Mundo Líder da Coreia do Norte pede mais “músculo militar” ao país

11:48  12 janeiro  2022
11:48  12 janeiro  2022 Fonte:   poder360.com.br

Potências nucleares se comprometem a evitar conflito atômico

  Potências nucleares se comprometem a evitar conflito atômico Em meio ao agravamento das tensões políticas e econômicas, declaração conjunta assinada por EUA, Rússia, China, Reino Unido e França traz mensagem pacífica e afirma que “não há vencedores em uma guerra nuclear”. © Loey Felipe/UN Photo/Xinhua/picture alliance Provided by Deutsche Welle As cinco maiores potências nucleares, em uma rara demonstração de unidade, se comprometeram nesta segunda-feira (03/22) a evitar a disseminação de armas atômicas e um possível conflito nuclear.

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, pediu o reforço das forças militares estratégicas do país. Ele esteve presente, na 3ª feira (11.jan.2022), no teste de um míssil hipersônico.

Desde março de 2020 que o governante não participava oficialmente de um lançamento de míssil. O teste de 3ª feira (11.jan) foi o 2º feito pela Coreia do Norte em menos de uma semana.

Os testes seriam parte da promessa de Ano Novo feita por Kim de reforçar os militares com tecnologias de ponta enquanto as negociações com a Coreia do Sul e com os Estados Unidos estão paralisadas.

Segundo a mídia estatal, depois do lançamento de 3ª (11.jan), Kim enfatizou “a necessidade de acelerar ainda mais os esforços para construir constantemente a força militar estratégica do país, tanto em qualidade quanto em quantidade”. O líder norte-coreano afirmou querer “modernizar ainda mais o exército”.

Coreia do Norte anuncia teste bem-sucedido de míssil hipersônico

  Coreia do Norte anuncia teste bem-sucedido de míssil hipersônico A Coreia do Norte testou com sucesso um míssil hipersônico, informou nesta quinta-feira a imprensa estatal, no primeiro teste de armamento realizado pelo país neste ano, rapidamente criticado pelos Estados Unidos. O lançamento veio na sequência de uma série de testes de armamentos realizados entre setembro e outubro pela Coreia do Norte e foi criticado por Seul, Tóquio e Washington. "Esse lançamento viola múltiplas resoluções do Conselho de Segurança da ONU e representa uma ameaça aos vizinhos da RPDC (República Popular Democrática da Coreia) e à comunidade internacional", disse um porta-voz do Departamento de Estado americano.

Formulário de cadastro
Poder360 todos os dias no seu e-mail
concordo com os termos da LGPD.

Alerta sobre a Coreia do Norte

A JCS (Estado-Maior Conjunto dos EUA, na sigla em inglês) –corpo de militares seniores que assessoram o Departamento de Defesa– disse que o míssil lançado nesta semana é “mais avançado que o disparado pela Coreia do Norte em 5 de janeiro”.

O lançamento contínuo de mísseis balísticos viola as resoluções do Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas). A Coreia do Norte está proibida de usar a tecnologia.

A Coreia do Sul já instou a Coreia do Norte a interromper imediatamente seus lançamentos de mísseis. “Representam uma ameaça significativa à paz e segurança não apenas na península coreana, mas também no mundo, e não são úteis para a redução das tensões militares”, afirmou o país em nota da agência estatal.

Otan vê risco de conflito na Ucrânia após nova reunião fracassada com a Rússia

  Otan vê risco de conflito na Ucrânia após nova reunião fracassada com a Rússia SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A crise de segurança na Europa ganhou mais tintas sombrias nesta quarta (12), após o fracasso nas conversas entre uma delegação russa e a Otan (aliança militar liderada pelos EUA). Coube ao secretário-geral do clube, o norueguês Jens Stoltenberg, fazer o anúncio de resto previsível. "Há diferenças significativas entre a Otan e a Rússia, que não serão fáceis de acomodar. Mas é um sinal positivo que todos sentaram à mesas e conversaram sobre os tópicos.". Por outro lado, disse a repórteres, "há um risco real de conflito armado na Europa".

Pyongyang está na corrida global pelo desenvolvimento de mísseis hipersônicos. As armas atingem velocidades até 5 vezes mais rápidas que o som –ou 6.200 km/h. Ainda podem manobrar em altitudes relativamente baixas, tornando-se mais difíceis de detectar e interceptar.

Por causa das armas nucleares, a Coreia do Norte sofre com sanções internacionais impostas pelos EUA. Durante o governo do ex-presidente norte-americano Donald Trump, os líderes dos 2 países chegaram a se reunir 3 vezes.

De acordo com Trump, seus esforços impediram uma guerra. No entanto, eles não chegaram a um acordo para a desnuclearização da Coreia do Norte nem para o fim das sanções comerciais. O atual presidente dos EUA, Joe Biden, prometeu usar a diplomacia para ter êxito na questão.

Estado Islâmico ataca prisão na Síria, e curdos reagem e matam 39 combatentes .
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um confronto entre forças de segurança curdas na Síria e membros do grupo terrorista Estado Islâmico já deixou quase 50 mortos até o começo da tarde desta sexta-feira (21), provocando a suspeita de ataques coordenados após um atentado que matou 11 militares no vizinho Iraque. Os conflitos começaram depois que a facção radical islâmica atacou uma prisão na cidade de Hasakah, no nordeste da Síria, na quinta, para libertar membros do grupo presos no local. Na operação, morreram sete agentes de segurança curdos, integrantes das Forças Democráticas da Síria (FDS) e da milícia Asayish.

usr: 0
Isto é interessante!