combate ao vírus. É o caso de Londres, que exige o uso de máscara no transporte público.

A ilha enfrenta sua 4ª onda de contágios desde outubro. A resposta do governo foi tornar a vacinação obrigatória para profissionais da saúde pública.

O Reino Unido registrou 9.889.926 infecções e 143.972 mortes pela doença desde o início da pandemia. Isso equivale a 2.105 mortes por milhão de habitante. Dados do site Worldometer atualizados até 18h30 de 22 de novembro.

Itália

Em estado de emergência, o país ampliou o monitoramento de novos casos e algumas regiões impuseram  restrições individualmente. A entrada no país se limita a cidadãos da UE e pessoas de nações selecionadas, como os Estados Unidos, Canadá, Japão e Reino Unido. Vale até 15 de dezembro.

A Itália registrou 4.932.091 infecções e 133.247 mortes pela doença desde o início da pandemia. Isso equivale a 2.208 mortes por milhão de habitante. Dados do site Worldometer atualizados até 18h30 de 22 de novembro.

Portugal

Na 6ª feira (19.nov), especialistas em saúde do Infarmed (Autoridade Nacional do medicamento e Produtos de Saúde) realizaram apresentação de análises sobre a pandemia no país. Também indicaram medidas que acreditam ser necessárias para frear os novos casos da doença. Sugeriram a volta das restrições que foram suspensas em 13 de setembro –entre elas, o uso obrigatório de máscaras em ambientes públicos.

Embora o governo já estudasse o retorno dessas exigências, nada foi oficializado. Depois da exposição, o presidente Marcelo Rabelo de Sousa disse em entrevista que “a decisão dessa matéria pertencerá ao governo“.

O primeiro-ministro português, António Costa, também manifestou-se depois da reunião. Disse em seu perfil no Twitter que conversará com “os contributos dos partidos políticos com representação parlamentar” nesta semana (22.nov. a 26.nov). Um anúncio deve ser feito nos próximos dias.

Portugal registrou 1.123.758 infecções e 18.339 mortes pela doença desde o início da pandemia. Isso equivale a 1.806 mortes por milhão de habitante. Dados do site Worldometer atualizados até 18h30 de 22 de novembro.

Rússia

De 30 de outubro a 7 de novembro, a Rússia impôs lockdown parcial em todo o território. Durante esse período a população não podia trabalhar, realizar eventos esportivos e frequentar ambientes de lazer ou recreação. Os russos foram orientados também a não viajar.

O período de restrições nacionais foi de uma semana, mas as 85 regiões do país têm autonomia para estabelecer restrições. Foi o caso de Novgorod. Seu lockdown teve início antes do nacional e se estendeu por mais uma semana.

A Rússia registrou 9.366.839 infecções e 265.336 mortes pela doença desde o início da pandemia. Isso equivale a 1.817 mortes por milhão de habitante. Dados do site Worldometer atualizados até 18h30 de 22 de novembro.

Suécia

Comprovante de vacinação será exigido em locais públicos a partir de primeiro de dezembro. A decisão foi anunciada na 5ª feira (18.nov). Apesar do aumento de novos casos e mortes por covid na Europa, o governo sueco segue o plano para abolição de restrições elaborado na 1ª metade de 2021.

A 4ª e penúltima etapa do cronograma vigora desde a última semana de setembro. Foram retirados os limites de pessoas em restaurantes e demais estabelecimentos, além de eventos e reuniões públicas ou privadas. Em 1º de novembro, foram atualizadas as recomendações para pessoas que apresentarem sintomas: não vacinados devem ficar em casa e fazer testes “o mais rápido possível“.

A Suécia registrou 1.188.735 infecções e 15.078 mortes pela doença desde o início da pandemia. Isso equivale a 1.480 mortes por milhão de habitante. Dados do site Worldometer atualizados até 18h30 de 22 de novembro.

Essa reportagem foi produzida pelo estagiário de Jornalismo Mateus Mello sob a supervisão dos editor Matheus Alleoni e Vinícius Nunes.

Ramaphosa diz que restrições contra viajantes da África Austral é "discriminação" .
Presidente Cyril Ramaphosa diz estar "profundamente desapontado" com o fecho "completamente injustificado" das fronteiras. Ómicron continua a espalhar-se pelo mundo, com casos detetados em vários países. © UNTV/AP/picture alliance Provided by Deutsche Welle O Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, apelou ao levantamento das restrições de viagens a partir da África Austral impostas por vários países devido a variante Ómicron do novo coronavírus, detetada o seu país. Ramaphosa fez um pronunciamento à nação neste domingo (28.11).

usr: 2
Isto é interessante!