Mundo Morales parte para asilo no México e Exército da Bolívia reforça segurança nas ruas

13:55  12 novembro  2019
13:55  12 novembro  2019 Fonte:   reuters.com

México diz que oferecerá asilo a boliviano Morales se ele solicitar

  México diz que oferecerá asilo a boliviano Morales se ele solicitar México diz que oferecerá asilo a boliviano Morales se ele solicitarLiderado pelo presidente Andrés Manuel López Obrador, o governo do México fez uma defesa enfática de Morales, que no domingo anunciou sua renúncia. A Bolívia vem sendo abalada por protestos contra uma eleição contestada, e os militares pediram a saída do presidente.

Evo Morales partiu na noite de segunda-feira a bordo de um avião militar rumo ao México para se asilar , ao final de um dia em que as Forças Armadas saíram às ruas de cidades da Bolívia para fazer frente ao que qualificaram como "grupos de vândalos"

Evo Morales , ex-presidente da Bolívia , pede asilo ao México , diz ministro mexicano. Hermanas y hermanos, parto rumbo a México , agradecido por el desprendimiento del gobierno de ese pueblo Os manifestantes incendiaram ônibus e entraram em confronto com forças de segurança locais.

Polícia boliviana leva manifestantes presos durante confrontos em La Paz© Reuters/CARLOS GARCIA RAWLINS Polícia boliviana leva manifestantes presos durante confrontos em La Paz

Por Daniel Ramos e Gram Slattery

LA PAZ (Reuters) - Evo Morales partiu na noite de segunda-feira a bordo de um avião militar rumo ao México para se asilar, ao final de um dia em que as Forças Armadas saíram às ruas de cidades da Bolívia para fazer frente ao que qualificaram como "grupos de vândalos", em meio à situação política convulsionada do país.

A partida de Morales foi confirmada pelo ministro das Relações Exteriores mexicano, Marcelo Ebrard. "Sua vida e integridade estão a salvo", afirmou o chanceler em sua conta de Twitter, na qual publicou uma foto de Morales com a bandeira do México nas mãos.

México denuncia "golpe" na Bolívia e reconhece Morales como presidente "legítimo"

  México denuncia México denuncia "golpe" na Bolívia e reconhece Morales como presidente "legítimo"O chanceler mexicano, Marcelo Ebrard, disse que o governo do presidente Andrés Manuel López Obrador não reconhecerá um governo de caráter militar na Bolívia.

Morales revelou os nomes depois de se reunir no final de semana com autoridades do MAS que viajaram para a capital argentina, onde Morales vive depois de aceitar uma oferta de asilo . Ele está impedido de concorrer à Presidência novamente. Os nomes diferiram de uma chapa anunciada na

Morales afirmou neste domingo que, apesar da queda nos preços do petróleo, " a Bolívia é a Antes de se asilar na Argentina, Evo Morales passou cerca de um mês refugiado no México . O ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) disse no Twitter hoje que a pasta está trabalhando com

Na tentativa de restabelecer a ordem antes de uma sessão da Assembleia Legislativa convocada para esta terça-feira, os militares se uniram à polícia no momento em que as cidades bolivianas atravessam momentos de grande tensão com mobilizações de grupos a favor e contra o ex-presidente, além de incêndios e saques.

"O comando militar determinou que as Forças Armadas executem operações conjuntas com a Polícia Boliviana para evitar sangue e luto à família boliviana... contra os atos de grupos de vândalos que causam terror na população", disse o comandante das Forças Armadas, Williams Kaliman.

A ação militar também respaldaria a realização de uma sessão especial dos parlamentares em La Paz para tratar da renúncia de Morales, ocorrida no domingo, após a divulgação de um informe da Organização dos Estados Americanos (OEA) que mostrou irregularidades nas eleições do mês passado.

Evo Morales aceita asilo político oferecido pelo México

  Evo Morales aceita asilo político oferecido pelo México Ficará em embaixada em La Paz. Chanceler mexicano confirmou. Evo renunciou à PresidênciaEbrard fez o anúncio por meio de seu perfil no Twitter. “O México, conforme sua tradição de asilo e não intervenção, recebeu 20 personalidades do Executivo e do Legislativo da Bolívia na residência oficial em La Paz, de modo que ofereceríamos asilo também a Evo Morales”, escreveu. Estando na embaixada, Evo e os outros refugiados políticos estarão respondendo às leis mexicanas, protegidos de ordens de prisões expedidos por autoridades bolivianas.

"Irmãs e irmãos, parto rumo ao México , grato pela abertura do governo deste povo irmão que nos brindou com um asilo para proteger nossa vida. Com greves e paralisações em todo o país, a Bolívia se transformou em um grande campo de batalha entre apoiadores de Morales e seus

México concede asilo , e Evo Morales afirma que deixará Bolívia . O México concedeu hoje, por razões humanitárias, asilo político a Evo Morales após o ex-presidente da Bolívia renunciar ontem ao cargo. "Pedimos a criação de uma conduta segura para garantir a segurança e a vida de Morales , e que Em entrevista coletiva concedida hoje, Obrador acusou o exército boliviano de "violar a ordem

A reunião da Assembleia foi convocada pela opositora Jeanine Áñez, segunda vice-presidenta do Senado, na condição de presidente em exercício da Assembleia Legislativa da Bolívia. Junto com Morales renunciaram seu vice e as outras principais autoridades parlamentares, criando um vazio de poder.

As redes sociais mostraram imagens de veículos militares leves circulando por uma rua de noite. Mais cedo, milhares de partidários de Morales se mobilizaram no centro de La Paz enquanto grupos rivais montavam barricadas, aumentando os temores de um recrudescimento da violência.

Morales, que se declarou vítima de um golpe de Estado perpetrado por militares e seus opositores de direita, havia dito em sua conta de Twitter que sairia da Bolívia rumo ao México em um avião oficial daquele país, que lhe ofereceu asilo político por temer por sua integridade física.

Uma autoridade dos Estados Unidos disse que o governo de Donald Trump não tem objeções à oferta do México de dar asilo a Morales, já que sua ausência poderia ajudar a estabilizar a Bolívia.

Michelle Bachelet condena uso excessivo da força policial na Bolívia .
Avalia que situação pode degenerar-sePresidente do Chile por duas vezes –de 2006 a 2010 e de 2014 a 2018– Bachelet emitiu comunicado em que classificou como “extremamente perigoso” o uso excessivo da força contra os apoiadores do ex-presidente Evo Morales, que renunciou ao cargo no último domingo (10.nov.2019) em meio ao clima de instabilidade no país.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 0
Isto é interessante!