Mundo Estudo: grávidas não vacinadas correm mais risco de abortar

01:46  15 janeiro  2022
01:46  15 janeiro  2022 Fonte:   poder360.com.br

O que esperar da sexta extinção em massa de espécies?

  O que esperar da sexta extinção em massa de espécies? Nas próximas décadas, pelo menos um milhão de espécies correm risco de desaparecer para sempre, de acordo com uma estimativa da ONU. O que isso significa para a vida humana e o meio ambiente? © Ed Ram/Getty Images Seca no Quênia causou grande mortalidade de animais Há cerca de 65 milhões de anos aconteceu a última extinção em massa e que marcou o fim dos dinossauros. Os cientistas advertem que estamos agora nos estágios iniciais de um desaparecimento semelhante.

Estudo estatístico realizado na Escócia indica que grávidas com covid-19 não somente correm mais risco de desenvolver quadro grave da doença mas também têm mais chance de perder seus bebês no ventre ou pouco após o parto, em comparação com outras gestantes que deram à luz durante a pandemia.

O trabalho, publicado na 5ª feira (13.jan.2022) pela revista científica Nature Medicine, analisou os dados de todas as grávidas na Escócia, incluindo mais de 87.000 que gestaram entre o início da campanha de vacinação, em dezembro de 2020, e outubro de 2021. Eis a íntegra, em inglês (4 MB)

Formulário de cadastro
Poder360 todos os dias no seu e-mail
concordo com os termos da LGPD.

A equipe liderada pela Universidade de Edimburgo aponta que as paciente de covid-19 no final da gravidez têm maior probabilidade de sofrer complicações, em comparação com as que adoecem nos estágios iniciais da gravidez ou que não contraíram o vírus.

Brasil recebe 1º lote da vacina pediátrica da Pfizer contra a Covid

  Brasil recebe 1º lote da vacina pediátrica da Pfizer contra a Covid SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Brasil recebeu na madrugada desta quinta-feira (13) o primeiro lote de vacinas pediátricas contra a Covid. A carga com 1,2 milhão de doses de imunizantes da Pfizer chegou ao Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), às 4h38. A distribuição das doses começa nesta quinta, de acordo com o critério populacional, ou seja, será proporcional à população de crianças em cada estado e no Distrito Federal. A previsão é que o público infantil comece a ser vacinado na sexta-feira (14). As vacinas pediátricas da Pfizer serão aplicadas em crianças de 5 a 11 anos. A imunização começará por menores com comorbidade, deficiência permanente, indígenas e quilombolas.

Três quartos não eram vacinadas

A ocorrência de nascimentos prematuros, de natimortos ou de bebês mortos logo após o nascimento foi mais frequente entre as que adoeceram 28 dias ou menos antes do parto.

A “maioria das complicações”, que também inclui internações em unidades de terapia intensiva relacionadas à covid-19, ocorreu em gestantes não vacinadas, de acordo com o estudo.

Os pesquisadores dizem não ser possível dizer se a covid-19 contribuiu diretamente para as mortes ou para os partos prematuros, pois não tiveram acesso aos registros médicos detalhados de cada mulher.

A principal autora da pesquisa, Sarah Stock, da Universidade de Edimburgo, afirmou, em entrevista coletiva virtual que, desde o início do programa de vacinação, 77% dos casos de covid-19 em gestantes correspondiam a mulheres não vacinadas e que as hospitalizações e internações em UTI foram “substancialmente mais comuns” nesse grupo.

Casa Branca divulga alta de casos de covid em não vacinados

  Casa Branca divulga alta de casos de covid em não vacinados Pelo Twitter, o perfil da sede da presidência dos EUA comparou situação com a de imunizadosOs gráficos mostram uma curva acentuada de infecções por covid e hospitalizações para a parcela que não se imunizou. Os indicadores explodem a partir de dezembro, quando a variante ômicron passou a circular com mais intensidade. Os Estados Unidos registraram o 1º caso da cepa em 1º de dezembro.

Em contrapartida, destacou que apenas 3% das internações hospitalares e 1% das pacientes em unidades de terapia intensiva estavam totalmente vacinadas.

Cerca de 12% dos casos de covid-19 no grupo examinado ocorreram em gestantes que receberam apenas uma dose da vacina ou que foram diagnosticadas com a doença menos de 14 dias após a segunda dose.

“Vacina protege mãe e bebê”

A mensagem principal é que “a vacinação é a maneira mais segura e eficaz para as mães protegerem a si mesmas e a seus bebês da infecção”, afirmou o pesquisador Aziz Sheikh, também autor do estudo.

A equipe analisou dados sobre mortes perinatais estendidas, ou seja, a morte de um bebê no útero após 24 semanas de gravidez ou nos primeiros 28 dias após o nascimento.

Essa taxa de mortalidade entre bebês nascidos nos 28 dias seguintes ao desenvolvimento da covid-19 por suas mães foi de 23 por mil nascimentos. A parcela equivale a quase quatro vezes a taxa de mortalidade perinatal na Escócia durante a pandemia, independentemente de a mãe ter tido covid-19 ou ter sido vacinada, que foi de seis por mil nascimentos.

Estragos provocados pela Ômicron no Brasil

  Estragos provocados pela Ômicron no Brasil Tsunami de infecções provocadas pela nova variante fez a média móvel de casos no Brasil subir mais de 600%. Algumas regiões registram filas e hospitais lotadosÀ época, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, chegou a afirmar que a nova cepa 'não é variante de desespero’ e que o Brasil estaria preparado para uma nova onda de casos do novo coronavírus.

Todas as mortes infantis ocorreram em mulheres que não eram vacinadas no momento da infecção, conforme o estudo. Além disso, cerca de 17% dos partos no período de 28 dias após a infecção foram prematuros, mais de três semanas antes da data prevista. Em comparação, a taxa geral de nascimentos prematuros na mesma época foi de 8%.

Das mulheres que deram à luz na Escócia em outubro de 2021, somente 32% estavam com o ciclo vacinal completo (mais de 14 dias desde a segunda dose), em comparação com 77% da população feminina geral de 18 a 44 anos.

Um total de 4.950 casos de covid-19 foram contabilizados na Escócia em gestantes desde o início do programa de vacinação, sendo 77% desses casos foram em mulheres não vacinadas.

Stock acrescentou que os dados da pesquisa “reforçam a evidência de que a vacinação na gravidez não aumenta o risco de complicações na gravidez, mas a covid-19, sim”.

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube| WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Matheus Ferreira inicia temporada com o WSK Winter Test, na Itália .
A temporada 2022 de Matheus Ferreira começa neste final de semana. O piloto participa a partir de sexta-feira (14) do WSK Winter Test, no kartódromo de Adria, na Itália. As atividades servirão para preparação visando o WSK Champions Cup, que será realizado no mesmo circuito semana que vem entre os dias 19 a 23 de … Continued O post Matheus Ferreira inicia temporada com o WSK Winter Test, na Itália apareceu primeiro em Racing Online.

usr: 3
Isto é interessante!