Mundo Premiê britânico e ministro das Finanças serão multados por violações de lockdown da Covid

19:37  12 abril  2022
19:37  12 abril  2022 Fonte:   reuters.com

Venezuela: mais de 200 agentes estatais foram punidos por violar direitos humanos

  Venezuela: mais de 200 agentes estatais foram punidos por violar direitos humanos Mais de 200 agentes das forças públicas foram condenados com penas de até 28 anos de prisão na Venezuela por violações de direitos humanos, informou nesta quarta-feira (15) o procurador-geral do país, Tarek William Saab. Foram proferidas penas contra "210 funcionários policiais e militares, agentes do Estado, que lamentavelmente cometeram violações de direitos humanos", disse Saab ao oferecer um balanço da atuação do Ministério Público desde agosto de 2017. Na Venezuela, a pena máxima de reclusão é de 30 anos. Saab avaliou que, em breve, serão apresentadas novas sentenças contra agentes do Estado envolvidos em violações de direitos humanos.

LONDRES (Reuters) - O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e o ministro das Finanças, Rishi Sunak, serão multados pela polícia por violarem as regras de lockdown da Covid-19, disse o governo nesta terça-feira.

Premiê britânico, Boris Johnson, e ministro das Finanças, Rishi Sunak, na porta do gabinete de Downing Street © Reuters/HENRY NICHOLLS Premiê britânico, Boris Johnson, e ministro das Finanças, Rishi Sunak, na porta do gabinete de Downing Street

A polícia informou mais cedo nesta terça-feira que emitiria pelo menos mais 30 multas para pessoas que participaram de reuniões nos escritórios e residência de Johnson, violando as rígidas regras de lockdown do coronavírus, elevando o total para mais de 50.

"O primeiro-ministro e o secretário do Tesouro receberam hoje uma notificação de que a polícia metropolitana pretende emitir multas fixas", disse um comunicado do governo.

"Não temos mais detalhes, mas iremos atualizá-los novamente quando tivermos."

Algumas das reuniões ocorreram quando as pessoas não podiam comparecer a funerais ou se despedir de entes queridos que estavam morrendo no hospital para seguir as regras estabelecidas pelo governo de Johnson.

(Reportagem de Kylie MacLellan)

Moscou volta a bombardear Kiev e proíbe premiê britânico de entrar na Rússia .
O exército russo voltou a bombardear Kiev, na manhã deste sábado (16). Dessa vez o alvo foi uma fábrica de tanques na periferia da cidade, que teria sido parcialmente destruída, de acordo com o Kremlin. Moscou também anunciou que o premiê britânico, Boris Johnson, está proibido de entrar na Rússia. O Ministério da Defesa russo informou que o ataque tinha “destruído o complexo de produção de uma fábrica de armas em Kiev”. A usina atingida fica em Darnystsky, na periferia da capital ucraniana.O prefeito da capital ucraniana, Vitali Klitschko, indicou em redes sociais que não tinha informações sobre possíveis vítimas.

usr: 0
Isto é interessante!