Mundo Ômicron chegou à Europa antes do que se imaginava

17:07  07 abril  2022
17:07  07 abril  2022 Fonte:   dw.com

Três doses de Coronavac não protegem contra ômicron, diz estudo

  Três doses de Coronavac não protegem contra ômicron, diz estudo Duas doses e uma dose de reforço da vacina contra Covid-19 fabricada pela chinesa Sinovac Biotech, uma das mais usadas no mundo, não produzem níveis suficientes de anticorpos neutralizantes para proteger contra a variante ômicron, segundo um estudo científico. Most Read from BloombergOmicron May Double Risk of Getting Infected on Planes, IATA SaysOmicron Has 80% Lower Risk of Hospitalization in South AfricaThree Sinovac Doses Fail to Protect Against Omicron in StudySingapore's Travelers Face Omicron ChaosOmicron Hospitalization Risk Is Far Below Delta’s in Two StudiesA pesquisa sugere que as pessoas que receberam a injeção da Sinovac,

Amostras coletadas na Holanda dias antes de surtos em voos da KLM vindos da África do Sul e de primeiro caso na Bélgica comprovam que a variante já estava no continente há mais de dez dias.

História da ômicron na Holanda não começou com o surto de casos em dois voos © Eva Plevier/REUTERS História da ômicron na Holanda não começou com o surto de casos em dois voos

O Instituto de Saúde Pública da Holanda (RIVM) anunciou nesta terça-feira (30/11) ter identificado a variante ômicron em amostras coletadas em 19 e 23 de novembro, vários dias antes da detecção do surto de 14 casos em dois voos vindos da África do Sul, em 27 de novembro, e antes mesmo de a variante ser notificada pela África do Sul à Organização Mundial da Saúde (OMS), no dia 24.

Europa se fecha contra ômicron

  Europa se fecha contra ômicron Com aumento dos casos e mortes por coronavírus no Velho Continente, países voltam a adotar restrições, com fechamento de lojas e lockdownSomente na terça-feira, o Reino Unido registrou 90 mil novos casos. Em uma semana, o total de infectados foi 63% maior do que na semana anterior. Segundo o governo, o registro de mortes diárias foi de 172, após 28 dias de um teste de COVID-19.

De acordo com o RIVM, os testes PCR então realizados indicaram uma reação especial, apontando para uma anomalia na proteína spike do vírus Sars-Cov-2, o que levantou a suspeita de que se tratava de casos da variante e indicou a necessidade de análises aprofundadas.

O RIVM comunicou ter entrado em contato com as pessoas afetadas para iniciar investigações sobre as circunstâncias do contágio. Uma dessas duas pessoas não viajou para o sul da África, por isso provavelmente contraiu o vírus na Holanda, segundo a virologista Chantal Reusken, do RIVM.

Casos anteriores à notificação

Até o momento, Holanda, Bélgica e Alemanha são os três países europeus que reportaram casos de infecções pela ômicron ocorridas antes de a descoberta da variante ser notificada à OMS, em 24 de novembro.

Empresas correm para criar reforço contra ômicron em 100 dias

  Empresas correm para criar reforço contra ômicron em 100 dias Em uma fábrica ao longo de uma rodovia a 32 quilômetros ao norte de Boston, centenas de funcionários da Pfizer se preparam para produzir milhões de doses de uma nova vacina, no que parece cada vez mais ser a próxima fase de combate à Covid-19. Most Read from BloombergZero Taxes, Golf and Beach Houses Create a Crypto Island ParadiseChina Is Building the World’s Largest National Park SystemBoris Johnson’s Furious MPs Worry That His Next Misstep Could Be FatalThe 15 Best Beers We Drank This YearO trabalho na unidade em Andover, Massachusetts, começou no dia seguinte ao feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos, assim que a Organização Mundi

Mas é provável que outros países também encontrem casos mais antigos da ômicron à medida que retestarem amostras guardadas.

O primeiro país europeu a comunicar um caso da nova variante foi a Bélgica, no dia 26 de novembro, onde uma pessoa testou positivo no dia 22. Ela apresentou os sintomas da covid-19 11 dias depois de viajar para o Egito com escala na Turquia.

Na Alemanha, as autoridades informaram que uma pessoa que testou positivo para a ômicron chegou ao aeroporto de Frankfurt no dia 21 de novembro. O paciente, totalmente vacinado, apresentou sintomas ao longo da semana e então testou positivo.

Surto em dois voos da KLM

Na sexta-feira passada, 624 passageiros que estavam em dois voos da KLM vindos da África do Sul foram submetidos a testes de detecção do novo coronavírus ainda no aeroporto de Schiphol, em Amsterdã. Destes, 61 resultados foram positivos, e em 14 dos casos a infecção era causada pela ômicron.

23 pães emblemáticos de todo o mundo

  23 pães emblemáticos de todo o mundo O pão é um alimento básico em todo o mundo e existem inúmeras variedades para descobrir. Aqui, destacamos 23 pães icônicos, incluindo a baguete francesa crocante, a ciabatta italiana rústica, a injera etíope esponjosa, o pão pita macio e fofo e muito mais. Cada pão tem sua própria história, ingredientes, forma, sabor e textura, e todos eles valem a pena experimentar, quer você esteja visitando o país de onde são nativos, ou se você quiser tentar fazê-los em casa. Alguns são

O RIVM detalhou que foram detectados diferentes tipos de estirpes de vírus da variante ômicron. Isso significa que essas 14 pessoas infectadas foram provavelmente infectadas separadamente, de uma fonte diferente e em locais diferentes

Acreditava-se que esses 14 casos fossem os primeiros em solo holandês, mas nesta terça-feira foi verificado que a variante já estava circulando no país uma semana antes de os dois voos chegarem a Amsterdã.

Restrições para viajantes

Na sexta-feira passada, o governo da Holanda decretou a proibição do tráfico aéreo com diversos países do sul do continente africano.

Além disso, foi solicitado que cerca de 5 mil passageiros que chegaram da África do Sul, Botsuana, Lesoto, Moçambique, Namíbia, Suazilândia e Zimbábue realizassem testes, independentemente de apresentarem sintomas da covid-19 ou estarem vacinados.

Os países do sul da África passaram a ser classificados pelo Executivo holandês como áreas de muito alto risco, o que obriga todos os que vierem da região a realizar período de quarentena.

Antes de a existência da ômicron se tornar conhecida, a Holanda já lidava com um forte aumento das infecções com a variante delta e um aumento da pressão hospitalar, o que levou à introdução de um "bloqueio noturno" no país, com o fechamento de toda atividade não essencial a partir das 17h todos os dias.

A Organização Mundial da Saúde afirmou que ômicron representa um risco global muito elevado. A nova variante tem um grande número de mutações, mas ainda não está claro se ela é de fato mais transmissível e quais os efeitos dela na imunidade humana e na severidade da doença covid-19.

as/lf (Efe, AFP, OTS)

A subvariante BA.2 pode reinfectar quem já pegou a ômicron? .
A subvariante ômicron BA.1 infectou muitos brasileiros até janeiro. Agora, a BA.2 tem causado preocupação por ser mais contagiosa. Será que quem contraiu a primeira versão da cepa ômicron pode se reinfectar com a BA.2? © Diego Vara/REUTERS Estudo diz que proporção de casos da BA.2 subiu de 3,8% para 27,2% em apenas três semanas nos diagnósticos positivos Após a subvariante da ômicron BA.1 ter sido responsável pelo surto de covid-19 que ocorreu entre dezembro e janeiro e ainda ser predominante no Brasil, a BA.

usr: 1
Isto é interessante!