Mundo De ômicron a Bolsonaro: o que a mídia internacional escreveu sobre o Brasil

08:46  07 abril  2022
08:46  07 abril  2022 Fonte:   poder360.com.br

Ômicron contorna imunidade melhor que Delta, aponta estudo dinamarquês

  Ômicron contorna imunidade melhor que Delta, aponta estudo dinamarquês Ômicron contorna imunidade melhor que Delta, aponta estudo dinamarquêsDesde a descoberta em novembro da altamente mutada variante Ômicron, cientistas têm se apressado para descobrir se a causa casos menos graves da doença e por que parece ser mais contagiosa do que a variante Delta, antes dominante.

A mídia internacional citou o Brasil pelo menos 10 vezes desde 2ª feira (29.nov.2021). Os assuntos vão desde a colheita de açaí por crianças na Amazônia até as suspeitas da variante ômicron no país e a filiação do presidente Jair Bolsonaro ao PL (Partido Liberal), na 3ª feira (30.nov.2021). Leia o que foi dito até agora.

Variante ômicron

A suspeita e depois confirmação da variante ômicron no Brasil foi o mais divulgado sobre o Brasil na agenda internacional. A agência Reuters e o jornal alemão Deutsche Welle frisaram a descoberta da cepa no país como a 1ª da América Latina.

Também foi destaque nos veículos Seattle Times, Axios, Xinhua (agência estatal da China), Barron’s e Wall Street Journal.

Estudos sugerem que ômicron causa menos hospitalizações

  Estudos sugerem que ômicron causa menos hospitalizações Resultados preliminares ainda não foram revisados por pares. Especialistas alertam contra excesso de otimismo, ressaltam que cepa se espalha mais rápido e que cifra de infecções pode sobrecarregar hospitais. © Steve Parsons/Getty Images Um dos estudos registrou diminuição de entre 20% e 25% no tempo de internação entre pacientes com ômicron Dois estudos do Reino Unido sugerem que as infecções com a variante ômicron da covid-19 têm menos probabilidade de resultar em hospitalização, comparadas com a variante delta.

Crianças na colheita de açaí

Reportagem publicada na 2ª feira (29.nov) pelo jornal norte-americano Washington Post foi à cidade de Curralinho, no Pará, para mostrar a exploração de trabalho infantil para a colheita de açaí. Relata que crianças enfrentam uma “selva cheia de escorpiões” para alcançar o fruto –a  principal fonte de renda de milhares de famílias.

Como o tronco da árvore é fino e alto, cabe às crianças escalarem palmeiras de até 20 metros. No alto, estão sujeitas a acidentes: ferimentos por animais peçonhentos e fraturas em caso de queda.

O fruto é popular nos EUA, o maior consumidor de açaí fora do Brasil. O mercado global foi estimado em US$ 720 milhões (cerca de R$ 4 bilhões) em 2019. A previsão é que ultrapasse os US$ 2 bilhões (cerca de R$ 2 bilhões) até 2026.

Ômicron: Maioria das vacinas provavelmente não impedirá infecção, mas pode evitar casos graves

  Ômicron: Maioria das vacinas provavelmente não impedirá infecção, mas pode evitar casos graves Maioria das evidências até agora se baseia em experimentos de laboratório, que não capturam toda a gama da resposta imunológica do corpo. Mas, ainda assim, os resultados são alarmantes, apontam especialistasQuer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

Eis a reportagem do Washington Post (em inglês).

Bolsonaro no PL

A filiação de Bolsonaro ao PL, na 3ª (30.nov), também foi destaque nos veículos de comunicação internacionais. O Washington Post classificou o movimento como um “acordo político fundamental em sua busca pela reeleição em 2022”.

O jornal francês Le Monde deu na manchete: Brasil: incapaz de criar sua própria formação, Jair Bolsonaro entra para o Partido Liberal”. Diz que o chefe de Estado perde espaço nas pesquisas e, por isso, ingressou na sigla.

Ômicron chegou à Europa antes do que se imaginava .
Amostras coletadas na Holanda dias antes de surtos em voos da KLM vindos da África do Sul e de primeiro caso na Bélgica comprovam que a variante já estava no continente há mais de dez dias. © Eva Plevier/REUTERS História da ômicron na Holanda não começou com o surto de casos em dois voos O Instituto de Saúde Pública da Holanda (RIVM) anunciou nesta terça-feira (30/11) ter identificado a variante ômicron em amostras coletadas em 19 e 23 de novembro, vários dias antes da detecção do surto de 14 casos em dois voos vindos da África do Sul, em 27 de novembro, e antes mesmo de a variante ser notificada pela África do Sul à

usr: 0
Isto é interessante!