Mundo Milhares contra manifestação neonazista na Alemanha

22:20  09 novembro  2019
22:20  09 novembro  2019 Fonte:   dw.com

Marcha do Orgulho Gay toma ruas de Buenos Aires

  Marcha do Orgulho Gay toma ruas de Buenos Aires Milhares de pessoas desfilaram neste sábado (2) pelo centro de Buenos Aires para pedir "um país sem violência institucional e religiosa e sem crimes de ódio", na 28ª Marcha pelo Orgulho que pela primeira vez não ostentou a tradicional sigla LGBT. "Abandonamos as letras, porque deixaram de ser representativas. Há identidades que começam a ganhar visibilidade, embora já existissem", explicou Mariana Spagnuolo, do coletivo organizador, à imprensa. Como sempre, a multidão marchou pela Avenida de Mayo, partindo da histórica Plaza de Mayo até chegar ao Congresso.

Libaneses de todo país mantêm vivos os protestos em Trípoli. Manifestantes procedentes de todo país chegavam na noite deste sábado (2) a Trípoli, grande cidade do norte do Líbano, em um mobilização que tem como objetivo demonstrar que o protesto contra a classe política segue mais vivo do que

Milhares de pessoas tomaram as ruas de Leipzig para uma contra manifestação ao protesto anti islão do antigo movimento radical PEGIDA. Os manifestantes anti

Extremistas de direita marcaram aniversário da Noite do Pogrom de 1938 com passeata em Bielefeld. Sindicatos, Igrejas e partidos reagiram sob o slogan "Fascismo não é opinião, é um crime". Placar: 14 mil contra 230.

Barricadas policiais mantiveram distância entre manifestações antagônicas© picture-alliance/dpa/F. Strauch Barricadas policiais mantiveram distância entre manifestações antagônicas

Em Bielefeld, no estado alemão da Renânia do Norte-Vestfália, extremistas de direita desfilaram neste sábado (09/11). A data marca os 81 anos da Noite do Pogrom do Terceiro Reich, também denominada "Noite dos Cristais". No entanto, muito maior foi o número dos cidadãos que se manifestaram nas ruas pela liberdade, respeito e dignidade humana.

Libaneses de todo país mantêm vivos os protestos em Trípoli

  Libaneses de todo país mantêm vivos os protestos em Trípoli Manifestantes procedentes de todo país chegavam na noite deste sábado (2) a Trípoli, grande cidade do norte do Líbano, em um mobilização que tem como objetivo demonstrar que o protesto contra a classe política segue mais vivo do que nunca. Desde 17 de outubro, o Líbano registra manifestações em massa contra uma classe dirigente vista como corrupta e incompetente. Os atos multitudinários paralisam o país há quase duas semanas. A volta à calma nosDesde 17 de outubro, o Líbano registra manifestações em massa contra uma classe dirigente vista como corrupta e incompetente. Os atos multitudinários paralisam o país há quase duas semanas.

Segurando bandeiras alemãs, velas e cartazes, 15 mil pessoas se uniram à manifestação na cidade alemã de Dresden na segunda-feira contra a chamada

Em várias cidades da Alemanha manifestantes protestaram contra a suposta islamização do país. A maior das concentrações aconteceu em Dresden e reuniu cerca

Com barricadas de metal, a polícia manteve os cerca de 230 partidários da sigla A Direita afastados dos 14 mil participantes de um total de 14 manifestações contrárias. As passeatas transcorreram basicamente pacíficas.

Os neonazistas convocaram a marcha para evocar a onda de saques, incêndios, atos de vandalismo e violência, instigados pelo partido nacional-socialista, contra sinagogas e estabelecimentos da população judaica, em 9 de novembro de 1938.

Com isso, os ultradireitistas queriam chamar a atenção para a negadora do Holocausto condenada Ursula Haverbeck, presa em Bielefeld por agitação popular. Em oposição, sindicatos, Igrejas, confederações e partidos se manifestaram sob o slogan "Fascismo não é opinião, é um crime".

Agitação social se mantém no Chile

  Agitação social se mantém no Chile A convulsão social continuou no Chile, neste domingo (3), com espetáculos artísticos e intervenções nas ruas e pedidos por uma sociedade menos desigual, enquanto ativistas manifestam sua preocupação com as vítimas fatais e os feridos nos protestos. Sem a dimensão violenta das manifestações da primeira e da segunda semana, as expressões artísticas e esportivas ganharam as ruas neste domingo. No Museu da Memória, que presta uma homenagem aos 3.200 assassinados e aos quase 40 mil torturados pela ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990), um espetáculo de música clássica lembrou as mortes desta crise social que desafia o poder político.

Milhares contra manifestação neonazista na Alemanha 09.11.2019. Extremistas de direita marcaram aniversário da Noite do Pogrom de 1938 com passeata em Bielefeld. Sindicatos, Igrejas e partidos reagiram sob o slogan "Fascismo não é opinião, é um crime".

Milhares de pessoas protestaram este domingo na Alemanha contra a islamização do Ocidente, na décima convocatória semanal de um movimento xenófobo emergente, que provocou uma forte reação política e social. Em Dresden a manifestação promovida pelos "Patriotas europeus contra a

O presidente do parlamento estadual da Renânia do Norte-Vestfália, André Kuper, reforçou que o 9 de novembro é o dia da Reunificação da Alemanha, mas também o dia em que, "perplexo e envergonhado", o país lembra os crimes do nazismo: "Por isso hoje estamos do lado de nossas cidadãs e cidadãos judeus."

Cerca de mil policiais de todo o estado foram mobilizados. O organizador do comício dos extremistas de direita recebeu uma lista com palavras de ordem proibidas, contendo expressões que instiguem ao ódio contra partes da população ou possam perturbar a ordem pública.

No fim de setembro, o Tribunal Administrativo da cidade de Minden cassara uma liminar da central de polícia de Bielefeld exigindo a antecipação da manifestação neonazista, em respeito à memória histórica da Noite do Pogrom de Novembro. Por isso os radicais tiveram permissão para desfilar neste sábado.

AV/epd,dpa

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no

Facebook | Twitter | YouTube | App | Instagram | Newsletter

Tchecos pedem renúncia de premiê .
Cerca de 250 mil pessoas ocuparam parque em Praga para protestar contra o governo de Andrej Babis. Manifestação ocorre na véspera do 30° aniversário da revolução que derrubou o comunismo no país. © Reuters/D. W. Cerny Muitos na multidão gritaram Cerca de 250 mil tchecos protestaram neste sábado (16/11) em Praga contra o primeiro-ministro Andrej Babis. A manifestação ocorreu na véspera do 30º aniversário da Revolução de Veludo - quando protestos e uma greve geral colocaram fim a quatro décadas de totalitarismo imposto pela antiga União Soviética sobre a então Tchecoslováquia.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 3
Isto é interessante!